O que é IPCA e INPC? Entenda aqui! | Blog ATIVA Investimentos O que é IPCA e INPC? Entenda aqui! | Blog ATIVA Investimentos
Educação Financeira

O que é IPCA e INPC? Entenda aqui!

Quando o assunto é inflação, é bem provável que, em algum momento, você ouça as palavras IPCA ou INPC. Entretanto, apesar de ambos serem calculados pelo mesmo instituto e de muitas vezes convergirem para os mesmos resultados em uma análise de médio a longo prazo, esses índices possuem algumas diferenças sutis, mas muito importantes.

Você sabe o que é o IPCA, para que serve e quais são as principais diferenças entre ele e o INPC? Não? Então, continue lendo e confira tudo sobre os dois principais índices de inflação do país!

O que é IPCA?

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo, IPCA, é o índice oficial de inflação no país. Calculado mensalmente pelo IBGE, ele leva em consideração os preços pagos à vista em estabelecimentos comerciais, aluguéis e compras de imóveis, serviços públicos e prestadores de serviços.

O objetivo principal do IPCA é mostrar o custo de vida médio de famílias que vivem nas regiões metropolitanas das principais cidades do país, e que possuem uma renda mensal entre 1 e 40 salários mínimos, não importando qual seja a origem desta renda. Além disto, este índice também é utilizado pelo Banco Central como referência em sua meta de inflação, que atualmente é de 4,5% ao ano.

O peso de cada localidade no cálculo do IPCA

Uma vez que o índice é nacional, para que seu cálculo seja realmente representativo, os dados recolhidos em regiões metropolitanas mais populosas, como São Paulo, por exemplo, precisam ter um peso maior no cálculo.

Confira abaixo o peso ponderado de cada região de acordo com o IBGE:

  • São Paulo: 30,67%
  • Rio de Janeiro: 12,06%
  • Belo Horizonte: 10,86%
  • Porto Alegre: 8,40%
  • Curitiba: 7,79%
  • Salvador: 7,35%
  • Recife: 5,05%
  • Belém: 4,65%
  • Goiânia: 3,59%
  • Fortaleza: 3,49%
  • Brasília: 2,80%
  • Vitória: 1,78%
  • Campo Grande: 1,51%

O peso de cada grupo de produtos no cálculo do IPCA

Assim como é feito com as cidades, os dados coletados para cada grupo de produtos também possuem um peso ponderado no cálculo do IPCA. Contudo, diferentemente do que é feito com as cidades, esses pesos são reestimados mensalmente.

No IPCA calculado para junho/2016, por exemplo, a ponderação de preços utilizada foi a seguinte:

  • Alimentação e bebidas: 25,84%
  • Habitação: 15,34%
  • Artigos de Residência: 4,23%
  • Vestuário: 5,99%
  • Transportes: 18,08%
  • Saúde e cuidados pessoais: 11,42%
  • Despesas pessoais: 10,65%
  • Educação: 4,67%
  • Comunicação: 3,74%

O que é INPC?

Assim como o IPCA, o INPC também é calculado mensalmente pelo IBGE e leva em consideração os preços pagos à vista em estabelecimentos comerciais, aluguéis e compras de imóveis, serviços públicos e prestadores de serviços.

Entretanto, a principal diferença entre os dois índices é que o INPC considera as famílias que possuem uma renda de até 5 salários mínimos mensais. Enfim, o INPC é bastante utilizado para cálculos de reajustes salariais, visando manter o poder de compra do trabalhador perante à inflação.

O peso de cada localidade no cálculo do INPC

Com a mudança da população amostral causada pela alteração da faixa de renda, também é necessário mudar o peso ponderado que cada região metropolitana possui no processo do cálculo. O INPC dá a cada região os seguintes pesos:

  • São Paulo: 24,24%
  • Salvador: 10,67%
  • Belo Horizonte: 10,60%
  • Rio de Janeiro: 9,51%
  • Porto Alegre: 7,38%
  • Curitiba: 7,29%
  • Recife: 7,17%
  • Belém: 7,03%
  • Fortaleza: 6,61%
  • Goiânia: 4,15%
  • Brasília: 1,88%
  • Vitória: 1,83%
  • Campo Grande: 1,64%

O peso de cada grupo de produtos no cálculo do INPC

Como o INPC abrange uma faixa de renda menor, alterações nos preços de produtos básicos, como alimentação, por exemplo, fazem uma diferença maior no orçamento dessas famílias.

