MACD: o que é e como funciona esse indicador

Antecipar as tendências na Análise Técnica durante o Day Trade pode valer muito dinheiro. Por isso, faz sentido se municiar de todas as ferramentas que possam ajudar nessa tarefa. Isso inclui, claro, dominar o Indicador MACD.

Esse indicador, como veremos no artigo a seguir, pode emitir fortes sinais de aceleração ou reversão de tendências nos preços de um ativo. Apesar de não ser infalível (nenhum indicador é), o MACD provê insights muito valiosos para o trader que souber utilizá-lo.

Quer saber como o Indicador MACD funciona e como utilizá-lo na sua Análise Técnica? Então, siga a leitura do artigo com atenção até o fim!

O que é MACD?

O MACD é um indicador de Análise Técnica que vem do termo Moving Average Convergence-Divergence. Em português, seria algo como Média Móvel de Convergência/Divergência. Sua função é, portanto, analisar a convergência e a divergência entre duas médias móveis.

Ao fazer a análise dessa convergência (ou divergência) entre as médias, é possível identificar tendências de alta ou de baixa nos preços de um ativo. Além disso, ele também ajuda a identificar quebras de tendências. Assim, o investidor obtém sinais importantes para se posicionar no mercado.

Ao todo, o indicador MACD é composto por três componentes diferentes:

  • um Sinal;
  • um Histograma;
  • o próprio MACD.

O MACD é a diferença entre duas Médias Móveis Exponenciais (MME), considerando dois períodos distintos — falaremos mais sobre esse cálculo em breve.

No entanto, o foco aqui é que essa média é um dos componentes do indicador, que tem como objetivo “anular” o atraso natural de médias móveis de períodos curtos e médios.

Já o Sinal é uma outra MME, só que de curtíssimo prazo — normalmente, usa-se uma média de 9 períodos. Por fim, o Histograma é a diferença entre o MACD e o Sinal, normalmente representado por um gráfico de barras.

Quando o Histograma é negativo, o ativo está em tendência de baixa. Quando é 0, é sinal de reversão de tendência. Já quando o componente é positivo, o ativo está com tendência de alta.

Como usar esse indicador na Análise Técnica?

Por ser um gerador de sinais de compra e venda, o Indicador MACD é uma maneira de prever movimentos do mercado. Portanto, seu uso é mais comum (e eficaz) para identificar o começo ou fim de uma tendência, a tempo de se posicionar para aproveitá-la.

Isso acontece com mais frequência quando a linha do MACD cruza a do Sinal. Se o cruzamento acontece em sinal de alta, a tendência é que aquele ativo se valorize em breve. O oposto é verdadeiro: se o MACD cruza a linha de Sinal em baixa, o ativo tende a fazer um movimento de baixa.

O Histograma também é muito útil nesse momento. Apesar de ser apresentado em forma de gráfico de barras, esse componente do indicador é calculado fazendo a subtração entre o MACD e o Sinal.

Logo, se o Histograma está negativo, mas começa a subir, é sinal de que pode haver um movimento de tendência de alta no ativo. O oposto também é verdadeiro e, nesse caso, ele começa a aparecer antes do MACD cruzar com o Sinal — disparando alertas mais cedo.

Como o MACD é calculado?

O cálculo do MACD é feito utilizando duas MMEs: uma de um período mais curto e outra de um período médio. O padrão do mercado é usar 12 períodos para a média curta e 26 para a de período médio.

Assim, a fórmula de cálculo do MACD é:

  • MACD = MME (12) – MME (26)

Vale lembrar que esse é o padrão do mercado por causa da época em que esse indicador foi idealizado. O MACD foi apresentado pela primeira vez em 1960 por Gerald Appel. Na época, a semana útil para investimentos tinha 6 dias. Assim, a ideia era que a média mais longa durasse 1 mês, a média mais curta durasse 2 semanas, e o Sinal fosse de 1 semana e meia.

Você pode configurar o seu indicador MACD como quiser. No entanto, tenha em mente que usar médias mais curtas ou mais longas afetará a eficácia do sistema.

Na prática, médias menores são muito mais sensíveis. Logo, vão detectar mais reversões — mas também darão mais falsos positivos, pois são mais afetadas pelo ruído do mercado. 

Já as médias mais longas não darão tantos falsos positivos. No entanto, demorarão mais tempo para detectar uma reversão de padrão, o que pode ter custo de oportunidade.

Portanto, vale a pena testar outras configurações até encontrar aquela adequada para o seu perfil de investidor. 

Quais são as vantagens desse indicador?

Como qualquer indicador ou rastreador de tendências na Análise Técnica, o MACD tem suas vantagens e desvantagens.

Veja, a seguir, as principais vantagens de utilizar esse indicador em sua análise técnica.

Ajuda a identificar oportunidades de saída e entrada

O benefício central do MACD é a sua capacidade de ler e identificar potenciais reversões de tendência. Assim, o trader ganha mais um indicativo de que deve sair ou entrar em uma posição durante sua análise.

É muito simples de usar

Apesar de ser um pouco complexo de entender esse indicador, ele é bastante simples de usar. Basta acompanhar o cruzamento das linhas do MACD e do Sinal, para identificar oportunidades de interesse.

É personalizável

Como mencionamos, o indicador usa, por padrão, médias de 12 e 26 períodos. No entanto, é possível alterar esse padrão conforme a sua estratégia. Portanto, permite personalização em seu setup.

Quais são as principais desvantagens do MACD?

Apesar dos benefícios citados acima, também existem algumas desvantagens no uso do indicador MACD. Veja quais são!

Não é infalível e pode gerar falsos positivos

Nenhum indicador é infalível — e o MACD não foge à regra. É possível que ele gere falsos positivos devido à sensibilidade do Sinal (que é de 9 períodos, tradicionalmente).

Há como “corrigir” isso, mas a custo de oportunidades. Portanto, ele deve ser usado sempre com outros indicadores.

Não permite comparar ativos

O MACD não é indicado para quem busca comparar tendências entre ativos. Isso faz com que ele não seja uma ferramenta recomendada para qualquer abordagem.

Pronto! Agora que você já viu todas essas informações sobre o MACD, pode começar a usá-lo na prática em suas análises. É claro que esse indicador não é infalível, portanto, deve ser usado em conjunto com outros.

Para turbinar o setup do seu Home Broker, preparamos um artigo que ensina como selecionar indicadores e rastreadores de tendência. Leia para aprender e aumentar a eficácia das suas análises!

Para impulsionar os seus investimentos, assine nossa newsletter para mais conteúdos exclusivos

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.