• Pesquisar

Reserva de emergência: entenda a importância e como planejar

Investir é fundamental para quem deseja comprar bens, viver de renda ou mesmo planejar sua aposentadoria. O primeiro passo — que precisa ser bem organizado — é montar sua reserva de emergência.

Como o próprio nome diz, reserva (fundo) de emergência é o dinheiro que servirá para situações emergenciais, como ter que pagar um tratamento médico ou mesmo para aproveitar oportunidades como comprar um produto mais barato à vista. Ou seja, essa reserva pode ter várias utilidades.

É preciso ter em mente que a rentabilidade não é o ponto mais importante a ser considerado, mas não deve ser desprezado. O que você deve observar de pronto é a liquidez — a possibilidade de o investimento ter resgate rápido do dinheiro.

Qual o tamanho da reserva?

O valor de sua reserva de emergência varia conforme a natureza de trabalho de cada pessoa. Na média, a conta básica é um valor equivalente a seis meses de despesas. Exemplo: se na sua casa, há um gasto mensal de R$ 10 mil, o fundo de reserva deve ser de R$ 60 mil.

Porém, se você tiver um trabalho formal (CLT), com longo período no mesmo trabalho, pode ter uma reserva menor guardada, pois em caso de demissão terá acesso ao FGTS, férias e 13º proporcionais etc. Já um trabalhador liberal, deverá pensar em guardar um valor maior, porque não terá acesso a nenhum dos itens anteriores num eventual período de vacas magras.

Quais investimentos escolher para a reserva de emergência?

Conforme explicamos anteriormente, você deve levar em conta a liquidez do investimento, ou seja, resgate fácil e rápido. Lembre-se que, no momento emergencial, é preciso levantar a quantia o quanto antes. Claro que a rentabilidade é um fator importante, mas ela não é a primeira a ser considerada no momento de montar seu fundo.

Além disso, a reserva deve ser estruturada com base em investimentos conservadores, ou seja, de baixa volatilidade.

Algumas aplicações que englobam esses itens são:

Tesouro Selic: acompanha a taxa básica de juros, é mais seguro que a poupança e não tem volatilidade.

CDB diário: rentabilidade similar a do Tesouro Selic e a proteção do FGC (Fundo Garantidor de Crédito)

Fundo DI: fundos que investem em Tesouro Selic e outras rendas fixas conservadoras.

Depois de escolher os investimentos, defina o quanto você vai guardar por mês para atingir seu objetivo e seja disciplinado. Converse com uma assessoria de investimentos para que eles te ajudem nessa jornada, lembrando que na Ativa Investimentos você abre uma conta gratuita e ainda conta com assessoria especializada sem custos.

Se você ainda não criou o seu Fundo de Emergência, comece o quanto antes. Um imprevisto não avisa quando vem, e o fundo trará uma segurança maior para você e sua família.

Gostou deste artigo? Gostaria de ficar por dentro de todas as novidades que publicarmos em nosso site a partir de agora? Então, siga nossos perfis nas redes sociais e não perca mais nenhuma nova publicação.

Deixe seu comentário

1 comentário