Como organizar o orçamento familiar? Confira 10 dicas incríveis!

Um dos grandes desafios de muitas famílias brasileiras é equilibrar as contas e garantir um patrimônio crescente. Para isso, é fundamental saber como organizar o orçamento familiar de maneira eficiente.

Só assim é possível ter clareza das finanças de uma casa e agir com consciência em relação a gastos e poupanças. Mas essa clareza depende, além de disposição, de um documento bem construído, que demonstre a verdadeira situação financeira da família.

Esse documento é o orçamento familiar, essencial para orientar a conduta financeira dentro de uma casa. Principalmente em tempos de crise, essa bússola da economia doméstica é capaz de oferecer soluções para um país inteiro!

Neste artigo, você vai aprender como organizar um orçamento familiar e entender qual é a importância desse documento. Continue a leitura e confira algumas dicas para começar a colocar em ordem as finanças da sua casa!

Qual é a importância de organizar o orçamento familiar?

Você sabe qual é a definição de “economia”? A palavra vem do grego oikonomia, que significa, etimologicamente, “administração doméstica” (oikos = “casa” e nomos = “administrar” ou “gerir”).

A partir daí, podemos notar que o fundamento da economia reflete a organização dos recursos de uma família. Portanto, a gestão do orçamento familiar tem importantes consequências na situação de todo o sistema financeiro em que as famílias estão inseridas.

Isso fica mais claro quando percebemos os efeitos do bom e do mau gerenciamento de recursos financeiros. Especialmente em tempos de crise, a gestão consciente é o que absorve os impactos negativos de um mal-estar econômico.

Por isso, é fundamental levar a sério o orçamento familiar. Afinal, trata-se de um documento que esclarece as finanças e orienta a família sobre decisões importantes quando o assunto é dinheiro. A seguir, confira algumas dicas de como organizar o orçamento familiar.

Como organizar o orçamento familiar?

Para garantir uma organização bem-feita, precisa e segura como base de decisões, é necessário separar tempo e energia. Uma vez que o documento esteja pronto, tudo o que será preciso fazer é avaliar e adaptar periodicamente os dados. Por isso:

  • reúna os membros da família;
  • escolha o formato do documento (papel, planilha, programa exclusivo para finanças etc.);
  • peça a colaboração de todos;
  • siga as dicas a seguir.

1. Entenda onde organizar

Uma das propriedades mais importantes da organização do orçamento familiar é a perspectiva futura que o documento oferece. Mas para que seja possível prever os gastos futuros, antes é necessário saber como se gastou no passado.

Sendo assim, rastreie todas as despesas possíveis juntamente dos seus valores. Essa etapa é muito importante, e é quando costuma haver o espanto e a descoberta da importância desse documento. Sendo assim, confira:

  • contas;
  • boletos;
  • notas fiscais de lojas e supermercados;
  • extratos bancários;
  • saques etc.

Conhecer bem as despesas de uma família revela seu potencial financeiro. Dessa forma, é possível separar gastos supérfluos de despesas necessárias e, assim, garantir reservas e até capital para investimentos.

2. Planeje as despesas futuras

Essa é, sem dúvida, uma das regras de ouro para quem deseja controlar as finanças e ver o patrimônio crescer. Quando você tem perfeita clareza sobre as suas despesas passadas, pode começar a planejar os gastos futuros.

Sendo assim, após ter identificado os gastos necessários e os desnecessários, projete esses valores no tempo. Dessa forma, à medida que acumular registros financeiros precisos, será cada vez mais fácil criar objetivos de longo prazo.

Rigor e compromisso são fundamentais para garantir o controle. Então, procure planejar, tanto quanto possível:

  • o próximo mês;
  • o próximo semestre;
  • o próximo ano.

3. Estabeleça metas de poupança

Que tal acrescentar alguns prêmios nas despesas do planejamento futuro? Esses valores serão a recompensa pelo comprometimento de todos os membros da família com o orçamento planejado.

A grande vantagem é que esses prêmios serão planejados como custo, mas apenas se as metas determinadas forem alcançadas. Caso contrário, o valor pode entrar como reserva ou capital de investimento.

Por isso, ao planejar os gastos futuros da sua família, reserve um espaço para a recompensa pelo compromisso. Dessa maneira, todos ficarão motivados para darem o seu melhor. A recompensa pode ser:

  • um jantar especial;
  • uma viagem;
  • uma festa;
  • um passeio inesquecível etc.

4. Construa novas fontes de renda

Ao organizar um orçamento familiar, o que todas as famílias podem fazer imediatamente é avaliar e limitar gastos. Mas depois disso é possível transformar a situação financeira por outra frente: a renda da família.

