Renda ativa e renda passiva: entenda as diferenças e desenhe seu estilo de vida

O sistema financeiro se transforma, mas as necessidades das pessoas têm sido as mesmas há gerações. Isso também significa que o desejo de acumular fortuna parte do mesmo princípio há muito tempo. Por isso, precisamos falar sobre renda ativa e passiva.

Afinal, as grandes fortunas são construídas em função da gestão consciente e estratégica dos recursos. Só assim é possível garantir escalabilidade dos rendimentos para que o tempo e o trabalho pessoal não representem uma limitação financeira.

Mas o que é uma renda ativa e qual sua diferença para a renda passiva? Como é possível construir fontes de renda passiva e por que você deveria pensar na questão? Isso e muito mais você vai conferir neste artigo. Então continue a leitura e descubra como desenhar o estilo de vida que deseja. 

O que é renda ativa?

A renda ativa tem esse nome porque pressupõe atividade por parte do indivíduo. É o tipo de renda mais comum e intuitivo e corresponde a toda força de trabalho da sociedade de mercado.

Os empregos, serviços e produtos que consumimos com mais frequência são oferecidos por pessoas que atuam diariamente para que isso seja possível. Em outras palavras, renda ativa é aquela que depende da presença e da atividade regular do indivíduo.

Isso significa que, se o profissional interromper sua atividade (salvo algumas exceções), também interrompe o fluxo da renda. Alguns exemplos de renda passiva são:

  • salários;
  • pró-labores;
  • vendas;
  • prestação de serviço autônomo, entre outros.

O que é renda passiva?

Um engano comum é acreditar que renda passiva não requer nenhum tipo de atividade. Isso só é verdade quando consideramos a força de trabalho direta geradora dos rendimentos.

No entanto, é necessário haver a fundação de uma obra que produza receita exponencial ou o gerenciamento do capital gerador de resíduo. Portanto, por definição, renda passiva é aquela que não requer a atividade constante e direta por parte do indivíduo para que haja produção contínua de riqueza.

Para isso, é importante considerar de maneira judiciosa os recursos disponíveis, seja de tempo ou capital. Afinal, renda passiva, embora seja muito mais confortável de receber que a ativa, ainda requer alguma responsabilidade.

Qual a importância de não contar apenas com a renda ativa?

Renda ativa é a única que gera verdadeiramente riqueza na sociedade. Isso significa que, se você tem uma renda passiva, alguém está trabalhando ativamente para que você possa recebê-la.

Em outras palavras, a renda passiva é geralmente o financiamento de uma atividade que, por sua vez, é a renda ativa de outra pessoa. Isso é importante porque estimula o mercado, gera oportunidades e enriquece os indivíduos mais atuantes da sociedade.

Por outro lado, se você contar apenas com sua renda ativa, você ainda incorre em riscos muito inconvenientes. Um deles é depender da previdência social e ficar à mercê dos caprichos de governantes.

Lembre-se de que em algum momento você terá que se aposentar. Se você não cuidou de criar fontes de renda passiva, seus rendimentos serão interrompidos, o que pode ser muito desagradável no fim da sua vida.

Como criar fontes de renda passiva?

Podemos classificar as fontes de renda passiva em duas categorias: com capital e sem capital. Por isso, é fundamental considerar uma estratégia que leve em conta o tempo de trabalho e os riscos da atividade. Veja a seguir alguns exemplos de renda passiva que você pode examinar enquanto planeja a construção do seu patrimônio.

Negócios

Negócios e empreendimentos são os maiores geradores de riqueza do mundo. Na verdade, praticamente tudo o que é útil na sociedade surgiu das ideias inovadoras de empreendedores que buscavam oportunidades de lucro enquanto serviam à humanidade.

Os negócios podem gerar renda passiva com e sem capital. Quanto maior o capital inicial da empresa, maiores serão as chances de desenvolver um negócio lucrativo e eficiente, que gere renda por gerações.

Dividendos

Outra forma de gerar renda passiva é investir o seu dinheiro guardado em alguma opção que gere renda passiva, como os dividendos.

Para isso, você deve se tornar investidor no Mercado de Ações. Assim, você oferece recursos financeiros a essas empresas em troca de uma participação nos lucros.

Aluguéis

Você também pode receber renda passiva na forma de aluguéis. As duas principais formas para construir renda com essa alternativa são alugando seus bens e propriedades ou participando de fundos específicos para aluguéis. 

Os Fundos Imobiliários são um bom exemplo. Neste caso, você compra cotas de um fundo administrado por uma gestora que trabalha especificamente para conquistar novos inquilinos para suas propriedades. Assim, você recebe uma parte desses valores relativamente a sua quantidade de cotas.

Royalties

Artistas, escritores, inventores e outros profissionais também podem criar renda passiva com suas obras. Para isso, é necessário que outras pessoas queiram reproduzir o seu trabalho. Assim, esses pioneiros têm direito a receber uma parte justa das vendas e reproduções de seu trabalho na forma de royalties.

Como definir seu estilo de vida?

Para construir liberdade financeira, é necessário conciliar de maneira estratégica as rendas passiva e ativa. Com um plano claro e bem estruturado, o estilo de vida que você deseja é questão de organização e atividade direcionada. 

Confira a seguir algumas dicas para construir um fluxo de rendimento inteligente e desenhar o estilo de vida que você quiser a partir dele.

Viva abaixo dos seus rendimentos

A regra de ouro para acumular fortuna começa com gastar menos do que se ganha. Apesar de óbvio, a tarefa é desafiadora e depende de rigor e disciplina. Portanto, desenvolva um plano de orçamento pessoal claro e preciso para que você possa economizar pelo menos 10% dos seus rendimentos.

Assim, você aumenta as oportunidades de geração de renda passiva, conforme o que tratamos nos tópicos anteriores.

Busque novas fontes de renda

Uma vez que você tenha fundos crescentes a partir de economias pessoais, pode começar a investigar oportunidades de investimento. Isso significa capitalizar suas economias, ou seja, colocar seu dinheiro acumulado para gerar mais força de trabalho que produza mais renda, por exemplo:

  1. Fundos de Investimentos;
  2. Renda Fixa;
  3. Ações;
  4. Fundos Imobiliários.

Você também pode otimizar suas rendas ativas, qualificando seu trabalho para que suas horas de trabalho valham mais. Assim, você pode trabalhar por menos tempo em uma única fonte de renda e dedicar atenção à geração de novas fontes.

Construa um plano de crescimento patrimonial

Agora você já sabe como estruturar e administrar múltiplas fontes de renda. Tudo isso pode ser calculado como um único patrimônio. Afinal, é possível se desfazer de quaisquer das suas fontes ao trocá-las com outros investidores pela quantia que parecer justa na negociação.

Por isso, tenha clareza do valor do seu patrimônio na forma de renda ativa e passiva, e busque uma estratégia de crescimento contínuo. Dessa forma, você pode elevar progressivamente seu estilo de vida, sem prejudicar o crescimento dos seus rendimentos. 

Neste artigo, você aprendeu a diferença entre a renda ativa e a passiva. Continue estudando o assunto e descubra como aumentar significativamente seus ganhos. Acesse nosso artigo e aprenda 7 passos para montar uma carteira de investimentos.

Powered by Rock Convert

Invista com a gente!

É prático, rápido, seguro e não tem custo. Você pode acessar sua conta de onde quiser e ainda ter vantagens exclusivas.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.