Monte uma planilha de gastos familiares em 4 passos - Blog da ATIVA
Educação Financeira

Monte uma planilha de gastos familiares em 4 passos

Uma grande dificuldade das famílias é conseguir manter a situação financeira estável e bem controlada. Os gastos são os mais variados: vão de mensalidades escolares e contas essenciais a compras supérfluas.

O uso de uma planilha de gastos facilita muito o controle dessas despesas, e é muito útil tanto em situações mais complicadas quanto para quem quer guardar algum dinheiro ou investir. O importante é ter em mãos todos os seus rendimentos, suas despesas obrigatórias e os gastos que podem ser reduzidos ou excluídos.

Neste artigo, selecionamos 4 passos fundamentais para montar uma planilha ideal. Quer saber mais? Confira a seguir!

1. Escolha um programa ou plataforma

O ideal é que você monte a sua, dependendo do seu conhecimento e familiaridade com os programas, como Excel, LibreOffice Calc e Google Planilhas, aplicando a quantidade de colunas e linhas que for necessário, de acordo com o seu perfil familiar, os seus rendimentos e objetivos. Planilhas em papel podem ser confusas e não permitem tantos recursos como as digitais, por isso, são menos indicadas.

Há diversos modelos disponibilizados na internet, que são práticos e gratuitos e, na maioria das vezes, são automatizados. Já possuem uma boa base de indicadores e podem ser acessados em celular, computador ou tablet.

Essas opções apresentam algumas desvantagens, são genéricas, dependem da internet e nem sempre são editáveis, por exemplo. Um modelo bem completo é o da BM&FBovespa.

2. Personalize

Após escolher a plataforma mais viável, avalie se o ideal é montar uma planilha de controle diário, quinzenal ou mensal e complete os espaços em branco, destacando os indicadores e as categorias que você julgar necessário e acrescentando colunas ou linhas para completar com os valores.

Em termos gerais, você precisa colocar a sua receita — salários e rendimentos — e todas as despesas do mês — água, luz, gás, mensalidade escolar, despesas com transporte, despesas com saúde, seguros, alimentação, lazer, empréstimos e extras.

Utilize cores ou destaques diferenciados para cada categoria, diferencie a fonte dos títulos das fontes utilizadas para preencher os dados, otimize colunas e linhas para as operações matemáticas. Se tiver maior conhecimento da ferramenta, desenvolva gráficos, que facilitam a visualização e auxiliam a análise.

Crie mais de uma página no mesmo arquivo para avaliar diversos critérios, como quadro anual, determinada despesa mais importante ou acompanhar os juros de algum investimento.

3. Complete com todos os seus gastos

Para manter uma planilha usual e eficaz, é preciso ter dedicação e reservar um tempo para atualização. Seja bem realista com a sua situação, coloque os gastos de maneira correta e organizada, com nomes e datas de pagamento e de vencimento.

Não deixe nada de fora: o mapeamento de gastos deve ter todas as pequenas e grandes despesas. Assim, você consegue perceber exatamente para onde está indo a sua renda. Os gastos do dia a dia podem ser grandes culpados para o desequilíbrio das contas no final do mês, uma vez que parecem insignificantes considerando a renda, mas, aliados a outros gastos pequenos e quando muito constante, fazem uma grande diferença e podem fazer falta.

Em planilhas mais simples, basta deixar a receita fixa na parte superior, completar as linhas com todos os gastos do mês (dividido em colunas pelo nome do gasto, valor e datas) e subtrair o montante do valor da renda mensal.

4. Avalie constantemente os resultados

Acompanhando de perto os gastos, você poderá examinar quais são os aspectos que podem ser mantidos e os hábitos que devem ser mudados, a fim de melhor a relação entre a receita da sua família e o que sai.

Outro fator interessante é que você consegue se planejar financeiramente para os meses seguintes, prevendo despesas, definindo metas, adiantando o que pode ser economizado e separando o que pode ser investido e reservado — além de perceber o seu progresso e o sucesso financeiro.

Por fim, a planilha de gastos se mostra como excelente ferramenta de controle das finanças familiares ou individuais, é funcional, pode ser feita em programas usuais e permite um monitoramento constante da situação financeira. Também, cabe à família cumprir com os objetivos propostos e tentar otimizar ao máximo os gastos e as despesas.

E ai? Gostou do conteúdo? Deixe o seu comentário pra gente!

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0
Você deve gostar também
Aposentadoria no Imposto de Renda: como declarar?
4 melhores investimentos para aplicar a partir de R$ 1.000
Entenda o que é CDB e saiba como investir nele

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web