Dessa forma, o peso que esses produtos possuem no processo de cálculo do índice precisa ser ajustado em relação ao IPCA. Para o mês de junho/2016, por exemplo, utilizou-se os seguintes números:

  • Alimentação e bebidas: 31,42%
  • Habitação: 17,53%
  • Artigos de Residência: 5,00%
  • Vestuário: 7,22%
  • Transportes: 15,49%
  • Saúde e cuidados pessoais: 9,70%
  • Despesas pessoais: 7,38%
  • Educação: 2,95%
  • Comunicação: 3,26%

Gostou do post? Se tiver alguma dúvida sobre o tema, ou alguma informação importante a acrescentar, sinta-se à vontade para entrar em contato conosco por meio dos comentários!

Share on Facebook133Share on Google+1Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn14

ASSINE A NOSSA NEWSLETTER!

Gostou do conteúdo? Assine a nossa news receba no seu e-mail e-books, palestras, dicas e artigos ;)

Você se inscreveu com sucesso! Cheque seu e-mail :D

ATIVA Investimentos
A ATIVA Investimentos é uma corretora com mais de 30 anos no mercado financeiro que sempre souber ver além oferecendo as melhores opções de investimentos para os seus clientes. Nossos Produtos: Renda Fixa, Fundos de Investimentos premiados, Tesouro Direto, Previdência Privada, Seguro de Vida resgatável, Câmbio de moedas, Ações e entre outros.
Você deve gostar também
Afinal, o que é o PIB?
Corretora de investimentos X bancos: entenda as diferenças
Câmbio de moedas: quais são as melhores opções para viagens?
6 Comentários
  • seila gandra
    15/02/2017 em 12:13
    Responder

    Olá, quando se pretende calcular valores sobre investimentos, qual melhor índice a ser utilizado o IPCA ou o INPC, e ainda quando o fundo tem como índice da politica de investimento o IPCA 6 a.a. os cauculos podem divergir de um Índice para o outro? pergunto porque falo sobre cálculos de de investimentos de RPPS previdência municipal. se esse instituto tem como perseguir o índice do IPCA +6 a.a, ele pode fazer relatórios sobre rentabilidades e ou perdas sobre ou índice no caso INPC

    • 20/02/2017 em 10:12
      Responder

      Olá Seila, tudo bem? Ambos os índices são de inflação ao consumidor, por mais que o consumidor de referência seja diferente, e com isso as cestas base também, no final a variação dos índices não vai ser muito descolada. O mais difundido entre eles é o IPCA, por ter uma cesta mais abrangente.
      Qualquer dúvida estamos por aqui, conte conosco!

  • Rafael
    13/02/2017 em 14:54
    Responder

    Gostaria de saber qual índice é mais vantajoso para a correção do FGTS.

    • 15/02/2017 em 16:46
      Responder

      Rafael, o FGTS é um fundo, você não tem opções, coloca o recurso lá e a própria Caixa faz a gestão.
      O rendimento é menor que a poupança, além disso, ontem o governo liberou o calendário para o saque do FGTS das contas inativas, caso tenha algum valor pra sacar, seria legal verificar e falar com a gente para que a gente veja o melhor investimento com esse valor.
      Conte conosco!

  • Michael Terra
    06/02/2017 em 21:01
    Responder

    Fiquei com uma duvida…
    O IPCA efetua o cálculo em cima de familiares entre 1 e 40 salários mínimos…
    O INPC em até 5 salários mínimos…
    Então quando que é utilizado o IPCA no range de 1 a 5 salários mínimos?

    • 07/02/2017 em 11:29
      Responder

      Olá Michael,
      Tudo certo?
      O IPCA não é calculado com o range de 1 a 5, somente com o range de 1 a 40.
      Se você quer saber a inflação ao consumidor de classe baixa, o ideal é acompanhar o INPC mesmo.

      Qualquer dúvida estamos por aqui 🙂
      Abs

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web

ASSINE E RECEBA DICAS SOBRE RENDA FIXA E OUTROS INVESTIMENTOS

ASSINE E RECEBA DICAS SOBRE RENDA FIXA E OUTROS INVESTIMENTOS

Procurando dicas e materiais sobre Renda Fixa? Assine a nossa newsletter e receba tudo no seu e-mail. 

Recebemos a sua assinatura!