Planejamento financeiro pessoal: 5 dicas para se dar bem em 2017 - Blog da ATIVA
Educação Financeira

Planejamento financeiro pessoal: 5 dicas para se dar bem em 2017

Com o ano começando, vêm as tradicionais resoluções de ano novo. Dentre sonhos e desejos para 2017, que tal incluir entre as suas metas realizar um planejamento financeiro pessoal eficiente?

Embora já haja algumas previsões otimistas, o Brasil ainda deve seguir com alguma dificuldade nesse ano. Portanto, não é o momento de jogar dinheiro fora, gastando-se mais do que se arrecada.

Neste post, vamos dar 5 dicas de como fazer um bom planejamento financeiro pessoal para passar um 2017 sem sustos. Confira!

1. Faça um mapeamento de todas as suas receitas e despesas

O primeiro passo para montar um planejamento financeiro é fazer um mapeamento completo das suas receitas e despesas. Receitas são todos os valores que você recebe, enquanto as despesas são representadas por todos os gastos que você tem.

Para fazer um mapeamento bem realista, é importante incluir cada centavo. Pode parecer um exagero, mas é a partir desse mapeamento que você conseguirá entender como está gastando o seu dinheiro e em quais setores é possível realizar cortes.

2. Monte um planejamento anual

Com o seu fluxo de caixa mapeado, agora é hora de montar um planejamento para o ano. É muito importante obedecer a periodicidade de 12 meses para que você tenha uma visão global das suas finanças e consiga se preparar melhor para momentos de gastos tradicionalmente maiores.

Um exemplo: o planejamento te ajudará a identificar quando vence o seguro do carro, que geralmente é um valor alto. Assim, você não será pego de surpresa e conseguirá fazer a reserva necessária nos meses anteriores.

Para tornar o planejamento mais eficaz, você deve fazer uma avaliação mensal do seu fluxo de caixa, verificar se ocorreram desvios, quais foram eles e o que você pode fazer para evitá-los no mês seguinte.

3. Adote a regra dos 50-35-15

A regra dos 50-35-15 funciona da seguinte maneira:

  • 50% da sua renda deve ser destinada ao pagamento de contas primordiais. Devem ser incluídas todas elas: aluguel, plano de saúde, escola dos filhos, despesas da casa, etc. Se o número de contas que você tem estiver superando a metade da sua receita, é preciso rever e realizar cortes.
  • 35% devem ser destinados a atividades de lazer, como saídas no fim de semana, futebol com os amigos etc. Ou seja, essa é a quantia destinada aos gastos que não são essenciais.
  • 15% que sobram devem ser aplicados como investimento e reserva financeira. Para isso, você deve escolher uma modalidade que se adeque ao seu perfil. 

Vale lembrar que não é uma receita exata e que podem existir vários tipos conforme a sua necessidade e perfil.

4. Procure pagar sempre à vista

Para que seu planejamento não saia do controle, você deve priorizar os pagamentos à vista. Se você não tiver dinheiro e a compra não for providencial, não parcele. 

Assim, você não cria uma situação financeira em desacordo com a sua realidade e mantém seus gastos dentro do que foi planejado.

5. Pesquise e compare preços

A melhor receita para economizar é sempre procurar pelos melhores preços. Na hora em que for comprar qualquer coisa, separe um tempo para pesquisar preços e condições de pagamento favoráveis. Atualmente, é possível fazer isso pela internet, sem precisar sair de casa.

E aí? Gostou deste texto? Não deixe de deixar o seu comentário!

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn18
Você deve gostar também
Sou um investidor arrojado, onde posso investir?
A importância de ter uma planilha de gastos diários
Vale a pena investir no exterior?

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web