Títulos públicos e privados: você sabe qual a diferença entre eles? ATIVA Investimentos – Blog
Investimentos

Títulos públicos e privados: você sabe qual a diferença entre eles?

Quando buscam investimentos, muitas pessoas se deparam com títulos públicos e privados, mas nem sempre sabem a diferença entre esses dois tipos de aplicações. Você também tem essa dúvida? Então, veio ao lugar certo.

Vale lembrar que esses dois tipos de títulos fazem parte da classe de investimentos de renda fixa. Nesse caso, o investidor “empresta” recursos para determinada instituição, após combinar uma taxa de juros fixa ou uma remuneração baseada em um indexador, como o IPCA, a Selic ou o CDI.

Neste post, você saberá por quem os títulos públicos e privados são emitidos, verá exemplos de cada categoria, além de conhecer características de cada um a respeito de risco e de rentabilidade. Confira!

O que são títulos públicos?

Os títulos públicos são instrumentos utilizados pelo Governo Federal para captar recursos para financiar o déficit das contas públicas. Quando alguém faz aplicações nesses títulos, é como se emprestasse dinheiro para o Estado brasileiro. Os valores são garantidos pelo Tesouro Nacional, por isso, possuem baixo risco de inadimplência. Afinal, em um caso extremo, o governo poderia emitir papel moeda para honrar os compromissos.

Desde 2002, com a criação do Tesouro Direto, programa formado pela parceria entre Tesouro Nacional e BM&FBOVESPA, as pessoas físicas passaram a ter acesso aos títulos públicos por meio da internet.

Atualmente, existem três tipos básicos de remuneração para títulos públicos, que podem ter variações quanto ao pagamento de juros, podendo ser feito a cada seis meses ou no resgate da aplicação. No Tesouro Pré-fixado, a remuneração do título é conhecida no ato da compra. Já no Tesouro IPCA+, o investidor ganha uma taxa de juros fixa conhecida no ato da compra mais a variação do índice oficial da inflação (IPCA). No Tesouro Selic, por sua vez, o poupador recebe a atualização diária da taxa básica de juros.

O que são títulos privados?

Se com os títulos públicos a pessoa empresta dinheiro para o governo, com os títulos privados ela faz o mesmo para instituições privadas financeiras e não financeiras, como bancos, e empresas.

São exemplos de títulos privados: o Certificado de Depósito Bancário (CDB), a Letra de Crédito Imobiliário (LCI), a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA), Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA), Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI), Debêntures, Notas Promissórias (Commercial Papers) etc.

Grande parte dos títulos privados são emitidos por bancos. Ainda assim, há títulos disponibilizados ao investidor por empresas, por exemplo, as debêntures e as notas promissórias. Seja qual for o caso, quem adquire um título privado tem um direito de crédito “contra” o emissor. Os títulos privados, assim como os públicos, podem ser negociados no chamado mercado secundário é mais fácil ver isso no caso das debêntures.

Como saber qual título é mais vantajoso?

Os títulos públicos, por serem acessíveis e terem menor risco, servem de referência para o investidor na hora de decidir comprar títulos privados. Nesse caso, geralmente o investidor considera o custo de oportunidade antes de trocar o Tesouro Direto por outro tipo de aplicação.

Por representarem um pouco mais de risco do que os títulos públicos, os títulos privados tendem a oferecer uma rentabilidade maior do que o rendimento do Tesouro Direto, principalmente se o investidor tiver uma quantia significativa para aplicar.

É bem verdade que alguns títulos privados, como o CDB, a LC, a LCI e a LCA, possuem proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até o limite de R$ 250 mil no cruzamento do CPF/CNJP do investidor com o CNPJ do emissor, caso haja inadimplência do emissor.

Já debêntures e notas promissórias não possuem essa garantia. Nesses casos, o investidor deve conhecer as notas ou ratings das agências de classificação de risco, para conhecer a situação das empresas, antes de fechar a negociação.

Para não correr riscos no mercado financeiro e encontrar os títulos mais adequados às próprias necessidades, é recomendável que o investidor conte com o auxílio de consultores financeiros. A equipe da ATIVA Investimentos está altamente capacitada para prestar esse tipo de orientação para você.

E na hora de fazer aplicações, você tem preferência por títulos públicos ou privados? Deixe seu comentário aqui no blog. Participe!

Share on Facebook282Share on Google+1Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn15

ASSINE A NOSSA NEWSLETTER!

Gostou do conteúdo? Assine a nossa news receba no seu e-mail e-books, palestras, dicas e artigos ;)

Você se inscreveu com sucesso! Cheque seu e-mail :D

ATIVA Investimentos
A ATIVA Investimentos é uma corretora com mais de 30 anos no mercado financeiro que sempre souber ver além oferecendo as melhores opções de investimentos para os seus clientes. Nossos Produtos: Renda Fixa, Fundos de Investimentos premiados, Tesouro Direto, Previdência Privada, Seguro de Vida resgatável, Câmbio de moedas, Ações e entre outros.
Você deve gostar também
É possível comprar títulos públicos sem taxas? Leia e descubra
Taxa Selic: o que significa e o que ela diz sobre a nossa economia?
Saiba o que significa o índice IGPM e como ele afeta sua vida

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web

ASSINE E RECEBA DICAS SOBRE RENDA FIXA E OUTROS INVESTIMENTOS

ASSINE E RECEBA DICAS SOBRE RENDA FIXA E OUTROS INVESTIMENTOS

Procurando dicas e materiais sobre Renda Fixa? Assine a nossa newsletter e receba tudo no seu e-mail. 

Recebemos a sua assinatura!