Afinal, o que é PIB? | Blog ATIVA Investimentos
Educação Financeira

Afinal, o que é o PIB?

O PIB anda mais famoso que nunca, não é mesmo? E toda essa popularidade se explica pelo fato de o Produto Interno Bruto ser um conceito bastante debatido atualmente, já que está relacionado à saúde econômica de um país, estado ou até mesmo dos municípios. Afinal, seus índices de crescimento funcionam como base de dados e motivação para a formulação e a avaliação de políticas públicas. Mas o que, de fato, é o PIB? Como funciona seu cálculo e exatamente qual é sua influência sobre nossas vidas? Confira essas e outras informações no post de hoje:

O que é o PIB?

O Produto Interno Bruto de uma região é medido por meio de fórmulas que levam em consideração diversos aspectos da atividade econômica, além do nível de riqueza desse local. Lembrando que, por mais que possa ser de um país, uma região, um estado ou um município, normalmente se refere ao âmbito nacional.

Como ele funciona?

O PIB é a sigla para Produto Interno Bruto, e representa a soma, em valores monetários, de todos os bens e serviços finais produzidos numa determinada região, durante um determinado período.

Como você pode perceber, todas essas atividades estão, de alguma forma, relacionadas ao nível de produtividade, ao consumo e aos resultados econômicos de uma determinada região. Tal métrica tem como objetivo avaliar exatamente o grau de aquecimento ou desaceleração econômica, com a finalidade de rever decisões e formular políticas públicas de incentivo ao desenvolvimento.

Em que influencia?

A alta ou a queda do PIB influencia diretamente a vida do brasileiro, independentemente se é investidor, empregado, empresário e assim por diante. As oscilações do PIB podem, por exemplo, levar o Comitê de Política Monetária (Copom) a diminuir ou aumentar os juros básicos da economia, bem como fazer com que o governo federal eleve ou reduza gastos com as obras e a máquina pública, dentre outras diversas medidas políticas possíveis.

Se o PIB está em queda ou mesmo já negativo, o governo pode optar por diminuir juros e injetar mais investimentos na economia para proporcionar crescimento, por exemplo. Por outro lado, em uma economia extremamente aquecida, com altas sucessivas do PIB, é comum haver aumento da inflação, razão pela qual o Copom pode decidir aumentar os juros e impostos, a fim de frear o crescimento excessivo.

No fim das contas, tudo isso afeta diretamente o consumidor final e a economia que vivenciamos em nosso dia a dia. Dependendo do histórico recente do PIB, por exemplo, é possível que a população tenha acesso a mais ou menos crédito no banco ou no mercado financeiro, bem como pode haver alteração na taxa média de desemprego. Além disso, pode ser que o aumento ou a diminuição da inflação também sejam consequências das flutuações do PIB, sabia?

Com essas informações sobre o PIB em mãos, fica bem mais fácil entender sua relevância para o cenário econômico nacional e tomar decisões mais conscientes para seus investimentos, certo? E se quiser mais segurança para suas aplicações, conte com a nossa ajuda nessa tarefa! Ainda tem dúvidas sobre o tema? Entre em contato conosco!

Share on Facebook165Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn17
Você deve gostar também
O que fazer com o dinheiro da restituição do Imposto de Renda?
Planejamento familiar financeiro: como envolver toda a família?
5 dicas para investir com pouco dinheiro nos fundos de investimento

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web