Investimento para aposentadoria: confira 7 ótimas sugestões

Apesar de todo nosso avanço tecnológico, ainda não descobrimos como vencer o tempo. Isso significa que vamos envelhecer e não há o que se possa fazer para evitar isso. Portanto, quando nos damos conta do fato, é comum pensarmos em investimento para aposentadoria.

Afinal, com a idade, surgem novos desafios. Nossa energia de trabalho não é mais a mesma. Além disso, é muito justo permitir a nós mesmos um fim de vida tranquilo e agradável. Isso só é possível, entre outras coisas, se não precisarmos trabalhar por dinheiro.

Por isso, neste artigo você vai descobrir quais são os melhores produtos de investimento para a aposentadoria que o mercado oferece e como é possível começar a se preparar imediatamente para a melhor idade. Confira!

Quando começar a planejar a aposentadoria?

Se seus pais não estavam pensando nisso desde antes de você nascer, então já está tarde — mas não tarde demais. De fato, independentemente dos seus objetivos financeiros, quanto antes você começar a investir para se aposentar, mais fácil será alcançá-los.

Isso porque o fator tempo é uma das principais variáveis que contribuem para o crescimento do seu patrimônio. Quanto maior o período de investimento, mais significativo é o efeito dos juros compostos.

Assim, se está claro o curso de vida de um indivíduo nessa sociedade de mercado, sua previdência deve ser uma prioridade financeira. Afinal, você certamente não quer ter que trabalhar por dinheiro depois de se aposentar, certo?

Existe algum momento para investir?

Começar a pensar em investimento para aposentadoria o quanto antes é a melhor alternativa, mas não significa que não podemos começar mais tarde. O ideal seria investir desde sempre para aumentar o patrimônio de uma forma mais expressiva, como explicamos, mas nunca é tarde demais para começar.

A grande vantagem dos investimentos são os juros compostos. Eles é que fazem a “mágica” acontecer, tornando o seu patrimônio uma bola de neve no sentido positivo. Quanto mais dinheiro estiver investido, mais dinheiro você vai ter. Afinal, os juros são contabilizados em cima do montante aplicado.

Isso significa que, mesmo que você comece a fazer investimentos para aposentadoria com uma idade um pouco mais avançada, ainda assim terá um bom rendimento, proporcional ao valor investido todo mês. É uma forma de aumentar a renda de maneira gradativa.

Por isso o investimento para aposentadoria também pode ser feito por quem já está aposentado. Aplicar um montante todo mês faz com que a renda cresça porque os juros trazem o dinheiro aumentado de volta para sua conta.

Além disso, não é preciso esperar um momento econômico para começar a investir. Mesmo em cenários desafiadores o investimento rende bem, inclusive porque muitos são baseados na inflação.

O ideal é reservar um pouco todo mês, e a boa notícia é que existem várias opções de investimento com menos de R$ 1000. Aliás, você pode escolher alguns ativos por apenas R$ 50, por exemplo. Então, mesmo que não seja possível guardar muito, ainda assim dá para investir.

Quais são as melhores opções de investimento para aposentadoria?

Para a aposentadoria, as melhores opções de investimento são, naturalmente, aquelas que estão mais alinhadas com seu plano de previdência. Em todo caso, vamos assumir que as alternativas mais convenientes sejam aquelas que garantam segurança com o maior índice de rentabilidade possível no tempo. Confira a seguir alguns dos produtos mais adequados a um plano de aposentadoria.

1. Tesouro Direto

O tesouro Direto é uma das alternativas mais conservadoras que pode haver como investimento para aposentadoria. Trata-se de títulos de dívida pública cuja rentabilidade pode estar atrelada aos principais indicadores do mercado, como taxa básica de juros e inflação.

É uma das opções mais seguras possíveis, porque o risco de crédito do Estado (probabilidade de calote) é mínimo. Dessa forma, você conserva o poder de compra das suas economias, garante segurança do seu patrimônio e ainda pode optar entre títulos pré e pós-fixados. Assim sabe exatamente quanto vai retirar ao fim do período.

2. Fundos de Previdência Privada

Os Fundos de Previdência Privada são outra opção interessante para quem busca um controle das finanças em função da aposentadoria. Nesse caso, o investidor acumula capital para fundos geridos por um administrador.

Os ativos são escolhidos de acordo com sua tolerância a risco, e podem conter títulos de Renda Fixa ou Variável. Outra característica dos Fundos de Previdência é que o investidor pode escolher entre duas categorias:

  • PGBL;
  • VGBL.

A diferença considera o tipo de dedução de Imposto de Renda dos ativos. O plano PGBL é mais indicado para quem faz declaração completa dos rendimentos. Já o plano VGBL atende melhor a quem opta pela declaração simples.

Além disso, para ambos os casos, o investidor pode optar entre dedução progressiva ou regressiva do IR. O primeiro caso tem uma alíquota crescente em função do valor de resgate. Já a tributação regressiva reduz a alíquota proporcionalmente ao período de investimento.

3. Ações

Responsáveis pela fortuna de centenas de grandes investidores, estatisticamente, o risco de prejuízo é consideravelmente reduzido no longo prazo, embora sejam ativos de Renda Variável.

No entanto, bons investimentos no Mercado de Ações dependem do conhecimento que permita identificar as empresas mais valiosas. Por isso, é preciso estudar princípios de análises, como valuation e outros métodos de investimento.

