Preceitos financeiros: o que são e como eles podem te prejudicar?

Ter uma visão crítica sobre o mundo e a sociedade é algo extremamente importante para o desenvolvimento pessoal, uma vez que ajuda você a navegar as suas escolhas com mais inteligência e sabedoria.

Mas algumas ideias, mesmo que passem a impressão de refletir essa postura crítica e sagaz, podem na verdade trazer prejuízos para você e o seu crescimento. É o caso dos preceitos financeiros, que geram ideias equivocadas sobre dinheiro e enriquecimento.

Eles podem ser superados, mas antes disso você precisa entendê-los. Por isso, preparamos este artigo, e nele você vai entender o que são esses preceitos, por que eles podem ser um problema para você e alguns exemplos dos principais que você deve evitar. Boa leitura!

O que são preceitos financeiros?

Eles representam ideias que fazem parte do senso comum sobre o que é ser rico ou, de maneira mais ampla, como funcionam os mecanismos que levam uma pessoa a enriquecer.

Não há problema em criarmos a nossa opinião a partir do que vemos e ouvimos, mas é muito importante saber diferenciar os fatos dos mitos.

Uma atitude saudável com o dinheiro, e portanto com os seus objetivos financeiros, depende dessa visão mais apurada, até para que você não reproduza crenças limitantes que possam prejudicar o seu próprio potencial de enriquecer e explorar ao máximo as suas habilidades.

Como eles podem atrapalhar um investidor?

Se você ouve a vida toda que manga com leite faz mal, e decide agir de acordo com essa crença de maneira automática, vai evitar ao máximo tomar uma saborosa vitamina de manga, certo?

Em relação aos preceitos financeiros, a lógica é a mesma. Caso você paute as suas decisões financeiras a partir da noção de que investir é algo essencialmente ruim, ou que pessoas ricas têm caráter duvidoso, por exemplo, vai agir de forma a ficar parado na sua zona de conforto, abrindo mão do seu potencial de ganhar mais dinheiro e fazer com que ele trabalhe para você.

Quais são os exemplos de preceitos financeiros?

Para que as suas ações reflitam o espírito de empreendedorismo e crescimento que vai te permitir avançar rumo aos seus objetivos e à sua liberdade, é muito importante primeiro trabalhar o seu próprio pensamento.

Para te ajudar nessa missão, trouxemos abaixo os principais preceitos financeiros que precisam ser repensados.

Pessoas ricas são tristes

Em muitos filmes, novelas e até nas colunas sociais, quando as pessoas mais abastadas são retratadas, sempre dá a impressão de que elas são imersas em problemas emocionais e afetivos, ou que têm dificuldade em se conectar com as pessoas.

Essa imagem cria a ideia de que quem ganha muito dinheiro fica deprimido, e passa a viver como se estivesse em uma redoma de vidro, isolado e sem amigos ou amores reais. É uma noção muito triste, e extremamente diferente da verdade.

Assim como é o caso com pessoas pobres, existe gente rica que vive com alegria e determinação, e gente rica que leva o dia a dia com tristeza e solidão, mas nada disso tem a ver com dinheiro.

A única diferença é que pessoas ricas têm mais liberdade, pois não precisam se preocupar com o sustento da família e sabem que sempre terão dinheiro para cuidar de si ou se divertir, e isso pode inclusive ajudar a superar momentos ruins.

Investir é arriscado demais

O mercado financeiro pode parecer instável demais para quem o observa de fora, e o uso de jargões e termos difíceis de serem compreendidos ajudam nessa noção. Mas repetir isso de forma acrítica leva a duas ideias erradas.

A primeira é a de que o mercado financeiro se resume à Bolsa de Valores (investimento em ações), quando na verdade existe uma série de produtos e ativos que podem integrar a sua carteira de investidor, cada um com um grau de risco e potencial de ganho. 

A segunda é acreditar, especificamente sobre a negociação de ações, que trata-se de uma espécie de “aposta”, uma vez que elas podem valorizar ou desvalorizar em grandes níveis sem nenhum aviso prévio.

Ainda que esse mercado seja, de fato, mais apropriado para pessoas de perfil agressivo, existe muito estudo envolvido na compra e venda de ações, e hoje você pode inclusive contar com profissionais experientes e atentos ao mercado para tomarem decisões informadas nessa área que possam alavancar o seu patrimônio.

Ricos são pessoas que têm mau caráter

Esse preceito fica mais popular sempre que surge alguma notícia ruim sobre uma marca ou um empresário de sucesso.

Essas notícias não devem ser ignoradas, mas é necessário equilibrar o consumo desse conteúdo com uma pesquisa por líderes e empresas que trazem soluções reais para o mundo, uma vez que fazem a roda da economia girar e, se não fosse por elas, seus fundadores e seus gestores, não teríamos desenvolvido as condições necessárias para o desenvolvimento da nossa sociedade como ela é hoje.

Além disso, é importante se afastar da ideia de que ganhar dinheiro te deixa ruim ou egoísta, necessariamente. Afinal, se você não quer ser uma pessoa ruim, sua consciência já basta para agir com ética e moralidade, e ter mais dinheiro não tira isso de você de maneira nenhuma.

É quase impossível enriquecer

Não é porque algo é trabalhoso que é impossível, e inclusive nem sempre é muito complexo. O enriquecimento tem a ver com as habilidades que você desenvolve, as oportunidades que você persegue para si e a inteligência afiada na hora de tomar decisões com o seu dinheiro.

Tudo isso vem através de estudo e prática, que podem parecer desafiadores de início mas, hoje, há muitos conteúdos online que podem te ajudar a acelerar esse processo, e você inclusive pode experimentar o mercado financeiro e suas possibilidades sem grandes quantias no início.

Dinheiro não pode ser prioridade

Você não precisa sentir vergonha de querer ganhar mais dinheiro. Até porque, em nosso mundo, é ele que possibilita o seu acesso a diversos bens e experiências que podem ser muito interessantes.

Isso leva a uma conclusão bem lógica: se o seu futuro e os seus projetos são a sua prioridade, então o dinheiro também deve ser, pois é o principal caminho para os ganhos que você quer ter para si e para a sua família.

Os preceitos financeiros que nós apresentamos são alguns dos principais conceitos errados sobre crescimento financeiro. Esperamos que a compreensão deles tenha te ajudado a criar uma visão mais ampla e motivadora sobre as possibilidades do mercado e do seu próprio potencial de enriquecer.

Se não quer perder outros conteúdos como este, vai gostar de conhecer a nossa newsletter. Insira o seu e-mail no banner abaixo e receba conteúdo gratuito diretamente na sua caixa de entrada!

Receba conteúdos exclusivos no seu e-mail

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.