Small Caps: esclareça 7 dúvidas pertinentes sobre o assunto

Quem quer investir na Bolsa de Valores precisa entender que existem diferentes tipos de Ações. Algumas são robustas e mais confiáveis, pois são de empresas bem estabelecidas e valorizadas. Já outras, como as Small Caps, por serem menores, têm maior risco (e ganho potencial também).

Essa diferenciação dos tipos de Ações não significa, no entanto, que algumas são melhores do que outras. Na verdade, cada tipo de papel atende melhor a uma estratégia específica.

Se a sua atuação na Bolsa ainda está limitada às blue chips (Ações de grande porte), pode ser uma boa ideia diversificar a sua carteira. Quer saber mais sobre as Small Caps para decidir se elas são adequadas para você? Então, siga com a leitura!

1. Como funciona a classificação das Caps?

Antes de falar sobre as Small Caps, é preciso que você saiba exatamente como funciona a classificação das Caps. A categorização é feita pelo valor das empresas em dólar norte americano (US$). Veja abaixo essa classificação e exemplos de empresas com seus valores em Real (R$):

  • Nano Caps: são as menores empresas existentes. Seus valores de mercado são de menos de R$20 milhões. Um exemplo dessa empresa é Bardella (BDLL4), com valor de R$10 milhões;
  • Micro Caps: empresas com valor até R$ 1,2 bilhão. A PortoBello (PTBL3) faz parte dessa classe, seu valor de mercado é de R$650 milhões;
  • Small Caps: consiste nas empresas com valor de mercado de R$ 1,2 bilhão até R$ 8 bilhões. A Grendene (GRND3), por exemplo, vale R$8 bilhões;
  • Mid Caps: valem de R$ 8 bilhões a R$ 40 bilhões. A Natura (NTCO3) vale R$33,5 bilhões;
  • Big Caps: seus valores são de R$ 40 bilhões a R$ 80 bilhões.
  • Mega Caps: têm valor acima de R$ 80 bilhões. Elas são as maiores organizações do mundo, como a Microsoft que vale mais de R$8,3 trilhões.

2. O que é o investimento em Small Caps?

Os critérios específicos para definir uma empresa como uma Small Cap variam um pouco. No entanto, o consenso é que essa empresa tem baixo valor de mercado. Além disso, é comum considerar também que o papel tenha baixa liquidezmenor coberturamaior volatilidade e maior influência do mercado interno na composição do seu valor.

Investir em Small Caps, portanto, é comprar papéis de baixo valor, mas com grande potencial de crescimento. O investidor deve segurar a Ação na esperança de ela ter ganhos significativos em longo prazo.

3. Small Caps são Ações de empresas pequenas?

Não necessariamente. Na verdade, as Small Caps são Ações de empresa com baixo valor de mercado. No entanto, como a capitalização do negócio é também definida pela oferta e demanda dos papéis, mesmo uma empresa líder de mercado pode ser definida como Small Cap.

Um exemplo disso é a Camil. A multinacional brasileira tem representação em diversos países e milhares de funcionários. No entanto, seu papel faz parte do SMLL, índice de Small Caps da Ibovespa.

4. Como começar a investir?

Se você tem o interesse em investir em Small Caps da Bolsa, saiba que esse processo é tecnicamente simples. O procedimento é exatamente o mesmo para comprar Ações de outros tipos.

Basta você entrar no Home Broker da corretora, selecionar os papéis que quer comprar e dar a ordem de compra. Além disso, caso prefira, pode optar por investir em Fundos focados em Small Caps. É uma forma de ter um pouco mais de proteção ao deixar a estratégia na mão do gestor do Fundo.

5. Como escolher as melhores Small Caps em 2020?

Apesar de serem promissoras, não é qualquer Small Cap que trará os ganhos desejados. Entretanto, existem algumas estratégias que você pode aplicar para identificar as melhores oportunidades do mercado. Veja quais elas nos tópicos abaixo.

