Por que o grau de investimento do Brasil é importante internacionalmente? Por que o grau de investimento do Brasil é importante internacionalmente?
Educação Financeira

Por que o grau de investimento do Brasil é importante para o mercado internacional?

Quando o assunto é investimento, existe uma palavra que pode ajudar a ilustrar algumas situações: confiança. Imagine que você tem dinheiro guardado e, em um certo momento, decide que quer investir em uma franquia, por exemplo.

As condições financeiras em que a franquia se encontra, além da relação que existe entre seus fornecedores e clientes, são dados importantes para levar em conta antes de apostar suas fichas, certo? Tudo para que, no final das contas, você tenha confiança para depositar seu dinheiro na empresa escolhida.

É mais ou menos assim que acontece quando falamos de grau de investimento do Brasil. O rebaixamento ou não do país — que, no exemplo acima, seria a franquia — traz consequências para a visão e para a ação do mercado.

No texto de hoje, vamos falar um pouco sobre esse tema e por que ele é tão importante para o nosso país e para o resto do mundo. Confira!

O que é grau de investimento?

Grau de investimento é como um selo de qualidade que indica os riscos de um país ou de uma empresa não cumprirem seus compromissos. Recebê-lo é, portanto, um atestado de que você é um bom pagador.

Aqui, vamos falar do grau de investimento do Brasil, mas, a título de curiosidade, AmBev, Vale e Petrobras são algumas das empresas nacionais que possuem esse selo.

Para que serve o grau de investimento?

O grau de investimento divide os bons dos maus pagadores. É uma classificação que norteia os investidores e as instituições financeiras internacionais na hora de decidir onde colocar o dinheiro.

Quanto mais seguro, mais dinheiro e investimentos um país recebe e a custos mais baixos.

Quem atribui as notas?

As agências de classificação de riscos, também conhecidas como agências de ratings, são as responsáveis por atribuir notas a cada nação e a cada organização. As mais conhecidas e respeitadas do mercado mundial são a Standard & Poor’s, a Moody’s e a Fitch.

O que é rating?

Rating é uma nota que ajuda o investidor a entender qual é o risco que existe ao colocar dinheiro em determinado país ou empresa. Ela é feita pelas agências de classificação de riscos e aponta a capacidade que as instituições e nações têm de pagar suas dívidas.

Por exemplo: países lançam títulos de longo prazo no mercado internacional. A partir de uma série de informações, as agências avaliam a capacidade dos países pagarem estes títulos e dão a nota (rating) a eles.

Como as agências fazem a avaliação?

Para chegar ao grau de investimento, existe uma combinação de dados que resulta no rating do país avaliado:

  • As agências se baseiam em informações enviadas pelo país que receberá a nota;

  • A partir daí, os técnicos responsáveis fazem uma avaliação de toda a situação financeira daquela nação;

  • Depois, esses dados são combinados com análises das condições do mercado internacional e de especialistas da área acadêmica, da iniciativa privada e de fontes oficiais.

Como funciona a classificação?

O grau de investimento do Brasil foi estabelecido por meio de uma classificação. Ela funciona em uma escala que vai da alta possibilidade de calote até a total capacidade de pagar as dívidas dentro do prazo estabelecido.

Levando em consideração essa variação, a classificação é disposta em um ranking com notas, simbolizadas por letras, sinais e números. Tudo isso é alocado em dois grupos: Grau de Investimento e Grau Especulativo. Basicamente, o primeiro bloco é composto pelos países que pagam em dia e o segundo pelos países em que há risco real de não pagamento de dívidas.

A forma como a classificação é apresentada varia um pouco de agência para agência. Para a Moody’s, por exemplo, a melhor qualificação que um país pode receber é a Aaa. No caso da Standard & Poor’s e da Fitch, que utilizam os mesmo símbolos, é AAA. A pior qualificação para a Moody’s é a C. Já para a Standard & Poor’s e para a Fitch é a D.

Para ficar ainda mais claro, citamos abaixo o modelo de classificação da Standard & Poor’s:

Grau de Investimento

  • AAA — 100% de capacidade de pagar as dívidas no prazo;
  • AA — Alta capacidade de pagar as dívidas no prazo;
  • A — Boa capacidade, mas suscetível a mudanças;
  • BBB — Condição financeira estável, mas não tão protegidas contra choques.

Grau Especulativo

  • BB — Menos vulnerável, mas com incertezas no futuro;
  • B — Paga dívidas, mas é vulnerável às condições econômicas; 
  • CCC — Depende de condições externas favoráveis para pagar suas dívidas;
  • CC — Extremamente vulnerável;
  • C — Próximo ao calote;
  • D — País totalmente inadimplente. Não paga compromissos no prazo.

Por que o grau de investimento do Brasil é importante?

As notas dadas a um país são sempre revistas. Ou seja, as agências especializadas avaliam periodicamente a qualidade de crédito de uma nação, podendo rebaixá-la ou até mesmo suspender a nota.

No caso do Brasil, manter o grau de investimento alto é essencial por uma série de fatores. Somos a maior economia da América do Sul e as oscilações financeiras afetam diretamente os nossos vizinhos, além de países que nos veem como um importante polo para investimentos e expansões.

Ao atingir o grau especulativo, o impacto é forte em uma série de fatores: variação do câmbio, desvalorização do real, alta do dólar, aumento da inflação pelo encarecimento de componentes e produtos importados.

A grande maioria dos fundos de investimentos faz aplicações em países que têm o aval de, no mínimo, duas agências. Por isso, com o selo de mal pagador, o Brasil passa a sofrer com alguns problemas:

  • Fica muito mais difícil atrair investidores do mercado internacional;

  • Isso significa menos dinheiro;

  • Mais escassez de recursos;

  • Alta na taxa de juros no mercado interno.

Por outro lado, países com dívida pública emitem títulos para levantar recursos no mercado internacional, com a condição de devolver o dinheiro aos investidores com juros. O grau de investimento ajuda a conseguir juros mais baixos. Consequentemente, quanto menor as taxas, maior a capacidade de pagamento.

Além de ser um tema essencial para os dias de hoje, o grau de investimento é cheio de informações e detalhes importantes. Por isso, se ficou alguma dúvida, deixe nos comentários.

Share on Facebook0Share on Google+1Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn17

ASSINE A NOSSA NEWSLETTER!

Gostou do conteúdo? Assine a nossa news receba no seu e-mail e-books, palestras, dicas e artigos ;)

Você se inscreveu com sucesso! Cheque seu e-mail :D

ATIVA Investimentos
A ATIVA Investimentos é uma corretora com mais de 30 anos no mercado financeiro que sempre souber ver além oferecendo as melhores opções de investimentos para os seus clientes. Nossos Produtos: Renda Fixa, Fundos de Investimentos premiados, Tesouro Direto, Previdência Privada, Seguro de Vida resgatável, Câmbio de moedas, Ações e entre outros.
Você deve gostar também
Os 7 erros mais comuns de quem quer começar a investir
Títulos públicos em 2017: saiba se vale a pena investir
Entenda de vez como funciona o processo de aluguel de ações

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web

ASSINE E RECEBA DICAS SOBRE RENDA FIXA E OUTROS INVESTIMENTOS

ASSINE E RECEBA DICAS SOBRE RENDA FIXA E OUTROS INVESTIMENTOS

Procurando dicas e materiais sobre Renda Fixa? Assine a nossa newsletter e receba tudo no seu e-mail. 

Recebemos a sua assinatura!