Efeito manada: entenda o que é e como observar esses movimentos

Os resultados nocivos do efeito manada normalmente se traduzem em perdas financeiras, o que torna esse tema muito relevante para o investidor que pretende ter sucesso em suas aplicações. Nos últimos anos, foram muitos os exemplos de situações nas quais o efeito manada apareceu.

Nesses casos, o comportamento em grupo dos investidores pode ter levado a crescimentos não-compatíveis com a realidade. O resultado disso são bolhas especulativas, que trazem muitos prejuízos. Quer saber mais sobre esse efeito psicológico e como ele pode afetar os seus investimentos? Então, continue a leitura deste artigo!

O que é o efeito manada?

O efeito manada é um fenômeno coletivo, o que significa um comportamento psicológico compartilhado, reproduzido entre todos os participantes do grupo. Tal fenômeno não pode ser considerado como essencialmente ruim, pois deriva de um instinto primário de sobrevivência comum a todas as pessoas.

Sendo assim, esse comportamento é parte do desenvolvimento humano, podendo ser observado também entre outros seres vivos. A disparada de antílopes que correm sem rumo quando atacada por um número pequeno de leões e as sardinhas que se reúnem em grupos maiores para se proteger de predadores, são alguns exemplos do efeito manada presente no mundo animal.

Portanto, o efeito manada ajudou na sobrevivência na selva e para funcionar, depende do estímulo de gatilhos mentais presentes em nossa estrutura psicológica fundamental. Dessa forma, podemos apontar quatro gatilhos importantes capazes de gerar o efeito manada em um grupo de pessoas. São eles:

  • A necessidade pertencer e se adequar a um grupo;
  • A crença de que existe sempre uma boa razão para o comportamento alheio;
  • O sentimento de segurança proporcionado pelo grupo;
  • O sentimento de medo de ser excluído ou abandonado pelo grupo;

Quais são os pontos negativos para o investidor?

Apesar de ser um mecanismo psicológico essencial para a nossa sobrevivência, o efeito manada não traz bons resultados para investidores. Afinal, seguir o comportamento de grupo pode ser uma fraqueza na sua estratégia. Isso acontece porque os ativos na Bolsa de Valores têm seu valor determinado pela lei de oferta e demanda.

Portanto, se houver muita procura por determinada ação, ela sobe de valor. No entanto, se muitas pessoas tentarem vender o papel ao mesmo tempo, seu preço despenca. Na prática, portanto, o efeito manada pode ser um potencializador de bolhas especulativas e gerar prejuízos reais.

É justamente por causa desse comportamento de manada que a B3 tem o Circuit Breaker. Você provavelmente ouviu falar muito dele em março de 2020, por causa da sequência de ativações do recurso. O Circuit Breaker é uma pausa nas transações da Bolsa que é ativada quando se detecta um efeito manada.

A ideia é parar os negócios por 30 minutos quando o Ibovespa cai 10% em relação ao dia útil anterior. Dessa forma, a Bolsa espera que os investidores se acalmem e retornem às atividades com mais racionalidade. Com os ânimos arrefecidos o mercado tende a retornar para níveis mais estáveis, porém as escolhas tomadas durante a movimentação brusca, são suficientes para gerar lucros ou prejuízos para aqueles que foram levados pelo momento.

Como se manter imune ao efeito manada?

Se você entendeu os perigos do efeito manada para os seus investimentos, então deve querer saber como evitá-lo. No entanto, é importante ter em mente que se trata de um funcionamento psicológico natural do ser humano.

Isso significa, portanto, que todos nós somos suscetíveis ao efeito manada e podemos fazer parte dele a qualquer momento. No entanto, há formas de reduzir o impacto que ele tem sobre nossas decisões. Veja, a seguir, algumas dicas para se manter fora desse comportamento em grupo!

1- Estude muito e conte com um suporte qualificado

O efeito manada é, antes de tudo, um comportamento irracional. Ele é ativado por gatilhos que exigem uma resposta imediata, sem tempo de analisar o contexto. Portanto, ele é um efeito psicológico que é mais fértil frente ao desconhecido.

Pense, por exemplo, na vida selvagem dos nossos antepassados. Se eles vissem outra pessoa correndo desesperadamente, não havia tempo para parar e ver se realmente existia um predador. Portanto, o melhor a fazer era simplesmente correr. O medo do desconhecido ativava essa resposta. No entanto, é possível reduzir bastante o medo do desconhecido no mercado financeiro. Para isso, basta estudar as particularidades da Bolsa, o movimento das ações na análise técnica e fundamentalista.

Dessa forma, o desconhecido se torna conhecido e você pode agir com racionalidade. Como vimos, entender se determinado movimento possui fundamentos sólidos, ou se não passa de euforia momentânea, é uma tarefa desafiadora para o investidor comum.

Portanto, outra forma importante de se manter imune ao efeito manda é contar com o auxílio de profissionais mais capacitados como analistas, investidores qualificados, agentes ou consultores financeiros. Tais profissionais possuem know how e experiência de anos no mercado, que o tornam apto a diferenciar excessos passageiros de tendências duradouras.

Para fazer essas análises, os estudiosos do mercado contam com informações e ferramentas que geralmente não estão acessíveis ao público em geral, sendo por esse motivo, mais confiáveis em suas observações e recomendações.

