tesouro direto

Tesouro Direto: veja como escolher o melhor título para investir

Powered by Rock Convert

Se você tem pesquisado opções de investimento que rendam mais do que a Poupança, com certeza já ouviu falar do Tesouro Direto. Afinal, essa é uma das modalidades de aplicação financeira mais famosas do mercado nacional.

Para quem busca por uma opção de Renda Fixa que tenha boa rentabilidade e segurança para investir em longo prazo, o Tesouro Direto pode ser a opção ideal. No entanto, saiba que a aplicação conta com diferentes títulos para escolha, cada um com seu próprio conjunto de regras.

Se você quer dominar o Tesouro Direito e investir nessa opção sem cometer erros, siga com a leitura deste artigo para aprender sobre essa modalidade de aplicação financeira!

O que é o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é uma modalidade de investimento financeiro criada pelo Tesouro Nacional para que as pessoas físicas possam comprar títulos da dívida pública brasileira diretamente pela internet.

Sendo uma aplicação de Renda Fixa (ou seja, a rentabilidade ou fórmula de cálculo do rendimento são conhecidos na hora do investimento), o Tesouro Direto é uma das aplicações financeiras favoritas dos brasileiros. Um dos motivos é que ela é muito democrática (é possível começar a investir com pouco mais de R$30,00), além de oferecer liquidez diária nos seus papéis.

Para investir no Tesouro Direto, é necessário ter uma conta em uma corretora ou banco, o que costuma gerar uma taxa de administração. Mas a boa notícia é que existem corretoras que operam com taxa zero nesse tipo de transação.

Sobre os rendimentos da aplicação no Tesouro há incidência de Imposto de Renda regressivo. Dessa forma, quanto mais tempo você ficar com o dinheiro investido, menos impostos pagará.

Como esse investimento funciona?

Explicando de maneira simples, o Tesouro Direto é como emprestar dinheiro para o governo. O investidor compra um título da dívida pública por determinado valor e com uma data de vencimento específica.

Durante esse período, o governo fica com o dinheiro e o utiliza em obras de infraestrutura, saúde, educação ou outras áreas.

Essas obras realizadas pelo governo geram um retorno financeiro direto ou indireto, por via de impostos ou de ganhos na atividade econômica. É com esse retorno que o governo pode pagar o rendimento prometido na emissão do título.

Para o investidor, o Tesouro Direto é muito flexível e simples de operar. Você compra um título (ou parte dele) e o dinheiro fica investido. Quando a data de vencimento chega, você recupera o valor aplicado mais juros. Ou, dependendo do tipo do título, você recebe juros semestrais até o fim da aplicação.

Em termos de rentabilidade dos títulos, as opções são prefixadas ou pós-fixadas lastreadas em indexadores econômicos como a Taxa Selic ou o IPCA (que mede a inflação).

Existe algum risco de emprestar dinheiro para o governo?

É fato que não existe um investimento 100% seguro no mercado financeiro, mas o Tesouro Direto é o que chega mais próximo disso.

Como o investimento é feito diretamente com o Tesouro Nacional (que tem a prerrogativa de emissão de moeda, caso necessário), a única hipótese dos títulos não serem honrados é se o governo brasileiro cair por alguma razão. O que é muitíssimo improvável.

Por isso, dá para dizer com segurança que investir no Tesouro Direto é uma das opções de aplicações mais seguras do mercado financeiro no Brasil.

Quais são os tipos de títulos?

Dentro do sistema do Tesouro Direto, existem 5 tipos de títulos à venda, cada um com suas características diferentes. Não há um “melhor título”, e sim o que é mais indicado para cada investidor.

Cada um dos tipos de títulos públicos se divide em três grupos: prefixados, indexados pelo IPCA e pós-fixados. Conheça cada um deles a seguir.

Tesouro Prefixado (LTN)

Nesse tipo, a rentabilidade já é determinada no momento da compra. Ou seja, você sabe exatamente o que vai receber, se manter o título até o vencimento, não importando a taxa de juros.

O Tesouro prefixado traz segurança ao investidor. O risco é de perder para a inflação futura. É recomendado para quem tem objetivos em longo prazo.

Tesouro Prefixado com juros semestrais (NTN-F)

Parecido com o tesouro prefixado, já é possível saber a rentabilidade quando se faz o investimento. A diferença é que, neste título, também se recebe juros a cada 6 meses.

Também é indicado a quem precisa saber o valor que vai receber na hora do resgate, quando compra o título.

Assim como Tesouro Prefixado, o risco é de perder para a inflação futura. É recomendado para quem deseja complementar renda.

