Entenda o que faz o dólar subir ou cair em relação ao real

O valor do dólar muda diariamente e muitas vezes ao dia. A variação da moeda americana em relação ao real é algo que chama a atenção de todos: dos investidores, dos jornais e das pessoas que não entendem muito de Economia. Mas você sabe o que faz o dólar subir ou cair?

Ultimamente, ele tem sido muito visado por atingir níveis históricos, se compararmos sua variação nos últimos anos.

Em resumo, podemos definir o câmbio como a relação entre duas moedas diferentes, ou seja, o quão valorizada uma está em relação a outra. Ele indica quantos reais, por exemplo, você precisa para comprar U$ 1.

Nesse sentido, há diversos fatores que podem valorizar ou provocar a queda do dólar em relação ao real. A seguir, conheça esses e outros detalhes. Continue a leitura!

Dólar comercial ou dólar turismo?

Além de saber o que faz o dólar subir ou cair, existe uma outra dúvida muito comum relacionada à moeda americana: afinal, qual é a diferença entre dólar comercial e dólar turismo?

Se você já comprou dólares para alguma viagem aos EUA, provavelmente se surpreendeu ao perceber que o preço que você pagou pela moeda não foi o mesmo que você viu anunciado no jornal. Isso porque o dólar comercial e o turismo não são exatamente a mesma coisa.

O que é dólar comercial?

O dólar comercial é a cotação “real” da moeda americana, usada em transações comerciais, como a compra e venda de mercadorias entre empresas brasileiras e estrangeiras. Além disso, ele também é usado para várias outras movimentações. Um exemplo são os empréstimos de brasileiros em outros países registrados no Banco Central.

O que é dólar turismo?

Já o dólar turismo é aquele que compramos na casa de câmbio quando queremos viajar para o exterior. Bem como, é o aquele que utilizamos ao comprar alguma coisa em sites internacionais, como passagens aéreas, eletrônicos, entre outros itens.

Ele é mais caro que o dólar comercial pois tem o acréscimo do Imposto sobre Operações Financeiras (o IOF), além de custos logísticos para que a moeda chegue até a sua mão. Esses custos envolvem, por exemplo, o transporte dos dólares dos EUA até o Brasil e depois até a casa de câmbio, além da manutenção da segurança da moeda em cofres. Portanto, é justamente por isso que há uma diferença na cotação do dólar comercial e do dólar turismo.

4 fatores que influenciam a alta e a queda do dólar

No geral, existem 4 principais fatores que fazem o dólar subir ou cair. Veja quais são esses fatores a seguir!

Câmbio flutuante

As oscilações de moedas estrangeiras ocorrem devido à entrada e saída de fluxos de moedas internacionais na economia. No Brasil, nossa taxa de câmbio varia segundo o mercado.

Desde 1999, o Brasil se tornou um país com uma economia com câmbio que funciona por regime de banda cambial (mínimo e máximo do dólar).

A taxa de câmbio não é definida pelo governo. Ela varia de acordo com o movimento do mercado, com a lei da oferta e da demanda, além da procura de dólares no Brasil. Nesse cenário, o Banco Central intervém quando o valor da moeda atinge alta e baixa volatilidade durante o pregão. Veja algumas variáveis que alteram os valores da moeda.

Superávit ou déficit comercial

O superávit ocorre quando o saldo das exportações é maior que o de importações. Por outro lado, quando ocorre o contrário, temos o chamado déficit comercial.

Gastos de turistas estrangeiros ou gastos de brasileiros no exterior

Os gastos no exterior são mais um termômetro para medir se a moeda nacional está alta ou não. Quando desvalorizada, os brasileiros tendem a consumir menos no exterior. Quando em alta, o poder de compra dos consumidores aumenta e espera-se um maior nível de gastos no exterior.

Juros brasileiros e juros americanos

Como os títulos públicos federais americanos exprimem confiança, uma alta nos juros americanos faz com que haja uma maior concentração de capitais por lá. Com a escassez da divisa, é provável que exista pressão sobre a divisa, aumentando o valor do dólar e depreciando a moeda brasileira. Com a depreciação, é de se esperar um aumento das exportações e do saldo da balança comercial.

Porém, quando os juros americanos estão baixos, é mais provável que os investidores busquem as economias de países periféricos para investir, com objetivo de obter maior rentabilidade.

Com a entrada de dólares em tais economias (como a nossa), o valor da divisa internacional tende a cair, valorizando o real, aumentando o poder de importação e causando reflexos negativos quanto ao saldo da balança comercial.

Reservas cambiais

Outro fator que influencia a queda e alta do dólar é a chamada reserva cambial. Em resumo, ela é o montante de moeda estrangeira e ouro acumulado por um país.

As reservas cambiais são fundamentais para as negociações internacionais realizadas em dólar. Além disso, ela também é importante no pagamento de fornecedores.

A queda dos fundos da reserva cambial pode provocar uma valorização da moeda estrangeira. Atualmente, o Brasil tem reservas cambiais consistentes.

Crises financeiras

Independentemente se internas ou externas, as crises financeiras causam influência na variação do dólar. Isso porque os investidores não vão querer investir em uma economia em risco. Portanto, tendem a:

  • vender suas ações;
  • converter em dólar;
  • retirar suas aplicações;
  • realocar as aplicações em produtos menos voláteis, como o dólar e ouro.

Assim, a valorização e a alta da moeda americana se tornam praticamente inevitáveis. Por ser um pais emergente de alta especulação financeira, o Brasil costuma sentir bastante os efeitos causados pelas crises.

Economia dos EUA e o mundo

Como os Estados Unidos são uma das economias mais fortes e importantes do mundo, o que ocorre no país impacta diretamente na cotação do dólar.

Por isso, questões político-econômicas de cunho internacional, como o embate comercial entre EUA e China, a desaceleração no continente europeu e o Brexit, afetam o ânimo dos investidores.

Como a relação de interdependência entre as economias é cada vez maior, existe a preocupação sobre os efeitos que as incertezas e expectativas negativas diante de tais eventos podem causar na economia mundial.

A maior frequência destes eventos faz com que investidores recorram a investimentos comumente mais tradicionais e interpretados como mais seguros. Logo, este movimento leva a uma depreciação das moedas de países emergentes, como a nossa.

Quais são os impactos dessa variação?

Agora que já vimos os 4 fatores que fazem o dólar subir ou cair, precisamos falar dos efeitos que essa variação causa na economia e na nossa vida em geral.

No geral, podemos dividir o impacto da oscilação da cotação do dólar em dois grupos:

  • nos preços de produtos e serviços do nosso mercado interno;
  • nos investimentos feitos no mercado financeiro.

Impactos nos preços de produtos e serviços

O dólar comercial é usado nas relações comerciais entre as empresas brasileiras e internacionais. Assim, tudo que é comprado lá fora e trazido para o mercado interno sofre impacto com a oscilação da moeda americana.

Na média, por exemplo, o Brasil consome 11 milhões de toneladas de trigo, mas produz somente 5,4 milhões. Isso significa que cerca de 50% do trigo usado no país é importado de outros países, especialmente da Argentina.

Por isso, quando há oscilação do dólar, todos os produtos feitos à base de trigo — como pães, bolos, pizzas, macarrão, biscoitos e outras massas — sofrem alteração em seus preços.

Do mesmo modo, quando a cotação do dólar favorece a exportação, o preço interno é afetado pela escassez de produtos no nosso mercado interno. Foi isso que aconteceu no recente caso da exportação de carne brasileira para a China, por exemplo.

Impactos nos investimentos

Em relação aos investimentos, a oscilação do dólar cria cenários que potencializam certas aplicações, enquanto prejudica o desempenho de outras.

A oscilação do dólar afeta indiretamente, por exemplo, os títulos de Renda Fixa atrelados ao IPCA, uma vez que a inflação tende a ficar controlada quando o dólar cai.

Já na Bolsa de Valores, há forte correlação negativa entre a oscilação do dólar e a variação do Ibovespa (quando um sobe, outro tende a cair), embora isso nem sempre seja lei.

São os investimentos de fundos cambiais, no entanto, que denotam maior influência da oscilação do dólar. Isso ocorre porque seus rendimentos estão diretamente relacionados à valorização ou desvalorização do real.

Se você quer se proteger, uma boa ideia é investir em fundos multimercados, que tradicionalmente se defendem das oscilações do câmbio.

Se você se interessou pelo tema porque tem intenção de viajar para o exterior, que tal fazer uma cotação de moedas pelo portal da Ativa Investimentos agora mesmo? Se você ainda não é cliente, veja o passo a passo no vídeo abaixo. Até a próxima!

Powered by Rock Convert

Invista com a gente!

É prático, rápido, seguro e não tem custo. Você pode acessar sua conta de onde quiser e ainda ter vantagens exclusivas.

ABRA SUA CONTA
Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

28 Comentários

  1. Excelente artigo. Só informação de qualidade as que vem desse site, por isso que quando se trata de um assunto como esse, corro logo pra cá!

    1. Obrigado, Guilherme! Trabalhamos para oferecer sempre conteúdos relevantes e que ajudem o brasileiro a entender melhor sobre investimentos. Continue acompanhando nossos posts! 🙂

  2. Descobri seu site pelo google e amei, contiuarei a lhe seguir,Obrigado! ótimo artigo e produto!

    1. Obrigada, Roseli! Continue acompanhando nossos posts! 🙂

  3. A minha intenção é corregir essa injustiça, que é essa constante desvalorizacao da nossa moeda frente ao Dólar.

  4. Quais outros regimes para o controle do câmbio existem além desse adotado pelo Brasil ( banda cambial)?

    . Pode fazer um quadro de prós e contras entre os regimes? e diante desse quadro, poderia indicar qual seria o melhor deles para ser adotado por um pais em desenvolvimento como o Brasil?

    grato.

    1. Nelson, boa tarde! Tudo bem?

      Agradecemos o seu questionamento. Como solicitado, enviamos o quadro para o seu e-mail. Qualquer dúvida é só perguntar! Um abraço!

  5. Gostei muito da forma clara dos comentários, usando também uma linguagem acessível. Para aos autores do blog.

    1. Obrigada, Rosivaldo! Continue acompanhando nossos posts e, em caso de dúvidas, conte conosco! 🙂

  6. Tem um erro! No 2! Logo no início.
    Outo? Ou outro? Esqueceram o “R”.

    Obs: É só para ajudar !!

    1. Obrigado, Dan! Já consertamos. Obrigada por nos ajudar a melhorar nossos conteúdos! 🙂

  7. Pq o real n sobe para os EUA??

    1. Olá, Dan, tudo bem? Em períodos de altas volatilidades ou de cenários incertos, é comum o Dólar subir em relações as outras moedas fortes e emergentes pela fuga do risco (risk-off) global. Porém, é importante destacar que esse é um movimento global. Ou seja, outras moedas além do real de paises emergentes já possuem uma desvalorização natural frente a moedas fortes como o dolar e, no momento de aversão a risco, isso tende a se intensificar. Além disso, a constante queda dos juros no país tende a desvalorizar a moeda local, o que pode ser intensificado com a possibilidade de mais um corte de juros pelo COPOM. Espero ter te ajudado 🙂

  8. Boa tarde pessoal.

    Fiquei com dúvidas e gostaria de maiores explicações para poder entender melhor essa parte em relação a subida do dólar perante as demais moedas.
    Porque a moeda USD subiu tanto nesse momento, pois as empresas importadoras sentiram bastante.
    Oque deverá ser feito para que a moeda USD entre em queda como foi a sua elevação ? Oque motivou tudo isso ?

    1. Oi Paulo, como vai? Existem alguns motivos: para os países emergentes, a dependência por commodities e uma ciclicidade maior da economia tem um peso maior em um momento de maior retração da demanda. Quando a volatilidade cresce, sobe a procura por ativos mais seguros, os hedges naturais, como o dólar. A ação dos bancos centrais, em recuperação a suas economias, costuma também prever movimentos monetários expansionistas, o que também contribui para depreciação da moeda local. O conjunto desses fatores explica essas relações. Mas, reforço que, apesar do aumento estar expressivo, não estamos proporcionalmente descolados com nossos pares. Esperto ter te ajudado! Qualquer coisa é só falar, hein? Obrigada pela sua participação!

  9. Muito boas as explicações sobre o mercado.

    1. Obrigada, Alencar! Continue acompanhando nossos posts aqui do blog! 🙂

  10. O que poderia ser feito para a valorização da Nossa moeda, que pode acabar trazendo o dólar de volta a margens dos 3 reais

    1. Olá João, tudo bem? Há inúmeros fatores que podem influenciar a variação do dólar frente ao real, mas o principal é o fluxo dessa moeda no nosso país. No cenário atual com fuga dos investidores para ativos mais consolidados com o dólar, não temos previsão da moeda americana chegar a esse patamar no curto e médio prazo. Inclusive, temos um vídeo que aborda qual a nossa projeção para essa moeda. Confira clicando aqui: https://youtu.be/IXlSkJgPSAg Espero ter ajudado. Um abraço!

  11. Muito bom esse artigo informações bastante útil gostaria de parabenizar a equipe.

    1. Olá Valdisson, tudo bem? Muito obrigado pelo elogio. Estamos à disposição caso surja alguma dúvida, ok? Um abraço!

    2. Olá Valdisson, tudo bem? Muito obrigado pelo elogio. Estamos à disposição para dúvidas. Um abraço! =]

  12. tudo bem? gostei muito do seu site, parabéns pelo conteúdo. 😉

    1. Olá Nino, tudo bem? Muito obrigado pelo elogio. Estamos à disposição caso surja alguma dúvida. Um abraço! =]

  13. Os EUA oferecem juros negativos, dolar sobe. Guerra civil nos EUA, dolar sobe. China fecha comercio com os EUA, dolar sobe. Meteoro cai em Nova Yorke, 20 milhões de mortos, dolar sobe. Especuladores são queimados vivos em praça pública, advinha???? Dolar sobe.

  14. Esses mesmos parametros sao usados para outras moedas tambem? Como a Libra esterlina por exemplo. E qual a previsao da Libra para os proximos 6 meses?

    1. Olá Emerson, tudo bem? O nosso economista-chefe não possui a moeda Libra dentro do seu painel de monitoramento. Visto que a moeda envolve o Brexit, que possui outras variáveis. Caso surja alguma outra dúvida, estamos à disposição para ajudar!

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.