Os desdobramentos do déficit fiscal e o monitoramento dos leilões do Tesouro

No Palavra do Especialista de hoje, abordaremos o atual déficit fiscal e como tal situação leva a uma forte necessidade de emissões do Tesouro. Além disso, discorreremos sobre os desdobramentos da necessidade de emissão de título e a expectativa de emissão por vértice de cada tipo de título. Por último, exporemos o novo produto da Macroeconomia Ativa: o Mapa Renda Fixa!

A relação entre o déficit fiscal e o Tesouro

Como sabemos, em decorrência da pandemia, a situação fiscal do Brasil, que já era delicada, se agravou. Os gastos do governo, de suporte à saúde, pessoas e empresas, fez com que projetássemos um déficit de R$ 950 bilhões para esse ano. Evidentemente, o suporte do governo se faz necessário em situações de calamidade pública e nosso objetivo nesse texto não é discutir o mérito do gasto, mas sim seus desdobramentos.

A fim de financiar a necessidade de gastos excedentes, o Tesouro foi acionado para emissão de títulos através dos agendados e famosos leilões de títulos públicos.

Tal emissão não é feita de qualquer modo, tendo objetivos relativamente claros. Como qualquer gestor, busca-se minimizar custos e riscos, bem como maximizar lucros. No caso do Tesouro, a minimização de custos é central, sujeito aos riscos de refinanciamento.

Assim, com uma curva steepada (curto barato e longo mais caro), o Tesouro tem privilegiado os vencimentos mais curtos, sem que para isso incorra em uma elevação sobremaneira do risco de financiamento.

Tendo isso em mente, a autoridade revisou o Plano anual do financiamento (PAF), que determina as balizas das emissões que o gestor deverá cumprir ao termino de 2020. Na tabela abaixo, podemos observar os intervalos que o Tesouro deverá atingir até dezembro deste ano.

É com base na premissa de cumprimento dos parâmetros estipulados pelo PAF que criamos o relatório da Ativa Investimentos: Mapa Renda Fixa.

Evidentemente, adequamos a esses parâmetros a nossa estimativa de déficit primário que acarreta em uma necessidade de financiamento diferente do proposto pela autoridade.

Nossas projeções

Na tabela abaixo, temos as nossas projeções de como estará cada uma das alíneas em dezembro desse ano. Notadamente, o déficit primário de R$950 bi projetado por nós, mediante a impossibilidade de utilização do colchão de liquidez, eleva em cerca de R$ 150 bi o montante que o Tesouro terá que emitir esse ano, colocando o estoque da DPF em R$ 4,7 tri.

Deste modo, para que todos os pontos na tabela acima elencados sejam cumpridos, precisamos projetar a distribuição de emissão por tipo de título e vértice já presente no cronograma.

Como podemos ver na tabela abaixo, os títulos prefixados, em especial as LTNs de 21, serão privilegiados nas emissões para que se cumpra o parâmetro mínimo de percentual de títulos vincendo em 12 meses (24%). Contudo, as prefixadas chegam ao seu limite máximo (34%), o que permite a alocação em outros tipos de títulos.

Como em leilão recente as LFTs não tiveram grande saída, avaliamos que as NTN-Bs serão o instrumento utilizado pelo Tesouro para escoar a necessidade de emissões. Entretanto, tendo em vista os percentuais de prazo médio, é necessário que os vencimentos das Bs não sejam tão longos, o que privilegia o papel com vencimento em maio de 2025.

No final das contas, estimamos que as LTNs abr/21, out/21 e a NTN-B mai/25 deverão ser os grandes privilegiados das emissões no último quadrimestre do ano. Tal volume, principalmente das prefixadas, tem zeragem de risco no mercado de DIs, ensejando elevações nas casadas, que é o diferencial entre os equivalentes de DIs e títulos, mas isso é um papo para outro artigo.

Mapa Renda Fixa: nosso novo relatório

Essas e outras informações podem ser encontradas em um novo produto do departamento Macroeconômico da Ativa Investimentos: o Mapa Renda Fixa. Em sua plenitude, o relatório é muito mais complexo e explicativo, seguido de comentários do time de especialistas e gráficos para acompanhamento aprofundado.

O relatório estará disponível sempre às quintas-feiras e é exclusivo para clientes da Ativa Investimentos. Basta procurar o seu assessor ou entrar em contato pelos nossos canais de atendimento. Se você ainda não é cliente, clique aqui e abra sua conta!

Em caso de dúvidas, utilize o campo dos comentários ou fale com um de nossos especialistas pelos canais de atendimento. Te espero no próximo Palavra do Especialista!

Invista com a gente!

É prático, rápido, seguro e não tem custo. Você pode acessar sua conta de onde quiser e ainda ter vantagens exclusivas.

ABRA SUA CONTA
Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.