Conheça as principais siglas de Fundos de Investimento

Powered by Rock Convert

Se você quer diversificar a sua carteira, então precisa conhecer as principais siglas de Fundos de Investimento. Afinal, uma das características básicas dessa aplicação é a sua versatilidade.

Ao investir em Fundos, o investidor pode atacar qualquer mercado e usar qualquer estratégia. De maneira simples, portanto, pode aproveitar qualquer oportunidade que apareça, mas sem precisar se expor significativamente.

No entanto, para poder explorar essa opção, é necessário conhecer as principais siglas de Fundos de Investimento. Afinal, elas são usadas na Bolsa de Valores para classificar cada fundo. Sem saber o que as siglas significam, fica difícil escolher a alternativa certa para você. Para entender melhor esse assunto, siga a leitura abaixo!

Quais são as principais siglas de Fundos de Investimento?

Existem diferentes tipos de Fundos de Investimento. Cada um deles tem uma estratégia, um risco e é indicado para um tipo de investidor. Portanto, para poder diferenciá-lo, existem siglas únicas para cada categoria de fundo. Veja abaixo o significado das principais siglas de Fundos de Investimento!

FI

Esse é simplesmente Fundo de Investimento. Portanto, um FI pode ser qualquer Fundo que existe no mercado financeiro, independentemente da sua estratégia de aplicação.

FIA

Um FIA é um Fundo de Investimento em Ações. Por lei, esse tipo de Fundo deve destinar dois terços (67%) do seu patrimônio para ações ou produtos relacionados (BDRs, cota de Fundos de Índice de Ações e outros). Além disso, os 33% restantes contam com limitações sobre onde podem ser aplicados também;

FIC

Essa sigla significa Fundo de Investimento em Cotas. Portanto, designa um tipo de Fundo de Investimento cuja estratégia consiste em comprar cotas de outros Fundos. Dessa forma, o gestor pode mitigar ainda mais o risco da aplicação ao selecionar várias estratégias diferentes para o patrimônio dos cotistas. O lado negativo é pagar taxa de administração nas cotas compradas pelo fundo e nas cotas do próprio investidor;

FIM

Os Fundos de Investimento Multimercado são a opção mais flexível desse tipo de aplicação. Por regra, podem aplicar em diversas classes de ativos ao mesmo tempo, sem precisar seguir nenhum limite estabelecido por lei;

CP

Já essa sigla designa Fundos de Curto Prazo. Eles têm como foco títulos públicos e de instituições com baixo risco de crédito. Para poder receber essa designação, o Fundo deve aplicar em ativos com, no máximo, 375 dias para o seu vencimento e o tempo médio de permanência na carteira é de 60 dias. Lembrando que o prazo também diferencia o imposto de renda que será cobrado;

LP

Ao contrário do anterior, são os Fundos de Longo Prazo. Portanto, sua carteira deve conter ativos com prazo de vencimento médio superior a 365 dias. Além disso, pode segurar os ativos por quanto tempo achar conveniente dentro de sua estratégia;

REF

Esses são os Fundos Referenciados. O objetivo deles é acompanhar algum índice de referência, como o CDI. Portanto, o patrimônio do Fundo é administrado pelo gestor de maneira a acompanhar o rendimento desse índice, normalmente ao aplicar em investimentos atrelados a ele;

RF

Essa sigla designa os Fundos de Renda Fixa. São Fundos cuja divisão do patrimônio deve colocar, no mínimo, 80% da carteira em títulos de Renda Fixa (sem regra sobre quais). 

DI

Os Fundos DI são Fundos de Investimento cuja carteira é composta por 95% de títulos do Tesouro Direto pós-fixados. Eles podem receber o nome de Fundos DI puros caso sua carteira seja de títulos do Tesouro Selic. A diferença para os Fundos RF é que estes podem ter outros tipos de ativos de Renda Fixa. Por exemplo, CDBs, LCIs ou LCAs. Enquanto isso, os DI devem ter 95% da carteira de títulos do Tesouro Direto mesmo.

Qual o perfil de risco de cada uma?

Cada tipo de Fundo de Investimento tem um perfil de risco específico. Normalmente, ele está atrelado majoritariamente ao tipo ativo presente em seu patrimônio.

Por exemplo, um FIA, composto em dois terços por ações, é mais arriscado do que um RF, cuja carteira é 80% Renda Fixa. Dito isso, é importante considerar qual é o perfil do investidor e seu objetivo com a aplicação.

É o que a velha máxima do mercado financeiro diz: não existe investimento certo ou errado. Existe é a aplicação mais ou menos indicada para você e sua meta pessoal.

Dessa forma, é importante considerar o nível de risco que cada Fundo traz, além da sua compatibilidade com o perfil do investidor e seu objetivo. Por exemplo, um RF pode ser muito útil para quem tem perfil mais conservador. Ao mesmo tempo, um CP é excelente para assumir o papel de reserva de emergência.

Se você não entendeu os exemplos do parágrafo anterior, retorne até a nossa explicação das siglas para compreender.

Como analisar um Fundo de Investimento?

Agora que você já entendeu o que significam as siglas dos Fundos de Investimentos, precisa aprender como analisar cada alternativa do mercado.

O primeiro passo para isso é compreender qual é o tipo de Fundo de Investimento mais adequado para você. Essa resposta dependerá, claro, do seu perfil de investidor.

Quem tiver o perfil mais conservador, menos afeito a riscos, vai preferir os Fundos de estratégia mais conservadora. Fundos RF, LP e, em alguns casos, CP podem ser boas opções.

Para os moderados, qualquer possibilidade serve, talvez com a exceção de alguns FIA. Como o objetivo é equilibrar bem os riscos e ganhos, é importante avaliar as estratégias de cada um. Por fim, os mais agressivos costumam ter afinidade com Fundos que traduzem esse comportamento. FIAs são essenciais, mas FIMs e REFs devem aparecer para diversificação de capital. Lembre-se: só porque o investidor é agressivo, não quer dizer que ele não tenha que diversificar a carteira de investimentos.

Além do perfil, devemos considerar o objetivo da aplicação e se ele é compatível com a estratégia do Fundo. Por exemplo, uma Reserva de Emergência combina bem com um CP, caso as políticas do Fundo permitam liquidez diária. Já um investimento pensando na aposentadoria combina mais com outras opções.

Conclusão

Se você quer ir além de saber o significado das siglas de Fundos de Investimento, então precisa começar a aplicar. No entanto, precisará de uma boa parceria para isso. Afinal, é essencial ter uma conta em uma boa corretora para poder comprar cotas de Fundos de Investimento. Seja qual for o seu perfil ou objetivo, você encontrará as melhores opções das siglas de Fundos de Investimento na plataforma da Ativa Investimentos.

E aí, quer saber como a Ativa Investimentos pode ajudar você a alcançar seus objetivos financeiros? Então abra a sua conta agora mesmo e conheça todas as opções de Fundos de Investimento disponíveis para você!

Invista com a gente!

É prático, rápido, seguro e não tem custo. Você pode acessar sua conta de onde quiser e ainda ter vantagens exclusivas.

ABRA SUA CONTA
Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.