Analista de Research: quais são os pré-requisitos para se tornar um (a)?

O profissional de Research é o responsável por cobrir e analisar ativos e empresas das mais diversas áreas, com o intuito de auxiliar o cliente na hora de escolher as melhores opções para investir. É ele (a) quem vai interpretar dados e utilizar ferramentas para compreender e prever a perspectiva comportamental de um determinado título.

O time costuma ser dividido em grupos de acordo com a sua especialidade. Dentro de uma equipe, podemos encontrar especialistas em consumo, internet, saúde, energia, mineração, tecnologia, telecomunicações, entre outras áreas. Sergio Berruezo, analista de Research do #TimeAtiva, conversou conosco sobre como é ser um profissional da área. Continue a leitura para descobrir!

Como é o dia a dia de um analista de Research?

No geral, a rotina  de um profissional dessa área envolve formulários e balanços trimestrais das empresas cobertas. A principal técnica utilizada pelo time para avaliar ações listadas em Bolsa e produção de relatórios de recomendação, em que ele expressa a sua visão de compra, neutralidade ou venda para as ações da empresa. Esse trabalho é conhecido como análise fundamentalista.

O analista de Research é responsável ainda por elaborar relatórios dos resultados trimestrais, relatórios setoriais e comentários de notícias relevantes das empresas cobertas, além de participar da elaboração das carteiras recomendadas.

O que é preciso para se tornar um analista de research?

A formação do profissional pode ser nos cursos de Administração, Economia, Engenharia, Estatística ou áreas correlatas. Além disso, é necessário possuir a certificação CNPI, da Apimec. Essa certificação é obrigatória no mercado brasileiro para que o profissional seja habilitado a assinar os relatórios de recomendação de investimentos.

Além disso, é essencial ter o conhecimento a respeito da elaboração de modelos de valuation. Esse é oprocesso pelo qual se avaliao valor de determinado ativo, financeiro ou real. Nesse caso, é de extrema importância ter conhecimentos em contabilidade e finanças corporativas. O inglês também será um diferencial, já que muitos relatórios são elaborados na língua estrangeira.

Cerificação CNPI

O Certificado Nacional do Profissional de Investimentos, emitido pela Apimec, é obrigatório para quem quer ser Analista de Valores Mobiliários e, consequentemente, falar sobre a compra e venda de ativos. Ele é dividido em 3 categorias: CNPI para analista fundamentalista, CNPI-T para analista técnico e CNPI-P para analista pleno (fundamentalista e técnico).

No Brasil, o número de profissionais que possui o certificado ainda é baixo, então ser certificado (a) ou estar estudando para tirar a certificação é sempre um diferencial no currículo.

De acordo com Sergio, essa é uma profissão bem interessante para aqueles que gostam de aprender coisas novas. “Os setores e as empresas são muito diferentes, então o analista sempre vai encontrar situações em que precisará se adaptar. Além disso, o mercado corporativo hoje é muito dinâmico e as empresas estão em constante transformação, de modo que é uma profissão com pouca rotina”, explica.

Gostou de conhecer essa profissão? Continue de olho aqui no #BlogDaAtiva que, em breve, iremos trazer outros artigos para você conhecer os bastidores do #TimeAtiva!

Para impulsionar os seus investimentos, assine nossa newsletter para mais conteúdos exclusivos

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.