Tesouro Selic (LFT)

Nesse caso, a rentabilidade está atrelada à taxa Selic — taxa básica de juros. Portanto, a remuneração do investidor é variável, uma vez que é definida no momento da compra do papel. Também não há risco de perder dinheiro com a volatilidade do mercado.

É recomendado para quem quer fazer uma reserva de emergência, já que é possível resgatar o dinheiro sem oscilação. E também, claro, para quem acredita que a taxa básica de juros vai subir.

Tesouro IPCA+ (NTN-B)

Se você optar por este tipo, ganhará por meio de uma taxa de juros prefixada — que é determinada na hora da compra do título — acrescida da variação da inflação. Ou seja, você já sabe de antemão qual será o retorno real do investimento.

Se vender o título antes do vencimento, o Tesouro Nacional paga de acordo com o valor de mercado. Então, você pode ficar sujeito a maior ou menor rentabilidade.

O IPCA+ é recomendado para quem deseja ter um dinheiro guardado para utilizar em longo prazo, como na aposentadoria. Recomenda-se também para a manutenção de compra no futuro, já que protege da inflação.

Tesouro IPCA com juros semestrais (NTN-B)

A rentabilidade desse tipo de título é igual à do Tesouro IPCA+. Entretanto, o investidor recebe juros a cada 6 meses.

É um título interessante para quem deseja utilizar o rendimento para complementar a renda. Também mantém o poder de compra, já que protege da inflação.

Como começar a investir no Tesouro Direto?

Agora que você já aprendeu sobre a aplicação no Tesouro Direto, só falta abrir uma conta em uma corretora e comprar seu primeiro título.

No entanto, é importante escolher a corretora correta para otimizar as suas aplicações em títulos público. Afinal, os bancos tradicionais e algumas corretoras cobram taxas de administração em cima do seu rendimento com o Tesouro Direto.

Nesse sentido, a Ativa Investimentos é a melhor corretora possível para você começar a investir no Tesouro Direto. Além de termos mais de 35 anos de experiência no mercado financeiro, oferecemos assessoria sem custo para que você possa planejar suas aplicações com sucesso.

Além disso, não cobramos taxa de administração para investimentos no Tesouro Direto, o que maximiza os seus ganhos. Para completar, não há nenhum custo para abrir a sua conta.

Ficou interessado e quer começar a investir com o Tesouro Direto agora mesmo? Então, entre em contato com a nossa equipe e saiba como abrir uma conta gratuita na Ativa Investimentos!

Invista com a gente!

É prático, rápido, seguro e não tem custo. Você pode acessar sua conta de onde quiser e ainda ter vantagens exclusivas.

ABRA SUA CONTA
Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

10 Comentários

  1. Se eu quiser fazer uma de trinta reais todos os meses eu tenho um depositar os trinta reais? Eu tenho uma poupancinha e tbm um investimento na previdência privada abri esses dias tenho que esperar vencer,mas quero saber se pra investir no tesouro
    Com 30 reais se eu preciso manter um compromisso de todo mês colocar esse dinheiro?

    1. Olá, Sônia, tudo bem? Obrigada por acompanhar o nosso blog. Você não precisa necessariamente colocar o dinheiro todo o mês. Você pode investir quanto quiser e quando quiser. Estamos à disposição para m,ais dúvidas no sias úteis, das 9h às 19h. Atendimento: 4007 2447 para Capitais e Regiões Metropolitanas e 0800 285 0147 para Demais Regiões.

  2. Isto é feito por banco como faço o depósito e deixo lá como rende juros, tenho tempo determinado para não mexer, e se caso quero resgatar queria estás informações pq poupança não é muito rentável este procedimento é seguro?
    No

    1. Boa noite, Adriana, obrigada por acompanhar o nosso blog. Sim, o Tesouro Direto é mais seguro que a poupança. Você também pode resgatar sim. Se você quiser saber mais informações, você pode falar com o nosso atendimento e eles irão te orientar melhor:
      Dias úteis, das 9h às 19h. Atendimento: 4007 2447 para Capitais e Regiões Metropolitanas e 0800 285 0147 para Demais Regiões.

  3. Eu quero investir mas não sei como pois é para curto prazo

  4. Boa noite, quando eu precisar de resgatar o dinheiro ele vai vem para minha conta ou para, conta da corretora?

    1. Olá Márcio. A conta é exclusiva sua aqui na Ativa Investimentos. Ao abrir uma conta, você cria a sua conta, totalmente personalizada.

  5. Bom Dia

    Eu fico aplicador valores mensais?

    Posso aplicar mensalmente assim como na poupança?

    1. Olá Suely, isso mesmo. Você pode fazer aportes mensais, como na poupança. A diferença é que tem mais rentabilidade e ambos tem a mesma segurança.

  6. Sim estou querendo compra mais a minha conta ficou negativado .

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.