Qual é a diferença entre B3 e Bovespa?

Começar a investir é um processo que exige preparo e estratégia para assegurar bons resultados às suas aplicações. Por isso, é muito comum ouvir alguns termos da área, como B3 e Bovespa, quando o assunto é investimentos e o mercado de ações. Conhecê-los é extremamente essencial para entender o que representam nesse universo e quais são as suas particularidades.

No mercado de ações, quanto maior for a sua expertise, melhor será a sua segurança ao investir. Assim, ao esclarecer as suas dúvidas sobre a terminologia, você terá um excelente domínio para determinar suas estratégias e conquistar uma ótima lucratividade com os seus investimentos.

Então, por ser um tópico que gera bastante dúvida, principalmente nos investidores iniciantes, vamos apresentar as diferenças entre B3 e Bovespa. Confira!

O que é B3?

Resumidamente, é o ambiente onde ocorrem as negociações de compra e venda de ações, também conhecidas como ativos financeiros. Sua sigla significa Brasil, Bolsa, Balcão devido à unificação das bolsas de valores do país em uma empresa de capital aberto.

Apesar de sua sede ficar localizada em São Paulo, as negociações podem ser feitas por qualquer investidor pela própria Internet. Na B3, os investimentos são nomeados com códigos e letras, que servem como parâmetro de identificação na plataforma conhecida como tickers.

As transações ocorrem por intermédio de instituições financeiras conhecidas como corretoras de valores. Para isso, elas devem ter autorização de órgãos reguladores para realizar o processo de compra e venda de produtos financeiros. Para ter a sua entrada na B3, as empresas devem realizar um IPO.

Antes da unificação, a B3 em seus primeiros moldes — que surgiram no século XIX — era conhecida como Bolsa Livre. Desde então, ela passou por várias atualizações. Em 2007, as bolsas pararam de ser entidades sem fins lucrativos e se transformaram em organizações de capital aberto.

Dessa forma, ocorreu um processo conhecido como desmutualização, no qual os detentores de títulos se tornaram acionistas. Foi em 2008 que a BM&F e a Bovespa se uniram, resultando no aparecimento da Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo.

Foi em 2017 que ocorreu a fusão entre a BM&F Bovespa e CETIP, dando origem ao B3. Com essa união, foi possível consolidar a sua atuação. Por isso, a B3 começou a oferecer toda a infraestrutura necessária para o mercado financeiro, possibilitando ampliar a variedade de produtos e serviços oferecidos.

O que é Bovespa?

Enquanto a B3 é a unificação de todas as bolsas de valores, a Bovespa funcionava como a antiga bolsa de valores de São Paulo. Ainda que esse nome seja usado por muitas pessoas, nos dias de hoje ele não tem muita representação.

A Bovespa surgiu no período colonial, em que existia uma bolsa de valores para cada estado. Ela era uma das mais relevantes de sua época e, quando houve uma integração nos anos 2000, as demais bolsas foram integradas a ela.

A partir de 2005, as operações que até então ocorriam apenas presencialmente passaram a ser realizadas de forma eletrônica. Por isso, eventualmente os pregões presenciais deixaram de funcionar, contribuindo diretamente para o sucesso da Bovespa, fazendo-a alcançar a posição de oitava maior bolsa do mundo.

Porém, após a sua fusão em 2008 com a BM&F, seu nome passou a ser BM&FBovespa. Então, após sua última união com a CETIP, levou a uma nova atualização da bolsa brasileira, que então passou a ser chamada de B3.

E o Ibovespa?

Além de B3 e Bovespa, existe outro termo muito conhecido no mercado de ações: o Ibovespa. Enquanto os dois primeiros exemplos eram nomes usados para a bolsa de valores, o Ibovespa é uma nomenclatura usada para referenciar o índice de ações.

Tecnicamente, o índice serve como uma carteira teórica na qual são reunidos vários ativos específicos. Dessa maneira, o Ibovespa funciona como um indicador da bolsa de valores brasileira. Ele é composto pelas ações mais visadas e negociadas da B3, por isso também pode ser utilizado como termômetro do mercado de ações.

Os períodos de alta no Ibovespa servem como parâmetro para determinar o andamento do mercado de ações e seus bons resultados. Isso também vale em caso de quedas, indicando uma movimentação descendente no mercado.

Outro ponto de destaque do Ibovespa é o fato de que ele também pode ser usado como uma ferramenta de benchmark para os investidores e fundos. Com isso, toda a movimentação pode ser acompanhada com o objetivo de comparar os resultados de uma carteira de investimento ou o desempenho de um fundo de ações.

Por que entender a diferença entre os termos?

A bolsa de valores é o local onde ocorre a negociação de investimentos e ações. Por isso, essa instituição é fundamental para a economia do país, permitindo a rápida canalização de poupanças para a transformação em investimentos. Portanto, para quem deseja investir na renda variável, é crucial entender as diferenças entre B3 e Bovespa com o intuito de melhorar as tomadas de decisões.

Esse universo exige muita preparação e conhecimento para se adquirir a expertise necessária e traçar estratégias mais eficientes na hora de aplicar o seu dinheiro. Além de entender as diferenças entre B3 e Bovespa, conhecer o funcionamento do Ibovespa também é um aspecto crucial para auxiliá-lo no acompanhamento de sua carteira e abrir portas para melhores oportunidades de investimento.

Quais operações são realizadas na B3?

Na B3, ocorre a transação de compra e venda de diversos ativos financeiros. Entre eles, as ações de empresas são um dos destaques. Aqui, existem empresas listadas no banco de dados da plataforma de diferentes setores, desde a área de saúde ao setor de petróleo, gás e biocombustíveis.

Para investir em ações, basta reunir informações sobre a organização e acessar o site da B3 para acompanhar as variações que ela apresentou nos últimos tempos. Porém, a bolsa de valores não é voltada única e exclusivamente para compra e venda de ações.

Aqui, também é possível investir em diferentes categorias, como os ativos de Renda Fixa Pública e Privada, Mercado à Vista e Derivativos, como:

  • Contratos Futuros de Moedas;
  • ETFs e commodities;
  • Fundos de Investimento.

Pronto! Como você viu, entender as diferenças entre B3 e Bovespa é fundamental para o seu futuro no mercado de

Pronto! Como você viu, entender as diferenças entre B3 e Bovespa é fundamental para o seu futuro no mercado de ações. Adquirir conhecimento nessa área é indispensável para construir a sua expertise, melhorando suas tomadas de decisões na hora de construir uma carteira de ativos de excelência.

Gostou deste texto? Aproveite para deixar um comentário com a sua opinião sobre o assunto abordado!

Para impulsionar os seus investimentos, assine nossa newsletter para mais conteúdos exclusivos

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.