2 – Aja conforme o seu perfil de investidor

De acordo com os dados oficiais da B3, mais de 2,8 milhões de pessoas investem na Bolsa no Brasil. Esse número representa um crescimento de quase 350% em relação a 2018 (quando tínhamos 813 mil investidores).

Portanto, é seguro afirmar que um bom número de investidores na Bolsa vieram dos recentes resultados na B3. Em 2019, o Ibovespa subiu mais de 30%, enquanto a Selic caiu para 4,5%, tornando a Renda Fixa menos atraente. Ou seja: dá para dizer que o recente crescimento da Bolsa é uma espécie de efeito manada.

Afinal, as pessoas estão entrando nela em busca de opções mais atraentes. No entanto, é importante fazer as decisões com base no seu perfil. Se você tiver uma postura mais conservadora, não faz sentido investir em ações só porque é o que todos fazem.

Ao manter a coerência com seu estilo, você alcança os resultados que deseja sem correr riscos desnecessários. Constatar qual é o seu perfil é o primeiro passo antes de tomar decisões sobre alocação de ativos. Busque analisar alguns passos, como:

  • qual a sua capacidade de suportar riscos e absorver flutuações de preços;
  • definia quais objetivos deseja alcançar;
  • separe um valor para investir;
  • determine um horizonte de tempo para manter o dinheiro aplicado, etc.

Esses são alguns dos parâmetros que vão auxiliar na escolha sobre quais os produtos são mais indicados para sua realidade. Para descobrir qual o seu perfil é muito simples, basta fazer um teste de API (Análise de Perfil de Investidor) disponível nos portais de praticamente todas as instituições financeiras nacionais.

3 – Mantenha o foco e disciplina na estratégia escolhida

Uma das vantagens de estudar bastante e se manter coerente ao seu perfil é poder tomar decisões racionais e seguras. Para ter sucesso, um investidor não deve comprar uma ação ou aplicar em um título “porque sim”.

É necessário, portanto, ter uma estratégia que explique aquela aplicação. Por exemplo, suponha que você decida comprar ações de uma empresa com boas práticas sustentáveis. Seu racional é que essa companhia apresentará bons resultados no longo prazo. Portanto, não faz sentido se desesperar com uma recente queda nas ações (desde que não haja uma modificação nos elementos que justificam seu investimento).

Sendo assim, confie em sua estratégia e se mantenha firme nas análises que o levaram a se posicionar em cada ativo. Obviamente, existem momentos em que serão necessárias algumas mudanças de curso, ou ajustes ao longo da jornada, mas a visão de longo prazo não pode ser desprezada em detrimento de flutuações momentâneas.

Ao contrário do que muitas pessoas buscam, o mercado financeiro não é um “cassino de ganhos exponenciais rápidos”, mas sim, um local que recompensa (com ótimos retornos) aqueles que se mantêm pacientes e disciplinados na busca do seu resultado.

Como usar a psicologia do investidor a seu favor?

Além de se proteger do efeito manada, você também pode usá-lo a seu favor. Afinal, um fluxo de movimento em uma direção é uma boa oportunidade de rendimentos.

Os investidores que entendem os fundamentos por trás das formações de preços dos ativos na Bolsa podem identificar melhor os movimentos irracionais. Portanto, podem traçar estratégias para surfar o fluxo do mercado. Um exemplo disso foi a recente queda da Bolsa por causa da pandemia do novo coronavírus. Em 19/02, o Ibovespa estava em 116 mil pontos.

No começo de março, o índice começou a cair com as notícias e chegou a 63 mil pontos. Portanto, uma queda de aproximadamente 47%. Grande parte dessa queda foi um movimento de manada dos investidores, buscando uma opção mais segura por causa da pandemia. No entanto, a recuperação veio assim que as pessoas se acalmaram.

Em 29 de julho, de 2021, o Ibovespa chegou a 105 mil pontos. Um crescimento, portanto, de 66% em relação à depressão de março. Quem soube ler esse movimento comprou as ações em queda, na expectativa que de essa queda fosse apenas o medo dos investidores.

Como vimos ao longo do artigo, o efeito manada representa grandes riscos ao investidor, podendo impactar diretamente a rentabilidade da sua carteira. Agir conforme a manada sem observar o contexto setorial ou econômico de maneira fria e ponderada pode levar a percepções e leituras equivocadas sobre o mercado.

Consequentemente a tomada de decisões realizadas tendo essas percepções errôneas como base, podem se transformar em prejuízos. Assim, cabe ao investidor que está consciente dos danos que o efeito manada pode causar, se precaver por meio da capacitação contínua, do correto gerenciamento de risco e da confiança na solidez da estratégia escolhida. Afinal, quem entende como o mercado se comporta, está preparado para enfrentar tanto os momentos cíclicos, tanto de crise como de euforia.

Agora você já sabe como funciona o efeito manada e aprendeu como se proteger dele em suas aplicações. Portanto, lembre-se de manter a disciplina e a racionalidade nos seus investimentos para não ter prejuízos desnecessários. Se você quer acompanhar mais conteúdos e dicas para seu posicionamento no mercado, acompanhe o nosso Facebook, Twitter, LinkedIn, Instagram e YouTube!

Invista com Ativa!

É prático, rápido, seguro e não tem custo. Você pode acessar sua conta de onde quiser e ainda ter vantagens exclusivas.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.