• Pesquisar
Young businessman wearing casual clothing working late at home

Operações estruturadas: entenda como funcionam e saiba como investir

Reunir a segurança da Renda Fixa à rentabilidade da Renda Variável não é mais uma tarefa impossível. Apesar de novo no Brasil, esse modelo de investimento tem muito a contribuir com a sua jornada de sucesso. Esse é o DNA das Operações Estruturadas. Você já ouviu falar nelas?

As Operações Estruturadas são uma combinação de diferentes ativos capaz de proporcionar ganhos expressivos ao investidor. Exatamente por isso, estão se destacando no universo dos investimentos.

Neste artigo, selecionamos dicas e informações que ajudarão você a dar os primeiros passos. Continue a leitura e saiba mais!

Como funcionam as Operações Estruturadas?

As Operações Estruturadas são uma modalidade de investimento que se baseia na combinação de ativos. Com isso, em muitos casos, é possível investir de maneira planejada, tendo ciência do pior cenário de perda e da expectativa de rentabilidade antes mesmo de iniciar a operação.

Se perguntássemos a qualquer investidor o que seria um investimento ideal, provavelmente teríamos como resposta algo que unisse um grande retorno com um baixo risco.

Quem atua nesse universo sabe que tal situação é praticamente impossível, uma vez que as maiores chances de rentabilidade estão associadas a altos riscos. No entanto, é preciso destacar que as Operações Estruturadas se aproximam bastante dessa meta.

Esse tipo de investimento é feito por meio de um COE (Certificado de Operações Estruturadas) ou por meio de opções. Porém, existem operações formadas no mercado direto, ou seja, montadas com ativos disponíveis no mercado e com liquidez de Bolsa.

O que é e como funciona o COE?

COE (Certificado de Operações Estruturadas) é o modelo de operações estruturadas mais conhecido e usado no mercado. Trata-se de uma variante brasileira para as Notas Estruturadas — comum nos Estados Unidos e Europa.

Na prática, estamos falando de um investimento que permite a diversificação com baixo risco. Para isso, os responsáveis pela sua emissão unem títulos de Renda Fixa, ações e outras opções em um mesmo papel.

Antes mesmo de iniciar a operação, o investidor recebe a informação de qual será a sua rentabilidade, o prazo de aplicação e o risco a ser suportado.

Ao investir em um COE, você comprará um título que foi emitido por uma instituição financeira. Esse ativo aplica uma boa parcela do seu capital em títulos de Renda Fixa e uma porcentagem menor em opções de Renda Variável, como:

  • ações nacionais e estrangeiras;
  • taxa de juros;
  • dólar;
  • commodities.

O que são opções?

As opções são direitos de compra e venda de um ativo que, conforme dito, podem ser ações, índices e moedas, por exemplo.

Explicando melhor, essa é uma forma de investimento baseada em um outro ativo. Nesse caso, o investidor está adquirindo o direito de comprar ou de vender uma quantidade definida de um bem ou instrumento financeiro a um valor pré-fixado e em uma data futura.

Lembrando que, para que isso seja possível, o investidor deve pagar um prêmio. Essa é uma maneira de evitar possíveis oscilações do mercado e até alavancar a carteira. Por isso, é uma modalidade muito utilizada atualmente.

Quer um exemplo? Imagine que o dólar esteja sendo cotado a R$4,00, mas que exista a expectativa de que ele suba. Nesse caso, você pode adquirir o direito de comprá-lo por esse valor daqui a 6 meses.

Ao final do prazo, se a cotação realmente subir, você pode exercer o direito e pagar um valor por isso. Caso a cotação esteja igual ou menor, é possível não realizar a compra.

Opções de compra

As opções de compra, também chamadas de call, são aquelas em que o vendedor é o lançador e tem o dever de efetivar a venda do ativo pelo valor combinado e na data previamente acordada.

Por outro lado, o comprador é quem pagou o prêmio e, portanto, tem o direito de exercer a opção de efetivar a compra nos moldes definidos.

Opções de venda

No caso das opções de venda, o vendedor é o titular do ativo e, portanto, já pagou o prêmio para ter o direito de exercer sua escolha. Sendo assim, ele não está obrigado a vender o ativo.

Por outro lado, caso decida vender, o comprador tem o dever de cumprir com as condições acordadas, ou seja, de efetivar a compra no prazo e no valor previamente combinados.

O que são Estruturas?

As Estruturas nada mais são que o conjunto de produtos financeiros e ativos que formam o COE. Sendo assim, ao investir em Operações Estruturadas, você está adquirindo uma Estrutura. Vale destacar que elas podem ser de dois tipos:

  • com valor nominal protegido — mais seguro e garante o valor principal investido;
  • com valor nominal em risco — há a possibilidade de perder até o valor investido.

