O que são Fundos Cambiais? Veja se esse investimento é para você.

Os Fundos Cambiais estão se popularizando e já fazem parte das estratégias de diversificação de carteira de muitos investidores. No entanto, ainda há muitas dúvidas sobre o Fundo Cambial, incluindo seu conceito, funcionamento, entre outras questões, o que exige um pouco mais de estudo e análise.

Em uma breve pesquisa, é possível encontrar Fundos Cambiais que exigem baixa aplicação. Mas é preciso ter cuidado, pois esse tipo de investimento não é indicado para todas as pessoas.

Com este artigo, você entenderá o que são os Fundos Cambiais, quando podem ser vantajosos, para quem são recomendados, como escolhê-los etc. No final deste conteúdo, você descobrirá como aproveitar desse investimento para potencializar seus ganhos. Acompanhe!

O que é e como funciona um Fundo Cambial?

Os Fundos Cambiais nada mais são que Fundos de Investimentos abertos formados por ativos atrelados a moedas estrangeiras. Com isso, seu maior fator de risco é a oscilação dos preços do dólar e do euro, por exemplo, ou do cupom cambial — taxa de juros em dólar.

Deve-se destacar que um Fundo só pode ser considerado cambial quando tem, no mínimo, 80% do seu patrimônio investido emativos relacionados a moedas.

Eles costumam ser indicados como estratégia de proteção, mas podem ser usados com a finalidade de se obter lucros com a variação positiva da moeda.

Sobre o funcionamento de um Fundo Cambial, a dinâmica é bem simples de ser compreendida. Todo o dinheiro pertencente ao Fundo é gerenciado por um administrador profissional. É ele quem faz as análises e toma decisões com base em políticas e diretrizes já definidas.

Quando essa pode ser uma boa escolha de investimento?

O universo dos investimentos é composto por inúmeros ativos, porém, é preciso ter cautela e escolher com atenção em quais deles aplicar seu dinheiro. Em geral, nem todo investimento é bom para qualquer investidor.

No caso dos Fundos Cambiais, é necessário ter um claro entendimento do seu perfil de investidor. Isso porque os mais conservadores podem não suportar bem os riscos que esse modelo implica.

Em primeiro lugar, em razão de suas características, o Fundo Cambial é destinado a quem tolera riscos. Naturalmente, esse não é o único critério a ser avaliado, pois os objetivos também devem ser considerados.

Se você está em busca de um investimento para acumular riquezas e construir patrimônio, talvez precise repensar sua escolha. Afinal, como já dissemos, esse investimento é indicado principalmente para quem deseja ter ganhos com a variação cambial e para quem busca se proteger de uma alta da moeda estrangeira em médio e longo prazo.

Dessa forma, se você pretende fazer uma viagem para o exterior, o planejamento e o investimento adequado podem ajudá-lo a se livrar de um aumento expressivo da moeda. Da mesma forma, caso tenha obrigações em moeda estrangeira, como um contrato ou conta no exterior, essa pode ser uma boa estratégia.

Por fim, é interessante destacar que os Fundos Cambiais são indicados para quem já tem um certo entendimento de mercado cambial, ou seja, para investidores mais experientes.

Quem deve investir em Fundo Cambial?

O Fundo Cambial é considerado volátil. Isso indica que ele não é recomendável para quem deseja apenas manter seu patrimônio ou não arriscar — caso dos investidores conservadores.

Tal volatilidade pode ser adequada para investidores moderados ou agressivos. Esses perfis preferem alocar parte de suas carteiras de investimentos em alternativas de renda variável. Como também, esse é um investimento acessível para a maioria dos investidores.

Como escolher Fundos Cambiais?

Se você chegou à conclusão de que o Fundo Cambial é uma boa estratégia para a sua carteira, é necessário aprender como fazer uma boa escolha.

Em geral, antes de qualquer decisão, é fundamental realizar certas análises e considerar fatores importantes. Preparamos algumas dicas para ajudá-lo nessa tarefa. Confira!

Avalie o risco

Ao investir no câmbio, você pode se beneficiar com uma alta ou experimentar uma rápida queda. Esteja preparado, emocionalmente e financeiramente, para essas posições do mercado antes de investir.

Verifique a aplicação mínima

Quanto você tem para investir? Esse é mais um fator que deve ser analisado, já que os administradores desses Fundos trabalham com aplicações mínimas. A quantia investida pode variar conforme a complexidade e o risco da carteira, mas é possível encontrar opções que variam de R$ 500 a R$ 25 mil.

Analise a liquidez e o resgate do dinheiro

Conhecer e analisar a liquidez de um Fundo Cambial é uma medida que evita surpresas desagradáveis e traz mais segurança para o investidor. Por esse motivo, não deixe de conferir as regras previstas no regulamento.

Quais são as vantagens e desvantagens?

Assim como outros tipos de investimentos, o Fundo Cambial também têm seus prós e contras. Essas informações são relevantes para averiguar se essa alternativa se encaixa no seu perfil.

