Mês das noivas: ficou mais caro casar depois da pandemia?

Bom, como tudo pós-pandemia, os casórios não passaram despercebidos quando o assunto é altas nos preços. Os valores para realizar uma cerimônia têm assustado alguns pombinhos que precisaram adiar o sonho do casamento por conta das medidas de distanciamento social pelo mundo.

Depois de muitas dúvidas e remarcações, as festas voltaram a acontecer no Brasil, e muitos estão aproveitando o momento para realizar seus sonhos. Então, aproveitando o mês das noivas, no #AtivaTrends da semana, vamos desvendar quanto está pesando no bolso casar no Brasil pós-pandemia.

2022 é o ano dos casamentos?

Depois de desmarcar e remarcar várias vezes o casamento devido à pandemia, finalmente os casais do Brasil estão podendo realizar seus sonhos de fazer uma festa de casamento. Por conta disso, há uma expectativa de uma explosão de casamentos em 2022.

Segundo a Associação Brasileira de Eventos, a Abrafesta, a previsão para este ano é de que sejam realizados em torno de 1,6 milhão de casamentos. Normalmente, no Brasil, são feitos aproximadamente 1,1 milhão de casamentos anualmente. Ou seja, todo mundo querendo correr atrás do tempo perdido. Mas quanto será que está custando essa retomada no bolso dos noivinhos?

Casórios inflacionados

O aumento de preços generalizado vem influenciando desde a decoração ao bufê da noiva, fazendo com que os casas gastem até o dobro do que planejavam. É fácil encontrar relatos de noivos que inicialmente tinham um orçamento de R$ 20 mil e hoje, esse mesmo orçamento, já passa dos R$ 40 mil.

Nesse caso, as festas adiadas, por conta da pandemia, levou a procura/demanda às alturas. Além disso, vários negócios ligados às festas fecharam suas portas em meio ao isolamento. Ou seja…

Demanda ️ + Oferta ️ = preços lá em cima!

Os dois itens mais caros para quem planeja uma festa de casamento são a decoração, especialmente as flores, e a parte de alimentação e bebidas. Geralmente, é estimado que se gaste 25% do orçamento com alimentos e bebidas e de 35% a 40% com flores, móveis, convites, identidade visual, cobertura ou tenda.

O aumento que tem chamado mais atenção são as flores! Segundo os floristas, algumas espécies de flores de corte, que são as usadas em eventos, chegaram a subir 400%, já que muitos produtores foram plantar outras coisas visando o lucro, enquanto os casamentos não aconteciam. De acordo com a Abrafesta, casar hoje em dia está mais ou menos 30% mais caro que antes da pandemia.

Sobrou até para o véu e grinalda…

E como já era de se esperar, até os vestidos e ternos ficaram mais caros para alugar ou até mesmo mandar fazer. O problema nesse caso dos vestidos é que a maioria dos tecidos é importada e segue a variação do dólar, que recentemente voltou à casa dos R$ 5.

O tecido para a produção dos ternos também sofreu com os reajustes e estão chegando a custar quase 40% mais caro do que no período pré-pandemia.

Resumindo, tá realmente muito caro casar! Por isso que é importante ter uma boa organização financeira, só assim esses pombinhos estão conseguindo realizar seus sonhos de ter uma festa de casamento, mesmo com o aumento dos preços.

Por Eduarda Menezes

Receba conteúdos exclusivos no seu e-mail

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.