Planejamento familiar financeiro: como envolver toda a família? - Blog da ATIVA
Educação Financeira

Planejamento familiar financeiro: como envolver toda a família?

Um bom planejamento familiar financeiro precisa do envolvimento de todo mundo da sua casa para que as contas não fiquem acumuladas. Então, não adianta só uma pessoa querer economizar enquanto as outras querem gastar muito, né?

Para não ficar com esse problema, reunimos algumas dicas para unir a sua família inteira em um só objetivo. Confira!

Liste as despesas 

É importante verificar quais são os gastos e como eles são feitos. Pense tanto no básico relativo à saúde, moradia, alimentação etc.

Coloque tudo em uma planilha e faça uma análise no fim do mês para saber quem está gastando mais e com o quê. A partir daí, você poderá refletir se determinadas despesas são realmente necessárias e terá a possibilidade de partir para o próximo passo.

Ensine os filhos a poupar

Por que uma criança iria querer saber o que é o “planejamento familiar financeiro”? Sabemos o quanto precisamos trabalhar para conseguir o dinheiro, mas é preciso fazer com que os pequenos entendam isso. E a melhor maneira de alcançar esse objetivo é dando uma mesada, pois eles começarão a pensar em uma divisão de gastos estabelecendo prioridades financeiras

Sendo assim, diga ao seu filho que esse será o único montante dado no período e que ele não receberá mais nada caso tudo acabe. Ressalte também que ele precisará pensar muito bem antes de comprar algo desnecessário ou juntar bastante para comprar algo que queira porque o valor é limitado.

Estabeleça objetivos

Pense em metas que afetem positivamente todos os envolvidos no planejamento familiar financeiro. Continuando no exemplo anterior, imagine que o seu filho queira comprar um brinquedo de R$ 75, sendo que ele recebe uma mesada de R$ 50. Nesse cenário, o instrua a economizar algum valor mensalmente — por exemplo, metade da mesada. Dessa maneira, ele conseguirá o objeto dentro de três meses. 

Caso precise economizar em um âmbito ainda maior, é hora de usar a planilha feita anteriormente. Agora que você tem em mãos as informações que mostram quais são as despesas desnecessárias, defina um valor máximo de gastos para cada área básica — saúde, moradia, lazer, alimentação etc. Agora, veja qual das categorias está excedendo o limite e crie soluções para acabar com o problema.

Por exemplo, suponhamos que a alimentação seja um dos itens mais custosos. Depois de identificar esse problema, verifique o motivo de ele estar acontecendo. Será que a família está perdendo muito dinheiro com lanches desnecessariamente comprados na rua?

Caso seja isso, colocar um teto nos gastos extras em alimentação (ou seja, aqueles além das compras mensais no mercado) para que a periodicidade desses lanches diminua pode ser uma boa saída.

Tenha uma reserva

Se você continuar monitorando os gastos, otimizando as metas e conscientizando os seus filhos, é bem provável que ao longo do tempo sobre algum dinheiro. Nesse momento, o ideal é começar a planejar uma reserva para que você não precise recorrer a empréstimos ou parcelas no cartão de crédito caso haja alguma emergência.

Como é o seu planejamento familiar? Deixe nos comentários e continue nos acompanhando! 🙂

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0
Você deve gostar também
Finanças pessoais: saiba como administrar o 13º corretamente
Quais empresas mais cresceram na Bovespa em 2016?
Entenda o que é a CPMF e como ela afeta sua vida

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web