Vantagens

A praticidade é um dos benefícios marcantes do investimento. Basta que o investidor faça o aporte no fundo, que o gestor será responsável pela análise de mercado e acompanhamento.

Como os valores são geridos por um profissional, o Fundo Cambial acaba se tornando uma boa alternativa para iniciantes do mercado financeiro. Essa lógica também se aplica a indivíduos conservadores que desejam se tornar moderados. Eles podem verificar se suportam riscos e passar a fazer mais investimentos de renda variável.

Outro benefício está interligado ao cenário econômico do Brasil. Se o investidor perceber que o país atravessará uma crise econômica que poderá desvalorizar o Real, ele terá melhores chances de resguardar seu patrimônio com Fundo Cambial, pois os ativos estão ligados a moedas estrangeiras.

Também há vantagens para quem realiza viagens ou aquisições no exterior. Imagine que o investidor precise viajar para a Europa, mas o Euro aumentou de valor consideravelmente. Será possível compensar esse gasto a mais com os ganhos obtidos com o Fundo — que decorreram da valorização dessa moeda.

Os recursos são administrados por um terceiro, então os ganhos nessa situação dependerão de como será feita a gestão do fundo.

Desvantagens

A primeira desvantagem consiste no risco, que está presente nos investimentos de renda variável. Entretanto, esse fator pode ser controlado de acordo com gestão da carteira do investidor, que alocará os recursos conforme o risco que pode tomar.

Isso gera a necessidade de ficar atento ao histórico de rentabilidade do fundo. O investidor não conseguirá aproveitar das vantagens e ter rendimentos desejados se não tiver tempo disponível para fazer esse acompanhamento.

Por fim, os Fundos — tanto o cambial como outros — têm custos administrativos que não estão presentes em outros tipos de investimentos.

Quais são os custos e como funciona a tributação?

Além de todos os detalhes apresentados, é imprescindível que o investidor conheça os custos e o modelo de tributação que incidem sobre um Fundo Cambial. Essas são informações básicas para uma estratégia de sucesso. Veja a seguir.

Os custos dos Fundos Cambiais

Conforme mencionamos, os Fundos de Investimentos são gerenciados por administradores profissionais, e isso gera a cobrança de uma taxa de administração. O percentual varia de acordo com a instituição.

Ademais, é possível que exista uma taxa de performance, também chamada de benchmark. Essa taxa incide sobre a rentabilidade que excede o indicador de referência do Fundo. Ou seja, trata-se de um bônus pelo bom trabalho do gestor.

A tributação nos Fundos Cambiais

Em relação à tributação, destaca-se que esse investimento está sujeito a dois impostos:

  • Imposto de Renda (IR);
  • Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

No caso do IR, a incidência ocorre apenas sobre a rentabilidade do Fundo. Lembrando que a cobrança é semestral e que o período de permanência interfere na alíquota aplicada — que segue a tabela regressiva.

Já o IOF é cobrado apenas se o resgate do dinheiro for feito antes de 30 dias da aplicação, podendo variar de 96% a 0%. Daí a necessidade de se planejar e estudar o momento certo para fazer retiradas.

Vale a pena investir em Fundo Cambial? Se sim, como fazê-lo?

Não há uma resposta definitiva para todos os investidores. O Fundo Cambial será uma alternativa compensatória para diversificar uma carteira de investimentos moderada ou agressiva. Ele também é benéfico para quem deseja se proteger da desvalorização do Real ou realizar despesas no exterior.

Na prática, deve-se analisar seu perfil, tolerância a riscos e objetivos pessoais. Parte de suas vantagens (flutuação de moeda estrangeira) está ligada diretamente à profissão ou ao estilo de vida do investidor.

Para fazer esse investimento é preciso buscar uma boa corretora e plataforma aberta de investimentos. A empresa a ser contratada deve ter anos de experiência de mercado, contar com uma equipe técnica altamente qualificada e aplicar padrões de governança, segurança e compliance.

Com esse suporte especializado, você conseguirá gerenciar melhor sua carteira e acompanhar os rendimentos mais facilmente. Esse serviço também permitirá que você tome as melhores decisões para que você alcance seus objetivos.

Conseguimos esclarecer suas dúvidas sobre o Fundo Cambial? Como vimos, essa é uma excelente estratégia para alguns investidores e pode gerar grandes resultados. Nesse sentido, vale a pena destacar que a Ativa Investimentos tem mais de 35 anos de experiência no mercado. Ela ainda conta com uma equipe qualificada, capaz de ajudá-lo a montar uma carteira diversificada e rentável.

Se este material foi útil para você, ele também poderá ser aproveitado por outras pessoas. Por isso, compartilhe-o agora mesmo nas suas melhores redes sociais!

Powered by Rock Convert

Invista com a gente!

É prático, rápido, seguro e não tem custo. Você pode acessar sua conta de onde quiser e ainda ter vantagens exclusivas.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.