Quais são as vantagens dessa forma de investimento?

Sem dúvidas, investir em Operações Estruturadas tem muitos pontos positivos. Essa é uma modalidade nova, mas que já chama a atenção de muitos investidores. Entenda as vantagens desse tipo de investimento!

Participação em novos mercados

Um dos pontos de destaque nas Operações Estruturadas é que elas dão ao investidor a possibilidade de participar de novos mercados e, portanto, aproveitar oportunidades que não seriam experimentadas em outras modalidades.

Como há a combinação de ativos, você pode investir de maneira ainda mais diversificada, expandindo seus horizontes e aprendendo a atuar com produtos diferentes.

Previsibilidade de perdas

Quem investe sabe que o risco é sempre uma variável a ser considerada. Em geral, quanto maior a chance de ganhar, maior a possibilidade de perder.

Apesar disso, o investimento em operações estruturadas tem uma característica que mitiga esse risco e torna a operação muito mais previsível, o que é um grande ponto positivo. Na prática, o investidor consegue investir de maneira planejada e evitar os prejuízos.

Sendo assim, estamos diante de uma estrutura que reúne os dois maiores objetivos de um investidor: alta rentabilidade e baixo risco.

Dispensa o acompanhamento diário

Se você dispõe de pouco tempo para ficar acompanhando seus investimentos, as Operações Estruturadas podem ser uma excelente alternativa.

Em síntese, não é necessário realizar um acompanhamento diário do mercado. Ao contrário, com uma rápida e simples análise de alguns indicadores, você poderá entender seus resultados e garantir que o capital investido fique protegido de indexadores negativos.

Conta com tributação regressiva

Por fim, é relevante destacar o modelo de tributação incidente sobre um COE, que é regressivo. O que isso significa?

Da mesma maneira que os investimentos em Renda Fixa, esse modelo de investimento segue a tabela regressiva de Imposto Renda. Com isso, quanto maior o prazo da operação, menos imposto você paga, visto que a alíquota incidente é reduzida.

Esse modelo de investimento é para qual perfil de investidor?

Afinal, qualquer investidor pode aproveitar as oportunidades geradas pelas Operações Estruturadas? Por envolvem estratégias complexas, esse não é um tipo de investimento adequado para todos os perfis.

Em primeiro lugar, vale ressaltar que o tipo de operação realizada exige um certo grau de conhecimento e experiência no mercado de ações. Por isso, o ideal é que o investidor já tenha essa bagagem antes de iniciar suas aplicações.

Além disso, com relação ao risco e à maturidade quanto à dinâmica do mercado, elas são indicadas para investidores de perfil agressivo. Essas pessoas estão dispostas a correr riscos (e até procuram por eles) quando as chances de rentabilidade são maiores.

Mesmo sendo uma modalidade que permite a previsibilidade de perdas, é necessário entender que há um risco. Não se pode ignorar o fato de que as operações executadas são complexas e arriscadas.

Nesse contexto, é preciso observar que, em certos casos, o prejuízo experimentado pode ser maior do que o valor aportado. Além disso, caso algo não saia como o esperado, será preciso apresentar mais garantias exigidas pela Bolsa.

Sendo assim, o ideal é que, antes de começar a investir em Operações Estruturadas, o investidor tenha uma boa reserva de emergência. Isso dará mais tranquilidade para realizar suas operações.

Afinal, como investir em Operações Estruturadas?

Sua primeira providência para fazer esse tipo de investimento é abrir uma conta em uma boa corretora. Pesquise bastante e escolha uma instituição séria e comprometida com os seus resultados.

O próximo passo é escolher o COE — que é emitido pelo banco. É nesse momento que você escolhe o título, sendo importante observar todos os detalhes possíveis, como prazo de validade, valor a ser investido e o risco máximo da operação.

Em seguida, você deve ler e entender o DIE (Documento de Informações Essenciais). Esse documento é entregue pelo emissor do COE e apresenta um resumo com os principais dados relacionados ao título, como:

  • banco emissor;
  • rentabilidade do investimento;
  • data de início e final;
  • normas para ganhos e perdas.

Ufa, quanta coisa aprendemos, não é mesmo? Um dos elementos mais importantes a se ter em mente ao investir em uma carteira recomendada é a parceria firmada com a corretora que elabora o relatório em questão.

Ficou interessado em investir em Operações Estruturadas? Então entre em contato com a gente para saber como abrir sua conta e começar a aplicar seu dinheiro agora mesmo! Até o próximo artigo!

Deixe seu comentário

Instagram has returned invalid data.