O isolamento provocado pela pandemia revelou a fragilidade do nosso sistema econômico. Porém, muitas pessoas descobriram novos meios de ganhar dinheiro, especialmente pela internet.

Portanto, construir múltiplas fontes de renda é uma excelente ideia. Além de gerar riqueza, isso assegura maior tranquilidade em situações extremas. Assim, a sua família não se limita a uma única atividade nem corre o risco de sofrer um desamparo financeiro.

5. Comece a investir

Indiscutivelmente, parte da organização do orçamento familiar deve ser dedicada aos investimentos. Capitalizar recursos é praticamente todo o propósito de determinar objetivos de poupança. Afinal, independentemente do objetivo, deixar o dinheiro sem ao menos a correção inflacionária não faz sentido.

Portanto, para escolher onde investir, procure estudar e conhecer produtos de investimentos. Há diversas alternativas para todo perfil de investidor. Avalie as alternativas com sua família e descubra qual é a melhor carteira de investimento para suas condições.

6. Tenha uma reserva de emergência

Se você quer ter um orçamento familiar eficiente, não deixe de ter uma reserva de emergência. Ela corresponde ao montante de capital que você deve ter disponível para passar por alguns imprevistos, como a perda do emprego, por exemplo.

Alguns especialistas recomendam que a reserva de emergência deve ser equivalente a 6 a 12 vezes o seu custo de vida mensal. Por exemplo, suponha que os seus gastos do mês correspondem a R$ 3.000. Então, você deve ter um colchão financeiro de R$ 18.000 a R$ 36.000. Dessa forma, você consegue passar por situações imprevisíveis com segurança.

7. Quite as dívidas

Uma etapa essencial para organizar o seu orçamento é quitar todas as suas dívidas. Isso porque ocorre a incidência de juros sobre o seu débito que aumentam cada vez mais o valor do seu saldo devedor.

Portanto, não deixe de negociar todas as suas dívidas para ter uma vida financeira equilibrada. Entre em contato com o credor e faça um acordo que cabe no seu orçamento.

8. Evite compras por impulso

Muitas pessoas têm o hábito de fazer compras desnecessárias e que acabam comprometendo o seu orçamento. Para evitar que isso aconteça, evite sair de casa em momentos de estresse e ansiedade, pois muitas pessoas costumam estourar o limite do cartão de crédito nessas ocasiões.

Além disso, não deixe de refletir sempre que pensar em adquirir algum item. Avalie se você realmente precisa daquele produto ou serviço e se ele cabe no seu orçamento familiar. Ao agir dessa forma, você pode se tornar um consumidor mais consciente e, além disso, manter as suas finanças equilibradas.

9. Use o cartão de crédito com sabedoria

Muitas pessoas utilizam o limite do cartão de crédito como um complemento da sua renda. Esse hábito costuma ser muito prejudicial e faz com que elas se envolvam em dívidas que não conseguem pagar, o que acaba comprometendo as suas finanças.

Para evitar que isso aconteça com você, é importante analisar se aquela parcela que pode parecer tão atrativa à primeira vista realmente cabe no seu orçamento. Além disso, você deve evitar o acúmulo de parcelas que no fim do mês resultam em uma dívida maior do que a esperada.

 10. Invista em educação financeira

A educação financeira deveria fazer parte da grade curricular de escolas e faculdades. Dessa forma, as pessoas conseguiriam entender melhor como lidar com o seu dinheiro de maneira adequada e, assim, evitariam dívidas.

Como isso ainda não é uma realidade, pelo menos no Brasil, você e a sua família devem estudar sobre esse tema. Assim, vocês conseguirão controlar melhor as despesas e aprenderão a investir para alcançar todas as metas e objetivos definidos.

Vale ressaltar que a presença de todos os membros da família é indispensável ao construir um orçamento familiar. É importante que todos colaborem com ideias e propostas. Afinal, todos utilizam e consomem os recursos. Além disso, é interessante definir metas conjuntas, como uma viagem ou um carro dos sonhos, que todos se sentirão motivados a colaborar para alcançá-las.

Viu só como organizar o orçamento familiar não é uma tarefa complexa? Isso não significa que não dê algum trabalho. Porém, com um pouco de dedicação, o esforço passará a ser mínimo e valerá muito a pena. Portanto, construa e conserve o planejamento financeiro da sua família para que vocês consigam viver bem e com segurança financeira.

E aí, gostou deste post? Já sabe como manter as finanças em dia? Então, aproveite para compartilhar esse conteúdo nas suas redes sociais para que mais pessoas saibam como organizar o seu orçamento de maneira eficiente. Até a próxima!

Receba conteúdos exclusivos no seu e-mail

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.