Faça uma análise fundamentalista

A análise fundamentalista diz respeito aos conhecimentos específicos sobre a empresa. Ao realizá-la, o investidor conseguirá antecipar a performance da empresa em um determinado período de tempo. Entre os estudos que envolvem esse tipo de análise, estão:

  • análise das demonstrações financeiras, incluindo o Balanço Patrimonial (BP) e Demonstração do Resultado do Exercício (DRE);
  • valor da empresa sobre o EBITA (ou LAJIDA), que são os lucros antes dos juros, impostos, depreciação e amortização;
  • cálculo da sua margem bruta;
  • o preço da Ação em relação ao valor patrimonial;
  • retornos para os acionistas;
  • dividend yeld, que são os rendimentos do Dividendo;
  • nível de endividamento da Small Cap; entre outros.

São feitos exames sobre o mercado que envolve a organização (cenário microeconômico). Essa pesquisa inclui uma avaliação das tendências do mercado, comportamento dos consumidores, a formação de preços, cadeia de produção etc.

Considere variáveis macroeconômicas

Analisar o cenário macroeconômico também pode fazer parte da análise fundamentalista, entretanto, esse é um estudo mais complexo e abrangente. A macroeconomia é um campo que verifica os fatores internos e externos que impactam na economia regional, nacional ou mundial.

Um exemplo de variável macroeconômica que altera o futuro de uma Small Cap é a publicação de uma nova lei. Essa norma pode dificultar o funcionamento da empresa, aumentar ou reduzir seus impostos, mudar a sua forma de funcionamento etc.

A imposição de barreira ou abertura da economia por outro país é um exemplo que influencia no desempenho da empresa internacionalmente.

Essas variáveis podem ser internas, que dizem respeito aos acontecidos dentro do próprio Brasil que refletem na Small Cap, bem como externas, que são acontecimentos globais que também beneficiam ou prejudicam a organização.

Entre os principais fatores macroeconômicos que precisam ser estudados pelo investidor, estão:

  • inflação;
  • desemprego;
  • taxa de juros;
  • política fiscal do país;
  • câmbio e política cambial;
  • Produto Interno Bruto (PIB);
  • poder de compra da população (consumo).

6. Quais são os riscos envolvidos?

O significado de Small Caps já indica quais são os riscos específicos desse tipo de Ações. Os dois mais importantes são o de volatilidade e o de liquidez.

No primeiro caso, como as Ações de Small Caps têm baixo volume de negociações, são mais sensíveis a súbitas variações do mercado. Isso gera grande ganho potencial, mas também enorme risco.

Já no segundo caso, o investidor pode ficar preso em uma posição sem conseguir liquidá-la. Isso pode limitar seus ganhos, forçando-o a baixar o preço para conseguir vender o papel.

7. Quem já ganhou muito dinheiro com Small Caps?

Você pode ter começado a ouvir mais sobre o assunto recentemente, mas esse tipo de papel não é novidade. Na verdade, o próprio Warren Buffett fez a sua fortuna com esse tipo de Ação.

Nos anos 1950 e 1960, Buffett investiu muito no que ele chamava de “bitucas de cigarro”. Na verdade, foi assim que ele fez sua fortuna. Para se ter uma ideia, a Buffett Partnership (empresa dele) começou em 1957 com $200 mil dólares.

Em 1969, o patrimônio era de $30 milhões, com 29,5% de crescimento por ano. Nenhuma outra empresa de investimentos ou Fundo conseguiu esse tipo de resultado na história. E tudo alimentado majoritariamente por Small Caps. Investir nas “bitucas de cigarro” como dizia Buffet, pode ser bastante lucrativo, desde que o investido saiba como analisá-las.

Gostou do artigo? Então compartilhe este material nas suas redes sociais para que seus colegas, amigos e familiares aprendam sobre o assunto!

Powered by Rock Convert

Invista com a gente!

É prático, rápido, seguro e não tem custo. Você pode acessar sua conta de onde quiser e ainda ter vantagens exclusivas.

ABRA SUA CONTA
Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.