Vai um cafezinho? Cuidado para não pesar no bolso!

Quente, gelado, com leite, com chocolate… independente da forma, quem não ama um cafezinho? Não é à toa é a bebida mais consumida no mundo, junto com a água e com o chá. Mas essa relação se torna ainda mais profunda quando se trata de brasileiros falando sobre café, isso porque o Brasil é um dos maiores produtores de café do mundo!

Em 2020, o Brasil ficou no topo do ranking dos 10 países responsáveis por quase 90% do café produzido globalmente. Foram 63,4M de sacas de 60kg produzidos em solos brasileiros. O verdadeiro país do café! Mas nem tudo é tão bom quanto parece… A crise também atingiu o preço do café nas prateleiras dos mercados (péssima notícia para os amantes viciados em café, né). E esse é o nosso tema no #AtivaTrends da semana! Continua aqui e entenda os aumentos dos preços do café.

Não é só de futebol que vive o Brasil

Oficialmente país do futebol e do café! Historicamente, o Brasil é uma referência quando o assunto é produção de grãos de café. E essa fama segue até os dias de hoje. Quase todo território brasileiro está localizado no Bean Belt, que é uma região entre o Trópico de Câncer e o Trópico de Capricórnio que possui o clima adequado para o cultivo do grão. Ou seja, não só o café, mas muitos grãos saem daqui para serem vendidos no mundo todo por conta das boas condições de plantio.

Fonte: Google Imagens

Esse clima perfeito faz com que o Brasil seja, sozinho, responsável por quase 40% da oferta mundial do grão. As plantações de café cobrem cerca de 27 mil quilômetros quadrados do país. Destaque para o estado de Minas Gerais, que responsável por quase metade da nossa produção. Mas quanto será que essa produção está pesando no bolso?

O preço aumenta e a vontade de tomar café também…

Com certeza você já sentiu a diferença no bolso, afinal, até tomar um cafezinho ficou caro… Diversos fatores influenciaram esse aumento, não só no Brasil, mas em países consumidores do grão também.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, apenas em janeiro de 2022, o preço do café torrado e moído aumentou 4,7%. No ano de 2021, o preço para o consumidor subiu 56%. Ou seja, desde o início da pandemia, o preço da commodity mais que dobrou!

Essa alta é consequência da disparada dos preços no campo. Em fevereiro, a saca do café arábica, que é o mais usado na indústria de torrefação, passou de R$ 485 em 2020 para R$ 1.510, de acordo com o Centro do Comércio do Café de Minas Gerais. O estado é o maior produtor do país e tem registrado queda na produção.

Apesar da alta nos valores, os produtores não viram um lucro maior. Isso porque, com o dólar mais valorizado e a inflação, os custos para a produção também subiram. O café está caro para todo mundo, mesmo! (E a tendência é subir ainda mais)

De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento, o Brasil deve colher mais de 55 milhões de sacas de café, quase 17% a mais do que em 2021. Haja café!

Por aqui o #TimeAtiva vai ficando atento aos próximos capítulos dessa saga do preço do café. E claro, tomando um cafezinho rs.

Por Eduarda Menezes

Receba conteúdos exclusivos no seu e-mail

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.