• Pesquisar

O que são fundos de investimento e como funcionam

Investir em fundos de investimento é uma excelente opção para quem busca sair da poupança e ter mais lucro ou variar seus investimentos. Há produtos que servem para diferentes perfis e objetivos. Mas, antes de aplicar, entenda o que é e qual deles têm o seu perfil.

Mas o que é fundo de investimento? É uma espécie de “condomínio” que reúne recursos financeiros de vários investidores, ou seja, quando você aplica seu dinheiro, você está comprando uma cota. E o seu investimento será administrado por um profissional especializado: o gestor. Ele é especialista em criar estratégias e tomar as decisões para a compra de ativos para o fundo.

Entre as várias vantagens de aplicar em fundo é a possibilidade de ter acesso a mercados diversificados com pouco dinheiro e tempo. Além disso, você tem a praticidade de não precisar gerenciar seus investimentos, já que eles estarão nas mãos de profissionais especializados.

Mas quanto de dinheiro eu preciso ter para investir em fundos? É possível aplicar a partir de R$ 100, e a rentabilidade costuma ser um dos atrativos. Dependendo do tipo de fundo, você poderá ter ganhos  superiores ao CDI.

Conheça alguns tipos de fundos de investimentos:

– Fundos de Renda Fixa

No fundo de investimento de renda fixa são alocados no mínimo 80% dos investimentos em renda fixa prefixada ou pós-fixada. Os 20% restantes podem ser investidos em derivativos que irão proteger a sua carteira.

Se o seu perfil é conservador, essa pode ser a melhor opção, principalmente, se você procura um bom rendimento, contando com segurança.

– Fundos Multimercados

Os fundos multimercados são compostos por ativos de renda fixa e renda variável. Essa modalidade dá ao gestor mais opções de investimentos para a carteira do fundo.

Se você busca diversificar seus investimentos, o fundo multimercados é uma boa opção. Também é recomendado para quem procura mais rentabilidade com riscos menores.

– Fundos Cambiais

Já os cambiais buscam acompanhar a variação de moedas estrangeiras, geralmente dólar e euro. Por regulamento, 80% do patrimônio deve ser investido em ativos relacionados à flutuação da moeda ou variação do cupom cambial. É uma boa oportunidade para investidores que buscam preservar o poder de compra do seu patrimônio na moeda estrangeira a um prazo bastante longo.

-Fundos de Ações

Já os fundos de ações direcionam 67% do seu patrimônio para a bolsa de valores. Portanto, a rentabilidade depende da valorização ou desvalorização dos papéis da empresa.

Assim, é o tipo recomendado para investidores mais agressivos, que querem aumentar a margem de lucro sem a urgência de retorno imediato.

O fundo de investimento é seguro?

Antes de serem ofertados no mercado, os fundos são registrados pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Antes de investir, você pode consultar se ele está na lista do órgão.

Além disso, a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais) determina os parâmetros de composição das carteiras e também fiscaliza as informações divulgadas pela gestão do fundo.

Taxa de administração, imposto de renda e come-cotas

Os fundos de investimento podem cobrar: a taxa de administração (para custear o serviço de gestão e operação) e a de performance (espécie de prêmio ao gestor do fundo quando sua rentabilidade supera um benchmark).

Além disso, você paga IR (Imposto de Renda) em cima da rentabilidade quando resgatar sua aplicação. O valor segue a tabela regressiva de imposto de renda, que varia de 22,5% a 15%, com exceção do fundo de ações que é de 15%.

Além disso, as aplicações em fundos de investimentos têm parte do imposto de renda recolhidos pelo come-cotas. De forma simples, ele “come” um pedaço do seu investimento antes de você realizar o resgate. Isso acontece, pois muitos investidores utilizam os fundos para estratégias de longo prazo e, para não ter de esperar muito tempo até a cobrança desse tributo, a Receita Federal arrecada o imposto antecipadamente.

O come-cotas é recolhido no último dia útil dos meses de maio e novembro. E a alíquota dependerá do tipo de fundo que você aplicou. Se for de curto prazo (até 1 ano), será de 20%, e longo prazo (acima de 1 ano) é 15%.  No fundo de ações, não há come-cotas.

Seja estratégico e ganhe dinheiro

Antes de investir, lembre-se de ler a lâmina do fundo de investimento que traz informações essenciais para você ter a escolha mais acertada, como os principais indicadores da carteira.

Deixe seu comentário

2 comentários