Conheça 5 curiosidades sobre o mercado financeiro

Muita gente não sabe, mas existem diversas curiosidades sobre o mercado financeiro que o tornam muito mais interessante do que pode parecer. Afinal, quando falamos sobre investimentos e finanças, a maioria das pessoas logo pensa em um ambiente complexo, repleto de siglas, jargões e números.

No entanto, quando conhecemos mais a fundo as particularidades desse universo, percebemos que ele também traz consigo aspectos muito interessantes. Em alguns casos, eles podem até mesmo servir de atrativo para quem está pensando em iniciar ou expandir suas aplicações.

Quer saber quais são as maiores curiosidades sobre o mercado financeiro? Continue a leitura deste post para conhecer 5 delas!

O que é o mercado financeiro e como funciona?

Simplificando um conceito que confunde a muitos, o mercado financeiro pode ser compreendido como um ambiente onde são negociados produtos financeiros. Na prática, ela representa todo o conjunto de pessoas físicas, empresas, bancos e instituições financeiras que o compõem.

A princípio, podemos dividir os seus participantes entre aqueles que aplicam recursos e aqueles que tomam esses recursos emprestados para devolver no futuro com juros. Essas negociações podem ser lastreadas por diferentes tipos de ativos, como títulos, letras de crédito, ações, e commodities, por exemplo. Muitas dessas operações acontecem na bolsa de valores, instituição que intermedeia a negociação de ações de sociedades de capital aberto, derivativos e contratos futuros.

Dessa forma, o mercado financeiro conecta quem quer investir com aqueles que precisam ser financiados. Além disso, mesmo aqueles que não investem de fato também se relacionam com ele ao tomar empréstimos ou realizar solicitações de crédito, por exemplo.

5 curiosidades sobre o mercado financeiro

Por ser um conceito amplo, é natural que o mercado financeiro tenha uma série de fatos curiosos associados a ele. A seguir, vamos ver 5 situações que você talvez nem imaginasse sobre o tema.

1. Isaac Newton era investidor

Provavelmente você conhece Isaac Newton como um dos mais importantes cientistas de todos os tempos e pai das principais equações utilizadas nas aulas de física. O que muitos não sabem é que ele também tinha seu lado investidor, tendo adquirido ações no ramo de extração de ouro na América do Sul.

Esse era um dos negócios mais promissores na época, já que as terras colonizadas no nosso continente eram uma fonte quase inesgotável desse mineral. Por isso, Newton conseguiu dobrar a quantia inicialmente investida ao liquidar sua posição.

No entanto, ao ver que os títulos continuavam a se valorizar, ele decidiu voltar ao negócio investindo ainda mais. O problema foi que a bolha da mineração no Novo Continente acabou estourando, o que fez com que as ações adquiridas pelo cientista se desvalorizassem rapidamente.

2. O esporte pode influenciar o mercado

Além de mexer com as emoções dos torcedores, os esportes são capazes de impactar também no mercado financeiro. Exemplo disso é que alguns dos principais times de futebol europeus estão listados em bolsas de valores. Por isso, acontecimentos como a contratação de grandes jogadores e a conquista de títulos fazem com que seus papéis se valorizem, ao passo que maus resultados podem derrubar sua cotação.

Já em época de Copa do Mundo, é comum que o volume de negociações na bolsa brasileira caia bastante, até porque a instituição interrompe as atividades durante os jogos da Seleção Brasileira. Em países em que isso não acontece, cada gol marcado pode derrubar o volume diário em 5%.

Em outros países, movimentos semelhantes acontecem com seus esportes mais populares. Na Índia, é comum que a bolsa local caia quando a sua seleção de críquete é derrotada, por exemplo.

3. O Brasil já teve várias bolsas de valores

Atualmente, a B3 é o principal balcão de negociação de ações e diversos outros ativos no país. Localizada em São Paulo, ela é também uma das mais importantes de todo o mundo. Mas, isso nem sempre foi assim.

No início dos anos 1960, cada estado contava com a sua própria instituição responsável pela negociação de ações, que ficava sob o controle do governo local. A primeira a entrar em operação foi a Bolsa de Valores do Rio de Janeiro (BVRJ), ainda do período colonial.

Foi apenas no ano 2000, quando todas as bolsas do país foram unificadas, que as negociações foram transferidas para a Bovespa, em São Paulo. Dois anos depois, a instituição foi incorporada pela BM&F, expandindo ainda mais sua atuação.

4. É possível lucrar com a queda das ações

Pode parecer contraditório a princípio, mas muitas pessoas obtêm bons resultados na bolsa mesmo com a queda de ações. Aplicando a estratégia correta, quem investe pode se beneficiar tanto dos momentos de alta quanto de baixa de seus ativos.

Uma forma de conseguir isso é por meio do aluguel de ações, uma prática recomendada para quem quer manter os papéis a longo prazo. Assim, quem cede as ações recebe um aluguel por isso, ainda que seu desempenho esteja em baixa.

Também é possível apostar em uma operação especulativa chamada de venda a descoberto. Nesse caso, vende-se um ativo sem de fato tê-lo em carteira, com o objetivo de lucrar com sua desvalorização em um determinado período.

5. Crescimento da participação feminina na bolsa

Assim como em diversas outras áreas, as mulheres vêm aumentando sua presença na bolsa de valores nos últimos anos. Para se ter uma ideia, no ano de 2020, a taxa de crescimento do público feminino na B3 foi de 118%. Nesse mesmo ano, as mulheres representaram 26,2% dos 3,2 milhões de investidores pessoa física.

Esse resultado é reflexo do aumento da participação das mulheres no mercado de trabalho e do avanço nos esforços voltados à educação financeira. Além disso, vale destacar que o perfil feminino é diferente na bolsa, com elas se baseando mais em seus objetivos e propósitos do que na rentabilidade das aplicações.

O que achou dessas curiosidades sobre o mercado financeiro? Esperamos que elas te incentivem a começar os seus investimentos e que eles possam ser grandes aliados para enfrentar os desafios de 2022.

E você, conhece mais algum fato interessante que não citamos aqui? Aproveite a seção de comentários abaixo e compartilhe conosco!

Receba conteúdos exclusivos no seu e-mail

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.