• Pesquisar
Fintess & lifestyle

Fundos DI: saiba o que é e como começar a investir!

O Mercado de Valores tem crescido muito no Brasil e cada vez mais pequenos investidores têm buscado aprender a investir. Contudo, a aplicação favorita do brasileiro ainda é a Poupança. Mas há opções melhores. Fundos DI é um exemplo.

Há quem já tenha percebido que a Poupança não reflete boas margens de rendimento. Nesses casos, Fundos DI são uma boa maneira de começar a investir. As margens de lucro são melhores que a Poupança, com risco equivalente.

Neste artigo, você vai saber mais sobre os Fundos DI. Continue a leitura para descobrir como funcionam, quais as vantagens e desvantagens, como começar a investir e muito mais. Confira!

O que são Fundos DI e como eles funcionam?

Os Fundos DI, também chamados de Fundos de Renda Fixa Referenciados DI, funcionam como uma carteira de ativos financeiros. A diferença fundamental para uma carteira de investimentos é que, em um Fundo DI, você adquire cotas.

Assim, o retorno das suas aplicações é relativo ao valor das cotas adquiridas, de acordo com o desempenho dos ativos. Quem escolhe e gerencia os ativos é o gestor do Fundo, sobre o que se cobra uma taxa de administração.

Por regra, os Fundos DI devem ser compostos 95% por ativos que estejam atrelados aos principais indexadores do mercado: Selic e CDI. Esses ativos podem ser títulos públicos, como Títulos do Tesouro, ou títulos privados de baixo risco. Por essa razão, os riscos de investimento dos Fundos DI são muito baixos, ideal para investidores conservadores.

Rendimento

O objetivo de rentabilidade dos Fundos DI é manter uma proximidade com os índices de referência. Portanto, é comum avaliar o desempenho de um Fundo como uma porcentagem do CDI.

Desse modo, um bom Fundo DI consegue garantir rentabilidade entre 95% e 105% do índice.

Tributação

Além da taxa de administração, é fundamental calcular os valores tributáveis dos Fundos.

Sobre os Fundos DI incidem dois impostos: o IOF, para movimentações em períodos menores que 30 dias, e o IR. Este último incide apenas sobre os rendimentos (daí Imposto de Renda) segundo a tabela regressiva do IR. Quanto mais longo for o prazo de investimento, menor será a alíquota do imposto.

O IR varia entre 22,5% e 15%. Porém, como em outros Fundos de Investimento, os Fundos DI contam com o famoso “come-cotas”. Trata-se da antecipação do IR nos meses de maio e novembro, com a alíquota de 15%. Essa redução afeta a quantidade de cotas que o cliente possui.

Quais são as principais vantagens e desvantagens?

Como todo investimento, os Fundos DI têm suas vantagens e desvantagens. Isso geralmente se trata de uma relação entre as característica do ativo e o custo de oportunidade.

Portanto, procure estudar e comparar as alternativas para saber o que é melhor para o seu perfil de investimento. A seguir, confira as principais vantagens e desvantagens de investir em Fundo DI.

Vantagens

As principais vantagens estão relacionadas ao fato desses Fundos serem simples e acessíveis ao pequeno investidor. Confira:

  • Simplicidade — basta ter conta em uma corretora para começar a investir. Os Fundos DI são uma boa opção para sair da Poupança e começar a explorar o Mercado de Valores;
  • Baixo risco — como 95% dos ativos são títulos do Tesouro e títulos privados de baixo risco, Fundos DI podem ser considerados muito seguros;
  • Diversificação — principalmente para composição de uma reserva de emergência, os Fundos DI são ótimas opções para diversificar investimentos;
  • Liquidez diária — a liquidez diária que alguns Fundos oferecem faz deles ótimas alternativas de investimento conservador.

Desvantagens

Com um pouco de conhecimento, é possível se expor um pouco mais aos riscos para encontrar alternativas mais lucrativas. Veja os principais pontos fracos dos Fundos DI:

  • Come-cotas — a antecipação do IR duas vezes por ano afeta a rentabilidade do Fundo. Afinal, são valores que deixarão de contribuir com o rendimento por juros compostos;
  • Sem garantia do FGCembora sejam considerados seguros, os Fundos DI não contam com cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Quando é o melhor momento para investir em DI?

Por se tratar de um produto de baixo risco, os Fundos DI são muito atrativos para investidores conservadores. Embora não tenham a cobertura do FGC, os ativos que compõem um Fundo DI são muito seguros, como Títulos do Tesouro.

Além disso, o resgate imediato que muitos Fundos oferecem também fazem deles ótimas alternativas para reservas de emergência.

Lembrando que vale a pena diversificar a carteira também com ativos como CDB e títulos do Tesouro. Dessa forma, você garante uma posição conservadora dos seus investimentos sem congelar o capital em compromissos duradouros.

Como investir em Fundos DI?

Para adquirir cotas de um Fundo DI é muito fácil. Tudo o que você precisa fazer é abrir uma conta em uma corretora de confiança, como a Ativa Investimentos. Em seguida, basta transferir seu capital de investimento e começar a investir na sua área logada no site ou no aplicativo.

A Ativa Investimentos é uma corretora independente com mais de 35 anos de história. Contamos com um time especialistas para garantir máxima rentabilidade dos investimentos de nossos clientes, além de uma ampla variedade de produtos. Por isso, a Ativa é a melhor opção para você começar a investir em Fundos DI e em outros investimentos. Avalie e comprove!

Neste artigo, você aprendeu o que são e como funcionam os Fundo DI. Lembre-se de que esse produto é excelente para uma posição conservadora no mercado.  Lembrando que vale a pena fazer uma combinação com outros produtos para diversificar a sua carteira com segurança e máximo de rentabilidade.

Agora que você já aprendeu o conceito, que tal aprender na prática a realizar esse investimento? Confira nosso artigo e aprenda um passo a passo para investir em Fundos de Investimento!

Deixe seu comentário

Instagram has returned invalid data.