Value investing: entenda como funciona esse método

Você conhece ou ouviu falar do value investing? Essa é uma abordagem de investimentos aplicada por muitos bilionários, empresas e investidores mais bem-sucedidos, como o Warren Buffet. Por isso, é possível que essa estratégia seja muito útil para aumentar os ganhos com seus investimentos em ações.

Este conteúdo tem o objetivo de trazer as principais informações a respeito desse método de investimento. Os tópicos abaixo responderão questões sobre o conceito de value investing, seu funcionamento, a aplicação da análise fundamentalista e mais. Se você quer ampliar seu conhecimento em mercado financeiro, então esta leitura é essencial.

O que é value investing?

Value investing (investimento em valor) consiste na compra de ações cujos preços estão abaixo do valor intrínseco da empresa. Esse valor é o preço justo de sua ação ou quanto a companhia realmente vale. Para calculá-lo, é preciso encontrar a base nos fundamentos e a perspectiva de crescimento da empresa.

Em outras palavras, investe-se em companhias que têm bons fundamentos, mas que ainda não refletiram no preço de suas ações.

Essa estratégia foi criada pelo mentor de Warren Buffet, Benjamin Graham, e vai contra o movimento natural do mercado. Pois, normalmente, os investidores negociam os ativos apenas com base no seu valor de mercado, não no seu valor intrínseco.

Não confunda o value investing com a estratégia do buy and hold (segurar e comprar). Essa última consiste em comprar ações de boas empresas e segurá-las por tempo indeterminado.

O value investing não tem foco, necessariamente, no longo prazo. Caso o investidor adquira papéis que sejam valorizados em um curto período, ele poderá vendê-las.

Como esse método funciona?

O investidor identifica se o preço de mercado da empresa está igual, menor ou maior que o seu valor intrínseco. Se o valor de mercado for menor que o intrínseco, então seus papéis devem ser comprados.

Em um mercado de ações ideal, tanto o valor real como o intrínseco seriam idênticos. Mas existem empresas com grande potencial de crescimento que são subvalorizadas. Quando você identifica essa oportunidade e faz a compra dos papéis, está aplicando o value investing.

Imagine que as ações de uma companhia estão com o preço de R$ 10,00. No entanto, você acredita que o valor justo deveria ser de R$ 40,00. Ao fazer essa aquisição, você terá grandes lucros caso suas previsões sobre o futuro do negócio se concretizem.

Saiba que isso não significa que você adquirirá somente papéis baratos. É possível que empresas já consolidadas no mercado e com ações mais caras também multipliquem seu valor no futuro.

Tipos de value investing

Há dois tipos diferentes de value investing que podem ser aplicados pelo investidor. O primeiro é o Deep Value Investing, que objetiva encontrar o menor preço possível. Aqui não há análise das companhias com maiores perspectivas de crescimento.

O investidor deve encontrar papéis que estejam excepcionalmente depreciados. Eles podem estar até abaixo do valor de liquidação — montante pago aos acionistas em caso de liquidação da empresa. Nesse caso, pode-se lucrar mesmo quando o negócio fecha suas portas. Assim, o investidor consegue a maior margem de segurança possível na sua aplicação.

A segunda modalidade é chamada de High Quality Investing. Sua ideia principal é adquirir papéis de organizações com qualidade em diferentes aspectos, como produtos, gestão e caixa. Mas eles estão cotados abaixo do preço justo por motivos externos — como crises econômicas. Quando a situação adversa for superada, é possível que o negócio apresente grande crescimento.

Exemplo de Warren Buffet

Aplicar o value investing fez com que Warren Buffet conquistasse o controle da Berkshire Hathaway. Essa é uma holding que gere várias outras grandes empresas. Buffet defendeu que a análise fundamentalista é a principal ferramenta para tomar decisões sobre investimentos.

Na prática, ele analisa cada operação como se estivesse se tornando o dono da organização e não um acionista. Com isso, ele consegue investir somente em empresas em que acredita no potencial de crescimento.

Cálculo do value investing

Apesar de a compra de ativos envolver diferentes análises, Graham criou uma fórmula para calcular o valor intrínseco de uma ação. Confira-a:

VI = √ (22,5 × LPA × VPA)

Onde:

  • VI: valor intrínseco;
  • LPA: lucro por ação;
  • VPA: valor patrimonial da ação.

Análise fundamentalista no value investing

Conhecer a análise fundamentalista é crucial para entender melhor como funciona o value investing. Essa análise envolve um conjunto de técnicas que são utilizadas para identificar o valor da empresa. Por isso, ela é bastante ampla e pode envolver diferentes indicadores, cálculos e observações.

Além da fórmula criada por Graham, o valor intrínseco pode ser encontrado com análise por múltiplos fundamentalistas. Os mais conhecidos são:

  • P/VP (preço/valor patrimonial): se ele estiver abaixo de 1,0, pode ser um indício que a companhia está subprecificada;
  • dividend yield (dividendo pagos/valor por ação): mede rentabilidade dos dividendos em relação às ações;
  • ROE (retorno sobre patrimônio): mensura o retorno dos recursos aplicados e a capacidade de gerar retorno sobre investimentos dos acionistas;
  • ROIC (retorno sobre capital investido): mede o potencial de valor das empresas em relação ao capital investido. Um ROIC deve ser acima de 2%, caso contrário ele faz investimentos ineficientes;
  • P/L (preço/lucro): mede quão barato ou caro os preços de ações estão.

Há outros critérios que devem ser aplicados para analisar a qualidade da gestão ou valor empresa, como:

  • governança: capacidade de gerir seu pessoal, recursos e investimentos. Além do nível de transparência fornecido aos investidores;
  • solidez financeira: consistência de lucros, fluxo de caixa e balanço;
  • valuation: valor da empresa;
  • posição: capacidade de alcançar posição de destaque ou liderança no mercado.

Quais os riscos do value investing?

Adquirir ações por preços abaixo do valor real permite que o investidor tenha bons retornos em longo prazo. Isso diminui o risco de perdas eventuais, já que o valor pago foi baixo. No caso de Deep Value Investing o risco é ainda menor. É possível que o acionista lucre até perante uma eventual liquidação da empresa.

É recomendável que o investidor aplique esse método somente quando tiver confiança que sabe avaliar bem uma empresa. Essa não é uma tarefa simples, já que até mesmo profissionais no ramo têm dificuldades de encontrar os valores reais e intrínsecos de um negócio.

O value investing é uma técnica que pode ser muito útil para o investidor. Ele será capaz de garantir amplos lucros em longo prazo e com riscos menores. Mas ela não é fácil de ser aplicada, sendo preciso ter uma corretora que proporciona uma análise fundamentalista completa.

Confira, curta e siga já nossas páginas nas redes sociais. Estamos sempre atualizando nosso Facebook, Twitter, Instagram e LinkedIn.

Powered by Rock Convert

Invista com a gente!

É prático, rápido, seguro e não tem custo. Você pode acessar sua conta de onde quiser e ainda ter vantagens exclusivas.

ABRA SUA CONTA
Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.