Quais empresas mais cresceram na Bovespa em 2016? | Blog ATIVA
Educação Financeira

Quais empresas mais cresceram na Bovespa em 2016?

O ano de 2016 foi um grande desafio para o Brasil, principalmente, para a população e para as empresas. Todos buscando novas oportunidades e um melhor aproveitamento de renda e de capital para passar por esse momento de recessão e crise política.

Para o artigo de hoje, selecionamos algumas empresas que chamaram atenção no ano passado. Quer saber mais sobre os rendimentos de Renda Variável e em quais empresas apostar? Continue a leitura.

A análise do investimento

Os investimentos de Renda Variável são aqueles em que o valor do rendimento não é conhecido no momento da aplicação e o dinheiro aplicado pode sofrer muitas oscilações, exigindo um perfil moderado ou agressivo dos investidores. Os retornos podem ser bem maiores que aplicações em Renda Fixa, por exemplo, mas também podem trazer um risco maior.

A atividade mais reconhecida de Renda Variável é a aplicação em Bolsa de Valores, isto é, mercado de ações. Investimentos em câmbio, derivativos e fundos de ações também pertencem a essa modalidade. A ação é uma pequena fração da empresa, portanto, o investidor passa a ser um pequeno sócio e o rendimento está diretamente atrelado ao desenvolvimento da empresa e à saúde financeira.

Apesar de imprevisíveis, é importante ter em mente diversos aspectos para escolher a empresa certa para investir. Atente-se ao histórico das ações, à percepção da economia em geral e à dinâmica do mercado.

O cenário atual

Com a queda de juros esperada para o ano de 2017, os papéis de ações ficam ainda mais atrativos por oferecer a possibilidade de um rendimento significativamente maior, mas não é só isso que conta. Como a Bovespa teve um crescimento muito acentuado em 2016 (38,9%) e a conjuntura econômica ainda não mostra grandes avanços, é preciso ter cautela para investir e acompanhar cada mudança do mercado.

Rentabilidade em 2016

  • CSN ON (170,5%)
  • Usiminas PNA (167,1%)
  • Vale PNA (133,7%)
  • Gerdau PN (132,7%)
  • Petrobras PN (120,6%)
  • Banco do Brasil ON (96,6%)
  • Santander Unit (93,3%)
  • CPFL Energia ON (71,3%)
  • RADL3 (70,9%)
  • BBDC4 (70,8%

O momento ideal

Em 2016, algumas empresas se destacaram na bolsa, com a alteração do governo e nova equipe econômica e a melhor perspectiva para economia que veio em seguida. Os setores de varejo, de siderurgia e de bancos foram muito beneficiados e, por isso, apresentam representantes na lista das empresas que mais cresceram no ano.

No ramo da mineração e da siderurgia, negócios se valorizaram por conta da alta de mais de 100% no preço do minério de ferro em 2016, ao mesmo tempo em que a perspectiva de juros  no Brasil para os próximos anos caiu, beneficiando essas companhias que possuem dívidas muito altas.

Os destaques são para CSN, Usiminas, Vale e Gerdau. A Vale também se beneficiou dos anúncios de venda de ativos, enquanto a Usiminas se beneficiou da renegociação da dívida com os credores.

Os bancos, em específico Banco do Brasil, Santander e Bradesco, são totalmente inseridos e dependentes da atividade econômica brasileira. Com a melhora da perspectiva do PIB para os próximos anos, eles se aproveitaram para conceder mais empréstimos e sofrer menos com a inadimplência. O Banco do Brasil também teve um crescimento devido a uma mudança da gestão, mais focada em melhorar a rentabilidade do banco.

Neste ano, a Petrobras se consolidou, inclusive, com a grande mudança de gestão que vem acontecendo na companhia desde a entrada de Bendine. Depois do impeachment, Temer elegeu Pedro Parente para a presidência, que, por sua vez, pisou no acelerador no cronograma de redução do endividamento — ponto mais sensível na Petrobras.

A melhora na governança, as negociações com os investidores litigiosos e a melhora no preço do barril contribuíram para a performance espetacular desta empresa, que vinha sofrendo tanto nas mãos do intervencionismo.

A RaiaDrogasil é uma empresa com ótima gestão em um mercado que sofre pouco com a crise. Com disciplina de capital excelente, ou seja, pouco endividada, ela acelerou o ritmo de abertura das drogarias em 2016 e é uma das candidatas a executar a consolidação do setor de varejo farmacêutico no Brasil.

A alta dos papéis da CPFL foi sustentada pelo anúncio de compra pela chinesa State Grid. Em um primeiro momento, a companhia chinesa comprou a participação da Camargo Corrêa por R$ 9,5 bilhões, mas a transação pode chegar a R$ 25 bilhões após a transferência de todas as ações do bloco de controle para a State Grid, operação já aprovada pela Aneel.

Seguindo o sucesso que obtiveram em 2016, essas empresas continuam atraindo os investidores pela boa rentabilidade. Como qualquer outro investimento, os papéis de Renda Variável oferecem riscos, mas são importantes ferramentas de investimento.

Os negócios citados são algumas opções para os investidores, mas tudo depende do perfil do investidor, de pesquisas e consultas para fazer o investimento com mais segurança. Por isso, estamos disponíveis para tirar qualquer dúvida.

Entre em contato com a gente ou deixe suas dúvidas no espaço para comentários.

Share on Facebook108Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn18
Você deve gostar também
Saiba como declarar seu dinheiro repatriado
4 dicas para escolher a corretora de investimento para suas ações
Passo a passo: entenda como começar a investir em ações online
2 Comentários
  • Antonio Marcos Pontes
    2017-02-23T08:21:06+00:000000000628201702 em 08:21
    Responder

    Tenho observado o crescimento da rede drogasil, ela sera uma boa formato de invedtimento, qualquer os riscos e vantagens nesse setor de medicamentos?

    • 2017-03-02T14:20:12+00:000000001231201703 em 14:20
      Responder

      Olá Antonio, tudo bem?
      Um de nossos assessores pode entrar em contato com você e te explicar melhor, tudo bem? 🙂
      Conte conosco!

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web

%d blogueiros gostam disto: