O que é Dólar Futuro? Entenda como funciona!

Se você acompanha as notícias sobre o mercado financeiro, provavelmente já ouviu falar sobre investimentos em Dólar Futuro. Afinal, essa é uma modalidade relativamente popular de aplicação em Renda Variável.

Por meio desse tipo de investimento, é possível ganhar com a oscilação do preço do dólar em relação ao real. Isso garante uma camada extra de lucro em potencial, além de diversificar sua carteira com essa proteção cambial. Interessante para os investidores, o Dólar Futuro é uma proteção de empresas financiadas em moeda estrangeira.

Quer saber como é possível ganhar com essa modalidade de investimento? Então siga a leitura do artigo até o fim!

O que é o Dólar Futuro?

Um contrato de Dólar Futuro trata-se de um acordo de compra e venda da moeda estrangeira por um preço e em uma data futura previamente estabelecidos.

Ambas as partes da negociação, tanto de compra ou de venda, projetam um valor futuro daquele ativo para a operação.

Quem “fez o melhor negócio” vai depender da oscilação da cotação do dólar na data em que o acordo foi firmado até o dia da sua execução. Se a cotação do dólar subir, então quem compra tem a vantagem, pois receberá o ajuste da valorização do ativo. Já se a cotação cair, quem vende é que se sai melhor, pois também receberá o ajuste do valor que receberia caso recomprasse o ativo a um preço mais barato do que vendeu.

Originalmente, os contratos de Dólar Futuro são feitos por empresas que se financiam em moeda estrangeira. Para se proteger da oscilação do câmbio, elas oferecem tais contratos na Bolsa de Valores.

Pense, por exemplo, em uma empresa que precisa expandir sua operação e contrai dívidas em dólares. Em vez de ficar refém da flutuação do câmbio, ela pode firmar um contrato e comprar todos os dólares que precisa por uma cotação única.

Qual a diferença entre Mini Dólar e Dólar Futuro?

De forma resumida, o Mini Dólar (ou minicontrato de dólar) é um investimento que equivale a 20% do Dólar Futuro. A diferença entre as duas modalidades consiste no tamanho da negociação e no lote de contratos necessários.

O minicontrato de dólar foi criado para que os investidores tivessem mais acesso a esse tipo de investimento. Como o Mini Dólar é mais barato que o Dólar Futuro, indivíduos com menos recursos disponíveis podem negociar esse ativo.

Como funciona o Dólar Futuro?

Um contrato de Dólar Futuro é dividido em dois grandes grupos. O mini dólar — que já foi explicado — e o contrato cheio.

Nessa modalidade, o investidor compra um contrato de dólar cheio, em que cada um representa uma movimentação de US$50.000,00. Um lote mínimo de cinco contratos, no entanto, é o padrão desse tipo de investimento. Isso significa, portanto, que para investir em contratos cheios é necessário movimentar U$250.000,00.

Depois de comprado, o contrato ou minicontrato pode ser vendido para outra pessoa ou segurado pelo investidor. Quando chega a sua data de vencimento (1º dia útil do mês), ele é executado automaticamente pela Bolsa de Valores.

A data de vencimento de um contrato de Dólar Futuro está indicada na nomenclatura que o identifica. Todo contrato cheio é denominado pela sigla DOL. Já um minicontrato recebe a sigla WDO.

Além dessas siglas, a nomenclatura vem acompanhada por uma letra que corresponde ao mês de vencimento do contrato. A ordem é a seguinte:

  • F: janeiro;
  • G: fevereiro;
  • H: março;
  • J: abril;
  • K: maio;
  • M: junho;
  • N: julho;
  • Q: agosto;
  • U: setembro;
  • V: outubro;
  • X: novembro;
  • Z: dezembro.

Além da letra do mês, a nomenclatura do contrato ainda vem com dois números referentes ao seu ano de vencimento. Portanto, a nomenclatura DOLK21 indica um contrato cheio, com vencimento em maio de 2021. Já um WDOZ22 é um Minicontrato de Dólar com vencimento em dezembro de 2022.

Como investir em Dólar Futuro?

Caso você tenha se interessado em ganhar com a relação entre dólar e investimentos, é importante se preparar para essa aplicação.

Em primeiro lugar, veja se você tem o perfil certo para investir em Dólar Futuro. Como se trata de Renda Variável, sem garantias, essa é uma aplicação para quem tem perfil agressivo. Investidores com o perfil conservador ou moderado podem não se sentir muito à vontade nessa transação.

Se você tiver o perfil certo para o operar contratos no mercado futuro, abra uma conta em uma corretora com Home Broker. De posse dessa ferramenta, você deverá procurar por ofertas de contrato ou Minicontrato de Dólar com condições que sejam do seu agrado.

Em seguida, será necessário disponibilizar uma margem de garantia para que a operação seja realizada. Essa margem é uma quantia em dinheiro que deve ser depositada para assegurar o cumprimento do acordo em contrato.

Além de dinheiro, são aceitos os demais valores mobiliários negociados no mercado. Por exemplo: Ações, títulos do Tesouro Direto, entre outros.

Não é preciso depositar todo o valor do contrato como margem de garantia, apenas uma porcentagem. Com a margem de garantia efetivada, o acordo é selado. O que virá depois depende da estratégia do investidor.

Operar comprado ou vendido?

Existem duas formas do investidor aplicar em contratos de dólar no mercado futuro. A maneira mais comum é operar comprado.

Ou seja, o investidor compra um lote de contrato cheio ou de minicontrato. Então, ele espera a data da execução do acordo. Se o dólar subir, ele recebe os ajustes da alta em valor financeiro na sua conta da corretora.

No entanto, também é possível lucrar com o Dólar Futuro operando vendido. Nesse caso, o foco do investidor é vender um contrato de dólar com a perspectiva de que a moeda se desvalorize.

Se isso acontecer, ele terá recebido pelo contrato mais do que aqueles dólares valem na data de execução do acordo.

Para investir em Dólar Futuro, como deu para ver, é necessário fazer uma boa leitura do mercado. Afinal, as chances de sucesso dependem da capacidade de identificar tendências do dólar no futuro.

É uma modalidade de aplicação arriscada, já que seu nível de alavancagem pode ser bem maior que o das Ações.

Contudo, há a chance de enormes ganhos e, portanto, é uma medida interessante. Além disso, como é comum haver uma correlação negativa entre o dólar e o Ibovespa, investir em contratos ou minicontratos é uma forma de segurança.

Logo, caso o Ibovespa caia, é sinal de que o Dólar Futuro vai se valorizar. Ao aplicar em ambos, o investidor pode diminuir suas perdas.

Quais as dúvidas mais comuns sobre o mercado futuro?

Como o mercado futuro pode ser complexo, talvez você tenha diversas dúvidas sobre o assunto. Por isso, neste tópico, listamos e respondemos as principais questões sobre o mercado futuro e o Dólar Futuro.

O que é negociado no mercado futuro?

Existem diferentes contratos que podem ser negociados nesse mercado. Basicamente, há quatro grandes segmentos. Veja quais são esses segmentos, principais tipos de contrato e seus códigos abaixo.

Ações e Índices

  • Futuro de Ações — B3SAO (entre outros);
  • Índice e Mini Índice Bovespa — IND e WIN;
  • Índice e Mini Índice S&P500 —ISP e WSP.

Taxa de Juros

  • DI — DI1;
  • Selic — DDI;
  • Cupom Cambial de DI — OC1;
  • Cupom de IPCA — DAP.

Moedas

  • Dólar e Mini Dólar (EUA) — DOL e WDO;
  • Euro — EUR;
  • Libra Esterlina — GBR;
  • Iene Japonês — JAP;
  • Iuan Chinês — CNY.

Commodities

  • Ouro — OZ1;
  • Boi Gordo — BGI;
  • Milho — CCM;
  • Café — ICF;
  • Soja — SFI;
  • Açúcar — ISU.

Quais são os riscos presentes?

Os riscos envolvem a grande volatilidade do ativo. Como a cotação do dólar sofre bastantes alterações, os preços dos contratos também sobem ou descem com frequência.

Para gerenciar esse risco, é preciso que o investidor mantenha um acompanhamento contínuo sobre o mercado, além de estudar os aspectos macroeconômicos que envolvem a economia nacional, Dólar e Real.

Outro risco diz respeito à alteração da margem de garantia. A qualquer momento, a B3 pode alterar as margens que foram acertadas no contrato sem avisos prévios. Nesse caso, é necessário reduzir suas posições ou deixar os papéis.

Quais são as estratégias que podem ser usadas?

Existem diferentes estratégias que podem ser aplicadas no Dólar Futuro com variados objetivos. Conheça as principais a seguir:

  • especulação: o investidor almeja obter lucros a partir da variação de preço dos contratos. Basicamente, ele assume um risco e aposta na direção do mercado;
  • hedge (proteção): a finalidade aqui é proteger o patrimônio do investidor. Geralmente é aplicado por empresas que têm patrimônio, receitas e despesas atreladas ao dólar;
  • arbitragem: o lucro é obtido com pequenas distorções de preços. Os ganhos e riscos são menores, por isso geralmente é realizado por grandes players.

O Dólar Futuro traz várias oportunidades para quem deseja ganhar com a variação da moeda. Esse é um ativo bastante volátil e é preciso arcar apenas com a margem de garantia para aproveitar dos benefícios. Mas esse não é um investimento recomendado para iniciantes, sendo preciso de mais conhecimento e experiência no mercado derivativo.

Para usufruir da variação cambial, é fundamental entender sobre dólar e ouro. Conheça a função e singularidade desses ativos no nosso artigo!

Powered by Rock Convert

Invista com a gente!

É prático, rápido, seguro e não tem custo. Você pode acessar sua conta de onde quiser e ainda ter vantagens exclusivas.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.