Mercado primário e secundário: qual a diferença e por que investir?
Educação Financeira

Mercado primário e secundário: qual a diferença e por que investir?

Se você se interessa pelo mundo dos investimentos, já deve ter visto que, quando uma empresa resolve fazer uma oferta pública de ações, muitas vezes aparece escrito algo como “oferta pública primária e secundária de ações da empresa X”.

Mas você sabe o que quer dizer mercado primário e secundário, e qual a importância dessa diferença? Pois é disso que vamos tratar hoje. Confira!

 

O que significa mercado primário e secundário?

Para elucidar essa questão, vamos usar um exemplo com uma empresa fictícia, a Tudo Limpo.

A Tudo Limpo está no mercado há 30 anos e é uma das maiores fabricantes de sabão do país, pertencendo a cinco sócios. Destes, quatro sócios entendem que é hora de investir mais na empresa, modernizar equipamentos, abrir novas linhas de negócio. Já o quinto sócio não está muito de acordo, é mais velho, quer deixar as coisas ajeitadas para os filhos.

Eles procuram um banco de investimentos que os ajude a encontrar a melhor forma de captar recursos no mercado para fazer o investimento necessário na empresa. Chega-se à conclusão de que a empresa tem gestão de qualidade e porte suficiente para abrir seu capital, ou seja, fazer uma oferta pública de ações, pela qual qualquer pessoa interessada compre ações da companhia e seja sócia minoritária.

Até esse momento, vamos supor que a empresa tivesse um capital social de R$ 500 milhões e que cada um dos sócios detivesse uma parte igual da empresa, ou seja, R$ 100 milhões. Para fazer os investimentos necessários, precisariam captar no mercado mais R$ 200 milhões. Além disso, o quinto sócio resolveu aproveitar a oportunidade para vender a sua parte e deixar o negócio.

Assim, a Tudo Limpo fará uma oferta pública de ações de R$ 300 milhões. Destes, R$ 200 milhões são um aumento de capital, ou seja, esses recursos vão para a empresa, que fica maior, e serão usados para fazer os investimentos necessários. Isso é o mercado primário: há aumento de capital e os recursos vão para o caixa da companhia.

Já os outros R$ 100 milhões pertenciam a um dos investidores da empresa, que está vendendo sua participação para outros investidores. Isso é o mercado secundário: quando um investidor está negociando com outro(s) investidor(es) um ativo que já existia. Nesse caso, o dinheiro não vai para o caixa da empresa.

Nesse exemplo, portanto, a oferta pública da Tudo Limpo é primária e secundária.

 

Quais investimentos têm mercado primário e secundário?

Embora o exemplo mais comum para diferenciar esses dois mercados sejam ações, elas não são as únicas que contam com mercado primário e secundário.

Isso também ocorre com fundos imobiliários, por exemplo. Eles podem fazer uma oferta pública para captar recursos para comprar imóveis, por exemplo. Nesse momento estão atuando no mercado primário. Depois, suas cotas passam a ser negociadas na bolsa de valores entre os investidores, ou seja, no mercado secundário.

Já o Tesouro Direto (sistema eletrônico que permite ao investidor pessoa física aplicar em títulos públicos federais) atua exclusivamente no mercado primário.

Quando você compra um título público, o dinheiro vai para o governo, que o usa para seus fins, como construir estradas, hospitais, entre outros. Quando você decide vender o título, também é o próprio Tesouro Nacional que o recompra.

Existe um mercado secundário para títulos públicos (conhecido como mercado SELIC), porém a negociação não é feita com intermediação do Tesouro Direto, é feita diretamente através dos investidores.

 

Como decidir em qual mercado investir?

Quando um sócio decide vender uma participação na empresa, é sempre prudente tentar entender por que ele quer sair da companhia.

Não acredita nos rumos do negócio? Não gosta da gestão da empresa? Ou simplesmente quer realizar lucros e fazer outra coisa com esse dinheiro? Esse tipo de informação é importante para tentar detectar se existem problemas na condução da companhia.

Por outro lado, quando há uma emissão no mercado primário, é preciso observar para quê aquele dinheiro vai ser usado. Você acredita que esse é um bom rumo para a empresa? O plano parece consistente?

 

Em resumo, não há um mercado melhor ou pior, cada situação tem que ser analisada individualmente. Entendeu as diferenças entre mercado primário e secundário? Deixe o seu comentário e conte o que achou!

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0
Você deve gostar também
A importância de ter uma planilha de gastos diários
5 dicas para você ficar sempre no azul
Quais são os principais índices de ações?

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web