O que é inflação e como ela me afeta? | Blog ATIVA
Investimentos

O que é inflação e como ela me afeta?

Desde o ano passado, uma palavra tem se tornado mais frequente no vocabulário dos brasileiros e preocupado milhões: a inflação. A mídia fala em crise financeira, em aumento na taxa de juros e na redução no poder de compra, o que revela um cenário complicado para a população. Mas será que entendemos mesmo como tudo isso nos afeta?

Popularmente, a inflação é entendida como um aumento significativo e persistente dos preços dos bens e serviços. Porém, o conceito não se resume a essa definição. Quer entender o que é inflação e como ela mexe no seu bolso? A gente mostra no artigo de hoje.

O que é inflação?

A definição comum não é totalmente errônea: a inflação ocorre quando há um aumento geral nos custos dos produtos, diminuindo o poder aquisitivo da população. Assim, o dinheiro tem cada vez menos valor, e é preciso pagar mais caro pelos mesmos bens e serviços.

No entanto, antes de se tratar de um simples aumento, a inflação é a expansão da quantidade de moeda circulante em determinada economia. Esse crescimento causa um desequilíbrio na oferta e na demanda: a demanda se expande e o número de compradores fica maior do que o número de vendedores, o que faz os preços dispararem.

No nosso país, a inflação oficial é medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) por meio de um índice chamado IPCA, que estima a oscilação dos preços que chegam ao consumidor. Uma inflação é considerada alta quando chega a mais de 6% anualmente.

Como a inflação me afeta?

Você já compreendeu que uma alta inflacionária mexe no seu bolso porque diminui o seu poder de compra. Entenda agora as outras consequências desse aumento no seu dia a dia.

Desvalorização da moeda

A elevação inflacionária faz com que a moeda do país perca seu valor, e assim os consumidores precisam pagar cada vez mais para consumir produtos e serviços que antes tinham custo mais baixo.

Como os trabalhadores não têm reajustes constantes que acompanhem o ritmo da inflação, acabam não conseguindo comprar os bens, sendo obrigados a cortar gastos.

A desvalorização afeta diretamente as finanças das famílias brasileiras, que se veem impelidas a consumir menos, a procurar sempre por ofertas melhores e até a fazer empréstimos pouco vantajosos. Por essa razão, é comum em períodos de crise ver os jornais relatando muita inadimplência por parte da população.

Alta do dólar

Quando a inflação desvaloriza a moeda de um país, as moedas estrangeiras, especialmente o dólar, realizam o movimento inverso e ficam mais valorizadas fazendo com que os produtos que vêm de fora subam de preço.

A parte da população que tenta importar pela internet como alternativa aos preços altos no país também não vê saída: tudo o que é comprado no exterior custa muito mais caro quando é convertido para o real, reduzindo outra vez o poder de compra do país.

Aumento da especulação financeira

Os investidores externos se aproveitam dos países inflacionados para conseguir retornos altos rapidamente. O capital especulativo prejudica a economia do país que já está sofrendo com a inflação, porque grandes montantes de dinheiro entram e saem rapidamente, o que torna o mercado de câmbio instável.

Aumento do desemprego

Se o país não é capaz de controlar o progresso da inflação, ele sofre diversas consequências em médio e longo prazo.

Uma delas é o aumento nas taxas de desemprego, que normalmente acontece porque o setor produtivo recebe pouco investimento em tempos de crise. A população é quem sente a dificuldade para conseguir um trabalho.

Desvalorização da poupança

Períodos de instabilidade financeira não são propícios para a aplicação na poupança. Isso porque esse tipo de rendimento normalmente fica abaixo da inflação, o que torna a opção pouco atraente para quem quer fazer dinheiro.

Portanto, a poupança tem se tornado uma opção ainda menos rentável e, em vez de gerar ganhos, pode trazer prejuízos para os investidores.

Agora você entende o que é inflação e como ela pode abalar suas finanças. Você já sentiu os efeitos da crise? Responda pra gente nos comentários!

Você deve gostar também
Saiba por que investir por uma corretora de valores
DCI: Cenário eleitoral determina escolha de ações
O terrorismo e o mercado de ações

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.