4. Fundos de Investimento

Ainda em Renda Variável, Fundos de Investimento são convenientes tanto como investimento para aposentadoria quanto para diversificação de carteira. Além disso, as opções são inúmeras. No mercado, existem diversos tipos de Fundos, além dos já referidos Fundos de Previdência Privada. Por exemplo:

  • Fundos Imobiliários;
  • Fundos Multimercado;
  • Fundos de Ações etc.

As aplicações são feitas adquirindo cotas de Fundos e o rendimento é proporcional ao número de cotas que o investidor tem.

5. Fundos imobiliários

Esse é um bom investimento para aposentadoria porque o rendimento cai todos os meses na conta, e o valor recebido depende do montante investido.

Funciona como um tipo de aluguel. Você compra cotas de grandes imóveis comerciais, como galpões industriais e shoppings centers, então, passa a ser um dos “proprietários” e recebe “aluguel” das empresas que estão ocupando esses imóveis.

6. CDB

Enquanto no Tesouro Direto você empresta dinheiro para o Estado, no CDB (Certificados de Depósitos Bancários) o empréstimo é feito para bancos. As instituições financeiras usam esse dinheiro para captar fundos e depois devolvem o valor com juros.

Os títulos podem ter um valor pré-fixado, pós-fixado ou serem híbridos, mesclando as duas opções anteriores. Esse investimento tem a vantagem de ser assegurado pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

7. Letras de Crédito

As Letras de Crédito oferecem dois tipos de aplicação, sendo uma no setor imobiliário (LCI) e a outra no setor do agronegócio (LCA). O rendimento é calculado com base no CDI, assim, quanto maior estiver esse indexador, maior será o rendimento da aplicação.

As Letras de Crédito têm a vantagem de serem investimentos sem Imposto de Renda, além de também contarem com a proteção do FGC.

Como planejar a aposentadoria?

O passo número um do processo de planejamento de uma aposentadoria é estabelecer um alvo razoável. Isso é muito pessoal, levando em conta que cada indivíduo tem sua personalidade e estilo de vida. 

Por exemplo, os objetivos da geração baby boomer (nascidos no pós-guerra) evidentemente não são os mesmos objetivos da geração millenial (nascidos entre os anos 80 e 2000). Não apenas os anseios de cada um são diferentes, mas o contexto econômico é outro.

Sendo assim, é fundamental que você avalie como você deseja viver depois que se aposentar e quanto será necessário ter acumulado para custear o padrão de vida desejado.

Depois, é importante calcular quanto você deverá poupar mensalmente para investir em sua aposentadoria. Note que isso vai depender fundamentalmente da taxa de rentabilidade do ativo e do período de investimento até se aposentar. De todo modo, é recomendável considerar o seguinte:

  • viva abaixo dos seus rendimentos;
  • procure meios de aumentar suas fontes de renda;
  • construa uma reserva de emergência;
  • diversifique seus investimentos.

Agora, diante de tudo isso, o que você não pode deixar de considerar é sua tolerância a risco em relação ao investimento para aposentadoria. Afinal, se, para as suas condições, você calcular que precisa de uma taxa de rendimento de 20% ao ano, isso significa que você terá que se expor um pouco mais. Como saber se você está preparado?

Para isso, você deve conhecer o seu perfil de investidor. Dessa forma, tanto você quanto sua corretora saberão quais produtos de investimento são mais recomendados ao seu perfil.

Por que analisar o perfil do investidor?

Podemos dividir os investimentos de um modo geral em dois grandes grupos, que são renda fixa e renda variável.

No primeiro caso há menos risco de perdas financeiras, ou seja, você tem uma segurança maior na hora de investir, além de contar com o FGC. Assim, mesmo que haja algum problema com o investimento, você não perde todo o seu patrimônio.

Além disso, são investimentos que já mostram qual será o rendimento. Então, você já aplica sabendo quanto dinheiro terá no final. Não há surpresas.

Na renda variável o cenário é inverso. Como seu nome diz, ela varia, podendo ser para mais ou para menos, então, em um dia você pode estar ganhando muito dinheiro e no outro nem tanto ou até mesmo pode perder. Não dá para saber ao certo quanto os investimentos vão render e existe um risco maior ou menor de perder dinheiro.

Por isso é preciso conhecer o perfil do investidor. Dessa forma você descobre qual a sua disposição para correr esses riscos e pode destinar melhor os seus investimentos de acordo com suas expectativas e tolerâncias.

Outro motivo é que os rendimentos são pagos de maneiras diferenciadas, logo, é importante entender o que você espera do seu investimento para aposentadoria, se pretende saques mensais, semestrais, ou apenas deixar o patrimônio crescer. Dessa forma é possível criar uma carteira mais adequada.

Nunca é tarde para começar um investimento para aposentadoria e, mesmo com uma renda menor, é possível investir para aumentá-la e ter mais do que um salário-mínimo quando se aposentar. Assim você verá seu patrimônio crescer e garantirá mais tranquilidade na melhor idade.

Gostou das sugestões? Então, curta nossa página no Facebook para acompanhar mais dicas úteis como essas!

Para impulsionar os seus investimentos, assine nossa newsletter para mais conteúdos exclusivos

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.