O que é Compliance? Entenda sua importância para os investimentos

Se você pretende investir no mercado financeiro com segurança, precisa saber o que é Compliance. Afinal, apesar de ser um “termo da moda”, essa palavrinha pode ser muito importante nos seus investimentos.

Isso acontece porque aplicar seu dinheiro, seja na Bolsa de Valores, seja na Renda Fixa, significa lidar com o risco. Portanto, o investidor iniciante precisa saber quais são as regras do jogo para fazer as suas decisões de forma consciente.

Se as regras não forem seguidas por alguém, o resultado é uma fraude e isso é péssimo para todos. Quer aprender o que é Compliance e como ele afeta seus investimentos? Então siga a leitura abaixo!

O que é Compliance?

O termo Compliance tem origem no idioma inglês e vem do verbo “to comply”. Em português, a tradução mais adequada seria algo como “agir em conformidade” ou “seguir as regras”.

Portanto, Compliance é um conjunto de ações com objetivo de garantir que organizações cumpram com as suas obrigações. Essas responsabilidades podem ser de todos os tipos, como ambientais, corporativas, jurídicas, fiscais ou de consumo.

Normalmente, o Compliance se traduz como uma estrutura interna de uma organização. O objetivo é criar mecanismos que são independentes das pessoas e que garantam que a instituição seguirá as regras. Portanto, saber o que é Compliance é importante para identificar os melhores parceiros de negócios para você.

Qual sua aplicação no mercado financeiro?

No mercado financeiro, o Compliance tem aplicação direta na classificação de risco e na opção de aplicações dos investidores. Afinal, todo mundo que investe faz análises de risco e recompensa a cada real aplicado em um ativo ou outro.

O fato é que, tanto no Brasil quanto no mercado internacional, existem estruturas que determinam regras para o jogo financeiro. Por aqui, essas regras são estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional, bem como diversas outras entidades reguladoras e autorreguladoras. Por exemplo:

  • Comissão de Valores Mobiliários (CVM): determinadiretrizes para os investimentos que existem no Brasil, como devem ser anunciados e regras de comportamento;
  • Superintendência de Seguros Privados (Susep): faz a regulamentação do mercado de Previdência Privada aberta, capitalização e seguros;
  • Banco Central do Brasil (Bacen): é o órgão central do sistema financeiro, responsável por executar as políticas monetárias e cambiais do país. Além disso, é também agente fiscalizador do mercado;
  • B3: é a Bolsa de Valores, entidade privada devidamente autorizada a funcionar como órgão de registro e fiscalização dos investimentos no país;
  • Tesouro Nacional: órgão que emite e negocia títulos públicos;
  • Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima): monta regras para regular as empresas que participam do mercado financeiro.

O trabalho de todas essas entidades financeiras é garantir que haja um jogo limpo entre os atores do mercado. Portanto, elas determinam quais são as regras e garantem que ninguém enganará ninguém, levando ao prejuízo financeiro.

No entanto, é claro que nem sempre as regras são seguidas e, nessa hora, é necessária a intervenção desses órgãos. Assim, estabelece-se a confiança necessária para poder investir no mercado.

Além disso, é importante falar sobre o Compliance dentro de uma estrutura de sustentabilidade corporativa. Afinal, como mencionado antes, as empresas usam essa estrutura como uma forma de garantir o cumprimento de suas obrigações. Essas responsabilidades são de muitas naturezas, tais como ambiental, jurídica e administrativa.

Portanto, o Compliance tem a importante funçãode garantir a sustentabilidade corporativa e empresarial de um negócio. Ele ajuda a assegurar que a empresa e seus funcionários sempre seguirão as leis, além de boas normas e práticas empresariais.

Para quem investe em empresas, seja por meio da compra de ações, seja pela compra de títulos emitidos, é essencial a presença do Compliance. Afinal, essa estrutura interna faz com que os resultados da empresa sejam mais previsíveis. E previsibilidade é igual à segurança, estabilidade e rentabilidade no mercado financeiro.

Por que o Compliance é importante no mercado financeiro?

O mercado financeiro é, como várias outras construções sociais, um ambiente que depende da confiança. Pense, por exemplo, na compra de um título público do Tesouro Direto. Esse investimento baseia-se totalmente na confiança de que o Tesouro Nacional será capaz de pagar o título no futuro.

Se não houver essa confiança, é necessário aumentar a remuneração (nesse caso, a taxa de juros) para atrair investidores. Entretanto, há um limite até mesmo para o quão atraente é uma remuneração em relação ao risco. Quando os atores de um jogo param de seguir as regras, toda a relação baseada em confiança sucumbe.

Voltando ao nosso exemplo, suponha que você comprou um título do Tesouro Direto com rendimento de 5,50% ao ano. No entanto, na data de vencimento, o Tesouro Nacional simplesmente se recusa a pagar essa rentabilidade. Isso não acontece na vida real, mas, caso acontecesse, você provavelmente iniciaria um processo e nunca mais compraria títulos públicos.

Isso ocorre porque haveria uma quebra de confiança entre você e o agente que emitiu o investimento que foi comprado. O mesmo pode acontecer com absolutamente qualquer tipo de investimento no mercado.

Afinal, como mencionamos antes, o mercado financeiro depende da confiança no cumprimento das regras. Ainda que se desconfie que alguns atores possam dar sinais diferentes, é essencial confiar no sentido de que todos estão seguindo as regras.

É por isso que o Compliance é essencial dentro do mercado financeiro. Sem ele, fica muito mais difícil saber em quem confiar, onde colocar o seu dinheiro e como investir.

Sem essa confiança, portanto, todo investimento fica automaticamente mais caro. Afinal, é preciso uma rentabilidade maior para compensar pelo risco extra de investir. Com aplicações mais caras, menos gente investe, há menos liquidez no geral e todos perdem.

Logo, é importante que você saiba o que é Compliance para poder aplicá-lo no mercado. Do ponto de vista do investidor, é essencial conhecer as regras e as estruturas de todas as empresas para segui-las.

Por exemplo, ao estudar como escolher uma empresa na Bolsa de Valores, é importante ver o comprometimento com suas obrigações. Empresas com uma Estrutura de Compliance mais rígida tendem a ter menos problemas e, dessa forma, podem crescer de maneira mais sustentável.

Pronto, agora você já sabe o que é Compliance, qual a sua importância e como ele ajuda o mercado financeiro a existir. Com base nisso, já pode aumentar a segurança da sua carteira de investimentos. Comece agora mesmo! Abra sua conta gratuita na Ativa.

Deseja receber nossos conteúdos no seu e-mail?

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.