• Pesquisar
Young woman using her mobile phone for contact less payment. She is paying a bill in the cafe

Resgate do Tesouro Direto: como funciona na prática?

Muitos investidores, especialmente os iniciantes, têm dúvidas sobre como fazer o resgate do Tesouro Direto. No entanto, o processo é muito rápido e não esconde grandes complicações.

Além de aprender como fazer o resgate do Tesouro Direto, é essencial que todo investidor desta modalidade entenda os processos da liquidação dos títulos, além dos custos envolvidos nessa operação.

Quer saber tudo isso e dominar o Tesouro Direto por completo? Continue a leitura e descubra!

Como funciona o resgate do Tesouro Direto?

O processo de resgate do Tesouro Direto acontece quando transformamos o título público comprado em dinheiro líquido. Ele pode ser feito de duas maneiras distintas:

  • no vencimento do título;
  • ou resgate antecipado.

Quando você investe no Tesouro Direto está comprando um título emitido pelo Tesouro Nacional. Esse título vem com uma data de vencimento específica, normalmente informada em seu nome.

Por exemplo, se você entrar no site do Tesouro Direto, verá que há disponível um Tesouro IPCA+ 2045. Como o próprio nome indica, ele vencerá em 2045, o que dá aproximadamente 25 anos de aplicação.

Para fazer o resgate de títulos do Tesouro Direto, basta aguardar pelo seu vencimento. Enquanto isso, a aplicação vai rendendo e se torna mais lucrativa.

No entanto, é possível que você queira recuperar o seu dinheiro antes. Afinal, o Tesouro Direto tem liquidez diária como uma das suas características básicas.

Nesse caso, o que você fará é um resgate antecipado do Tesouro Direto, que significa liquidar o título da sua carteira de investimentos antes de chegar na data do vencimento.

Entretanto, isso leva a algumas particularidades, já que o rendimento obtido pela aplicação é diferente quando liquidada antes do seu vencimento. Veja o porquê na sequência.

Como funciona o rendimento do resgate antecipado do Tesouro Direto?

Um mal-entendido muito comum com quem está começando a investir é sobre a rentabilidade dos títulos em Renda Fixa, como o Tesouro Direto. Muita gente acha que o rendimento é garantido em qualquer situação. No entanto, essa percepção é falha, pois o retorno contratado em uma aplicação dessas só é garantido na data do vencimento.

Se você pedir o resgate antecipado dos títulos do Tesouro Direto que possui em sua carteira, receberá o preço de mercado dessas aplicações e não o rendimento específico que elas já geraram.

Na prática, isso pode ser uma boa ou uma má notícia. Em alguns casos, dependendo da demanda pelos títulos, o preço de mercado pode ser maior do que o rendimento obtido até aquela época e você sai ganhando.

Já em outros, o preço de mercado pode ser mais baixo que a rentabilidade atual. Isso faz com que não seja vantajoso liquidar o ativo naquele momento.

Por isso, caso você queira usar o Tesouro Direto como reserva de emergência, é essencial estudar a rentabilidade contratada (pré fixada ou pós fixada). Essa é uma atitude importante para saber se é ou não vantajoso realizar o resgate antecipado dos títulos.

Dá para fazer resgate parcial do Tesouro Direto?

Outra dúvida muito comum de investidores iniciantes: é possível realizar um resgate parcial do Tesouro Direto? Ou seja: a pessoa realizou vários aportes na modalidade durante os anos e quer liquidar apenas uma parte.

Sim, o resgate parcial do Tesouro Direto pode ser feito sem problemas. No entanto, uma característica importante é que a venda parcial dos títulos é feita seguindo a ordem das aplicações. Ou seja: primeiro são liquidados valores dos primeiros investimentos.

Assim, você economiza muito mais com os impostos relativos ao Tesouro Direto. Isso acontece uma vez que o Imposto de Renda sobre o investimento é regressivo – diminui conforme o tempo passa.

Qual o procedimento para fazer o resgate dos títulos?

Não há segredo no processo de resgate do Tesouro Direto. Se você quiser liquidar o título somente no vencimento, basta esperar a data. Já se quiser resgatar antes, deverá solicitar o processo com a sua corretora.

O mecanismo básico é bem fácil de entender. Basta acessar a sua carteira de investimentos no site ou aplicativo da sua corretora e procurar pela listagem de todos os títulos e valores que você tem investido no Tesouro Direto.

Quando achar a listagem, busque a opção de “Resgate” dentro do sistema, que deverá estar visualmente assinalada em um lugar acessível. Clique no botão e siga as instruções da sua corretora.

Quando é possível fazer esse resgate?

Agora que você já aprendeu como resgatar do Tesouro Direto, precisa ter em mente que não pode liquidar os seus títulos a qualquer momento. Pois é: o procedimento só pode ser feito nos horários de trabalho do Tesouro Nacional.

Por isso, se você quiser fazer o resgate do Tesouro Direto, deverá fazer o processo das 9h30 às 18h, em qualquer dia da semana. No entanto, o preço dos títulos nas negociações feitas nos fins de semana ou feriados será o definido na abertura do mercado no próximo dia útil.

Além disso, depois das 18 horas, só será possível agendar uma compra ou venda. Ela só será processada no próximo dia útil, a partir das 9h30.

Quais são os custos do resgate do Tesouro Direto?

Se você planeja fazer o resgate do Tesouro Direto, precisa ter em mente que há alguns custos nesta operação. Eles incidem mesmo se ela for feita na data de vencimento do título.

IOF

Em aplicações de até 30 dias, há incidência de alíquota do IOF em cima da rentabilidade do título do Tesouro Direto. A alíquota começa em 96% da rentabilidade no primeiro dia da aplicação e vai sendo reduzida progressivamente até ser zerada no 30º dia do investimento.

Taxa de administração

Algumas corretoras e bancos cobram uma taxa de administração sobre os seus títulos do Tesouro Direto. Essa taxa é cobrada quando a aplicação é resgatada e incide somente sobre os rendimentos obtidos.

Vale informar que a Ativa Investimentos não cobra taxa de administração sobre suas aplicações no Tesouro Direto. Essa é uma das vantagens de aplicar no Tesouro Direto pelo nosso site.

Taxa de Custódia

A taxa de custódia, por sua vez, é sempre cobrada, não importa a corretora que você use. Isso porque quem cobra o pagamento é a B3, a bolsa brasileira. O valor da taxa é de 0,25% ao ano sobre o valor do título. Ela é cobrada proporcionalmente caso haja resgate antecipado.

Imposto de Renda

Por fim, o principal custo no momento do resgate do Tesouro Direto é o Imposto de Renda. No caso dessa aplicação, a alíquota é regressiva e diminui conforme o prazo do investimento aumenta. As taxas cobradas são as seguintes:

  • 22,5% para investimento de até 180 dias;
  • 20% para aplicações entre 181 e 360 dias;
  • 17,5% para investimentos que duram entre 361 e 720 dias;
  • 15% para aplicações com duração acima de 720 dias.

Aproveite para ver o passo a passo do resgate do Tesouro Direto no Home Broker da Ativa Investimentos neste tutorial. Caso você se sinta mais seguro em fazer esse procedimento com acompanhamento de um especialista, é só entrar em contato com a nossa equipe pelos canais de atendimento.

Gostou do conteúdo e quer acompanhar mais dicas para maximizar os seus investimentos? Então curta a Ativa Investimentos no Facebook, siga nosso perfil no Instagram, Twitter e LinkedIn e assine nosso canal no YouTube!

Deixe seu comentário